Confusão marca o período pré-eleitoral no Império Serrano

 

 

Precisando de união para voltar a viver os seus maiores dias de glória, o Império Serrano parece caminhar na direção contrária, às vésperas da eleição, marcada até o momento para o dia 18 de maio, que vai definir o novo presidente da agremiação em substituição a Átila Gomes. Segundo as chapas de oposição, existem membros do Conselho Diretor em condição irregular, mas para a chapa da situação há uma tentativa de membros do Conselho Deliberativo em tumultuar o processo democrático da escola.

Versão da oposição

Na noite desta quarta-feira teria sido marcada na quadra da escola uma reunião do Conselho Deliberativo afim de tomar posições sobre supostas irregularidades cometidas pelo presidente Átila e seus pares na administração da escola. Entretanto, ao saber do referido encontro, o presidente teria ordenado fechar a quadra e um comunicado foi colocado avisando do cancelamento. Átila teria suspendido o presidente do Conselho Deliberativo, Cosme Chagas.

Em entrevista ao CARNAVALESCO, a ex-presidente e atual candidata Vera Lúcia Correa de Souza declarou que membros do Conselho Diretor e o atual vice-presidente Luciano Vargem, e candidato à presidente pela situação, se encontram irregulares. – Eles não prestaram as contas da escola nos três anos de mandato. Quero um pleito justo e com lisura. Essa eleição não tem condições de ocorrer dia 18 – disse a candidata.

De acordo com com o candidato Egas Muniz, o Baloeiro, a reunião aconteceu do lado de fora da quadra, com assinatura de ata e ficou definida a suspensão de membros do Conselho Diretor por 60 dias. – O Império Serrano precisa começar do zero. Essa eleição precisa ocorrer de maneira limpa – afirmou ao CARNAVALESCO.

Representante legal do presidente do Conselho Deliberativo, Cosme Chagas, o advogado Everton Jordão afirmou ao CARNAVALESCO ser ilegal o presidente do Conselho Diretor, no caso o presidente Átila, punir algum membro do Conselho Deliberativo. – Ele não tem essa prerrogativa. É como se a Dilma julgasse os deputados e ministros do judiciário. Somente o contrário pode ocorrer – afirmou.

Ainda de acordo com Everton, a Justiça já foi acionada para que o Conselho Deliberativo tome a direção da escola e as eleições podem ser suspensas. – Fiz um pedido para que as eleições ocorram com colégio eleitoral de 2011. O presidente Átila diz que aumentou o quadro de sócios, mas não prestou contas. Assim é fácil. As eleições podem ser suspensas – avisou.

Versão da situação

De acordo com Luciano Vargem, candidato à presidência da escola pela situação, e atual vice-presidente de carnaval do Império Serrano a reunião ocorrida do lado de fora da quadra na noite de quarta não possui valor legal. – O edital exige que esse tipo de encontro aconteça em um ambiente adequado. O Cosme já veio aqui com o intuito de punir o presidente Átila. Ele deve estar ligado a alguma chapa de oposição – afirmou Luciano ao CARNAVALESCO.

Segundo ele não há a menor possibilidade de as eleições não ocorrerem no próximo dia 18 de maio. – O pleito vai transcorrer normalmente, democraticamente. Eleição se ganha é na urna. E os sócios vão escolher o melhor para o Império Serrano.

Afastada do Grupo Especial desde 2009, a verde e branco da Serrinha está mergulhada em uma guerra política que vem afetando de maneira direta os carnavais da escola. Em 2014, com um desfile abaixo da crítica, acabou terminando na sexta colocação

Comente: