Daniela Mercury pede mais ações como o Carnaval de San Luis para a América Latina

Depois de ter Sônia Braga em 2010 e ver, no carnaval passado, o posto vago, a província de San Luis recebe a cantora brasileira Daniela Mercury no posto de madrinha do carnaval de nossos hermanos. Daniela foi apresentada na tarde desta quinta-feira na cidade de San Luis e comentou a expectativa para a festa, que começa nesta sexta-feira.

– Eu estou surpresa com a dimensão e a grandiosidade desse espetáculo. São dois mil participantes, Antonio Pitanga, Milton Cunha, 50 ônibus, um palco enorme. É uma festa de grande magnitude. Acho que será a grande base turística da Argentina nesses próximos anos. É muito importante essa integração entre as pessoas de San Luis, que estão aprendendo a fazer samba, percussão, fantasias e alegorias, e a cultura do nosso carnaval. Isso é único. Extraordinário! Vamos quebrar uma fronteira entre Argentina e Brasil, o sonho de integração entre as duas nações está mais próximo. Estou muito emocionada em ocupar esse cargo. Espero voltar sempre. Madrinha não é só por um não, né? (risos) – afirmou a bem humorada Daniela.

Cerca de 50 jornalistas brasileiros e argentinos acompanharam a coletiva da cantora, que fará um show de abertura antes de cada dia de desfile. Ao todo, serão três escolas desfilando no Sambódromo de San Luis. Daniela Mercury disse que o repertório do show misturará canções que marcaram sua carreira e sambas de exaltação ao Rio de Janeiro e ao carnaval. Ela ainda desfilará em carro aberto pelo Sambódromo de San Luis. No Dia Internacional da Mulher, a cantora brasileira recebeu das mãos de uma das organizadoras do carnaval de San Luis, Graziela Corvalam, um buquê de flores e falou sobre o Carnaval 2012 do Rio de Janeiro, quando desfilou na Portela

– Amo a Argentina e o Brasil. Por toda a minha vida busquei que o mundo compreendesse a nossa cultura popular. O carnaval explica a nossa maneira de ser, o nosso dna. É o nosso momento de mostrar como sobrevivemos e a nossa diversidade cultural. Este ano várias escolas trouxeram temas da Bahia e do Nordeste. Tivemos Jorge Amado, literatura de cordel, Luiz Gonzaga… A cultura é extremamente importante para compreender a nossa alma. Necessitamos de música e arte para sobreviver. Carnaval é um alimento para sobreviver durante o ano. O povo brasileiro precisa de uma dose grande de ficção, de imaginação, para encarar a realidade da vida. A cultura popular é a nossa maneira de viver, principalmente num país de 200 milhões de habitantes. Tenho certeza que o carnaval de San Luis trará prosperidade para a província. A América Latina precisa de mais ações desta natureza para a econômia evoluir.

Um dos hits mais tocados nas rádios e boates argentinos é a música 'Ai se eu te pego' na voz de Michel Teló. Perguntada pelos jornalistas argentinos, a cantora saiu-se com essa. – Acho que ele é fenômeno. Tem uma coisa muito forte da aceitação de pessoas públicas também. Acho que vou chamar o Cristiano Ronaldo e o Neymar para dançarem em todos os meus clipes (risos).

Comente: