Deixa o povo cantar! Parceria de imperianos multicampeões faz história no Império Serrano

Por Guilherme Ayupp, André Coelho e Winnie Delmar. Fotos: Vinicius Vasconcelos

final_imperio_serrano_02102017-121Os imperianos puderam mais uma ver presenciar a história em uma final de samba na noite desta segunda-feira. A escolha do hino oficial da agremiação para o enredo ‘O Império do samba na rota da China’, de autoria do carnavalesco Fábio Ricardo. A vitória dos compositores Tico do Gato, Chupeta, Henrique Hoffman, Lucas Donato, Arlindinho, Andinho Samara, Victor Rangel, Jefferson Oliveira, Ronaldo Nunes e André do Posto 7 foi anunciada por volta das 4h desta terça-feira.

A parceria campeã levou para casa o troféu D´Samba/CARNAVALESCO. Lucas Donato, Andinho Samara e Ronaldo Nunes conquistaram o incomum tetracampeonato seguido.

Dentro da parceria há uma constelação de poetas imperianos. Arlindinho, filho de Arlindo Cruz, é tetracampeão (não consecutivo). Henrique Hoffman conquistou pela sexta vez. Todos os demais integrantes da parceria chegam no mínimo à segunda conquista no Império Serrano.

final_imperio_serrano_02102017-109

final_imperio_serrano_02102017-113* VÍDEO: VEJA O ANÚNCIO DO SAMBA CAMPEÃO

Lucas é neto de Jorge Lucas, pentacampeão no Império e autor de clássicos da história da escola. O jovem também é sobrinho de Roberto Ribeiro, um dos maiores sambistas de todos os tempos, intérprete da escola em seu período áureo. O tetracampeonato de Lucas o coloca ainda distante em números de nomes como Beto Sem Braço, Arlindo Cruz e Aluísio Machado, mas significa um feito que nenhum desses compositores possui: quatro vitórias seguidas no Império. Apenas Mano Décio da Viola e Silas de Oliveira venceram mais que quatro vezes seguidas na escola.

final_imperio_serrano_02102017-96Tico do Gato comemorou sua terceira vitória. – É muito maravilhoso, junto com esses jovens, garotos novos que são o futuro promissor do samba, é gratificante. Eu, com a minha experiência, e essa molecada me deixando participar. Perdi 2 anos seguidos pra eles, e mesmo assim é maravilhoso. Eu tenho 54 anos, que beleza, que honra. O Império no Especial voltando com a maior alegria. Estou realizado e o povo vai “matar a saudade”, vai explodir na avenida porque estamos com muita saudades do Especial.

Seis vezes campeão, Henrique Hoffman ressaltou o poder do samba com a comunidade. – Desde o início nós sentimos que atingimos a comunidade. O Império é a primeira a desfilar no domingo, não podíamos fazer um samba muito cadenciado. Tinha que ser “pancadão” e nós atingimos. O refrão vai pegar eu tenho certeza.

Lucas Donato diz que nunca deixou de ser amigo de Arlindinho

A impressionante torcida da parceria entrou na quadra já cantando bastante o samba. A apresentação teve início em um clima de muita emoção. Arlindinho pediu um grito de apoio à Arlindo Cruz. Durante a passagem do samba a torcida cantou forte. Foi o único samba que recebeu o apoio dos segmentos da escola. O trecho ‘deixa o povo cantar, matar a saudade do Império Serrano’ foi uma coqueluche na quadra.

final_imperio_serrano_02102017-110Ainda no calor da histórica vitória, Lucas Donato falou à reportagem do CARNAVALESCO sobre o feito que acabara de conquistar, sem esquecer de reverenciar a trajetória de quem construiu a história de uma das maiores escolas de samba do Brasil. Lucas festejou muito ao lado de Arlindinho, a quem ele afirma que jamais deixou de ser amigo.

– Há 48 anos o Império não tinha um compositor tetracampeão. Estou apenas no meu sétimo ano compondo na escola. Foi tudo muito rápido para mim. Eu me tornei um profissional do carnaval. Na Grande Rio eu tiro meu sustento, mas minha relação com Império transcende tudo. É amor incondicional. Tenho uma admiração grande demais pelo Arlindinho. Nós nunca brigamos e ele sabe. Ano passado houve um ruído de comunicação na montagem das parcerias, mas nunca deixamos de ser amigos. Tenho muita gratidão por tudo que a família dele fez por mim. Dedico 80% deste samba ao Arlindão – destacou Lucas, que concedeu a entrevista o tempo todo abraçado ao amigo e parceiro.

final_imperio_serrano_02102017-122Arlindinho vem vivendo um turbilhão de sentimentos em 2017. Com o pai Arlindo Cruz internado, vê sua carreira decolar e de quebra celebra mais uma conquista na escola de coração. Com a correta reverência ao pai, Arlindinho celebra sua maturidade como artista.

– Meu pai é minha inspiração para tudo, nunca escondo isso. Ainda está muito difícil para minha mãe, eu e minha irmã. Ele fez esse samba comigo, mostrei cada verso para ele. E hoje curiosamente a pressão dele estava mais alta que o normal. Ele estava nervoso com mais uma final do seu Império Serrano. Meu pai me abriu os caminhos, mas algumas pessoas precisam começar a entender que aquele menino se transformou em um homem, que hoje é pai, e trilha uma carreira como artista. Antes de vencer aqui com meu pai eu já havia vencido em outras escolas. Ano que vem ele vai estar com a gente de novo, Deus quer isso – disse o compositor.

