Curicica faz apresentação empolgante, mas peca no acabamento das alegorias

Quinta escola a entrar na Avenida na noite desta terça-feira, a União do Parque Curicica fez, assim como nos últimos anos uma bela apresentação para contar a história das cartas na Marquês de Sapucaí. Com problemas nos acabamentos das alegorias e um desfile empolgante, os componentes, porém, cantaram pouco o samba-enredo da agremiação de Jacarepaguá.

A comissão de frente cumpriu seu papel de apresentar a escola, porém faltou clareza no entendimento da leitura que pretendiam passar com a coreografia que contou com homens e mulheres em sua apresentação.

O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira fez apresentações corretas nos módulos de avaliação, porém, no primeiro módulo de julgadores quase foram prejudicados pelo carro abre-alas, que mal conduzido, avançou o espaço de apresentação da dupla aos jurados. A coreografia contava com cartas de jogo utilizadas como adereço de mão tanto da porta-bandeira, quanto do mestre-sala.

As alegorias por sua vez, contaram com problemas como luzes apagadas do abre-alas e do destaque central baixo do segundo carro alegórico. Já o terceiro carro possuia buracos na frente e nas laterais esquerdas, ainda neste carro, a fantasia do destaque central baixo estava rasgada e a mão direita da escultura estava com a pintura descascando. O quarto e último carro trouxe uma cartola com um grande buraco visível nos fundos.

A bateria cumpriu seu papel e executou paradinhas em frente às cabines de jurados. A evolução da escola foi tranquila e sem correria ou buracos. O samba não rendeu o esperado mas não influenciou no desempenho dos componentes. Destaque para a ala coreografada de malandros, que arrancou aplausos do público das frisas e para a empolgação dos desfilantes.

A União do Parque Curicica buscou o título com o enredo “As cartas não mentem jamais”.