Crivella: ‘Muitos vão desfilar com o coração triste, mas estarão de pé’

A Prefeitura do Rio de Janeiro apresentou na manhã desta quinta-feira, no Palácio da Cidade, em Botafogo, a agenda oficial da cidade para o Carnaval 2018. Durante a apresentação, o prefeito Marcelo Crivella falou da crise que esteve envolvido com o mundo do samba, revelou convite para o prefeito de São Paulo assistir aos desfiles no Rio, e agradeceu a compreensão das escolas da Liesa pelo momento econômico e o corte da verba.

coletiva_prefeito– Quem não gosta de samba, bom prefeito não é. Fizemos um esforço para apresentar um grande carnaval. O carioca se ergue nos momentos trágicos para celebrar a vida. Temos desafios e etapas inevitáveis no processo de evolução econômica. Com grandeza sabemos que a cada passo, sem perder esperança, nos tornamos um povo melhor. O carnaval não é um momento de apenas extravasar. É mostrar ao mundo nossa alegria e nosso otimismo. Acreditamos na pujança de nossa terra. Há sempre dificuldades em tempos de crise. Os problemas foram superamos com a compreensão do Jorge Castanheira (presidente da Liesa). As escolas compreenderam nossas necessidades. A despeito de todas as críticas fizemos o melhor. Buscamos os recursos e conseguimos. Muitos vão desfilar com o coração triste, mas estarão de pé – disse Crivella.

Segundo o prefeito, o Rio de Janeiro repetirá o sucesso de sempre no carnaval. Ele frisou que “Não existe essa conversa de que o prefeito não apoia o carnaval por questões religiosas”.

– O carnaval será um sucesso como o Réveillon e o Encontro do Samba. Aqueles que apostaram no fracasso ficaram decepcionados. Tive de realocar recursos e enfrentei críticas. É na crise que a gente cresce. Não tenho dúvidas de que o desfile será tão lindo como os demais – afirmou o prefeito que pediu o apoio das tropas federais antes, durante e depois do carnaval.