Paulo Elias se recupera de acidente e afirma ter nascido de novo

final_imperio_serrano_02102017-101O vice de carnaval do Império Serrano Paulo Elias se recupera bem do grave acidente que sofreu no barracão da escola há um mês. O dirigente sofreu uma queda quando iria entrar no elevador e conta os detalhes de sua recuperação ao site CARNAVALESCO.

– Eu nasci de novo, recebi uma segunda oportunidade de Deus. O que poderia ter acontecido comigo seria muito pior. Quebrei o tornozelo e estou ainda sem poder tocar o chão, por isso andando de cadeira de rodas. Também tive uma lesão na cabeça devido ao impacto mas estou me recuperando bem. Aproveito esse momento para agradecer muito todas as intenções de recuperação que recebi, de diversas correntes. Foi um susto grande mas eu estou bem, graças a Deus – conta Paulo.

Elias ainda não retomou totalmente as atividades no barracão, mas já vem tomando algumas decisões de casa e regressou ao barracão na semana passada.

final_imperio_serrano_02102017-95– Aos poucos vou voltando. Estive no barracão duas vezes já. Na semifinal no sábado também estive aqui na quadra. Eu consegui manter a serenidade o tempo todo. Estive lúcido desde o momento da queda até a chegada da brigada dos bombeiros para me socorrer. Foi um livramento – concluiu Paulo Elias.

Com a quadra recebendo um grande público o Império Serrano mostrou a força que possui no Rio de Janeiro. Em plena segunda-feira e um excelente público. A rainha de bateria Milena Nogueira, como de hábito, roubou a cena na quadra ao apostar em mais um figurino ousado, carregado de pedras e brilho. Simpática, tocou agogô o tempo inteiro junto da bateria Sinfônica do Samba. Antes da apresentação dos segmentos, os intérpretes Leléu e Marquinhos Silva foram apresentados como novos integrantes do time de Marquinhos Art’Samba.

final_imperio_serrano_02102017-9Um momento de emoção tomou conta da quadra na hora da apresentação do terceiro casal. Babi Cruz, esposa de Arlindo Cruz que se recupera de um AVC em uma clínica desde abril, não segurou as lágrimas ao oferecer o pavilhão da escola para a filha, terceira porta-bandeira imperiana. Babi depois subiu ao palco e foi homenageada pelo intérprete Marquinhos Art’Samba. Muito emocionada, ela agradeceu o carinho de todos e as correntes positivas em prol da recuperação do marido.

A presidente Vera Lúcia destacou que mais uma vez o Império ouviu sua comunidade na hora de definir o samba campeão.

– Como fizemos na escolha para 2017 da mesma forma eu disse que a família imperiana escolheria o samba. Liberei meus segmentos para apoiarem os seus sambas prediletos e assim foi feito. Uma escolha justa, transparente e fiel ao que aconteceu na quadra. Se Deus quiser vamos realizar um grande carnaval em 2018 – disse Vera.

Bateria vai homenagear Wilson das Neves

final_imperio_serrano_02102017-16Em entrevista ao site CARNAVALESCO, mestre Gilmar adiantou o número de ritmistas que utilizará no desfile do ano que vem e que vai homenagear Wilson das Neves.

– Não adianta ter 20 ou 30 anos de bateria do Império, eu quero que venha ensaiar, pois no (Grupo) Especial a exigência será maior. Nós vamos entrar na avenida e as pessoas vão dizer: ‘A bateria do Império voltou para o Especial, olha como eles estão’. Já a quantidade de ritmistas eu não preciso aumentar, mas esse ano viemos com 260 e ano que vem viremos com mais 10 repiques, 270 no total – disse.

Gilmar revelou que homenageará Wilson das Neves, que faleceu recentemente, no desfile de 2018.

final_imperio_serrano_02102017-19– Na primeira vez que puser meu pé direito na Avenida já estarei homenageando-o. Enquanto estiver aqui, vou exaltar o nome dele. Já está lá na frente do palco, se você for ver há um banner com a imagem dele à frente do palco da bateria). Wilson das Neves e a frase que ele dizia que a melhor coisa do mundo é ser lembrado e aqui ele será sempre lembrado. Ele foi uma referência musical, eu perguntava muitas coisas para ele, me guiava em muitos sentidos, sempre muito presente. Eu lembro que no meu primeiro ano como mestre de bateria ele me deu um aperto de mão e me disse: ‘Meu filho, eu acredito em você. é a sua hora’. E de lá para cá, sempre esteve ao meu lado.

Totalmente adaptado ao Império Serrano, o intérprete Marquinho Art Samba aponta que está em casa na escola.

– Fui muito bem tratado aqui quando cheguei. Ainda estou aprendendo muita coisa de Império Serrano porque isso não acaba nunca – disse o cantor, que falou sobre o samba vencedor.

– É um bom andamento. Até porque vamos abrir o carnaval, temos que ter um grande samba para poder chegar lá e arrebentar.

Fábio Ricardo: ‘o imperiano vai ser vestir como imperiano’

Em seu primeiro carnaval no Império Serrano, o carnavalesco Fábio Ricardo revelou que o enredo sobre a China chegou através da própria escola. O artista disse estar ciente que a comunidade deposita nele o sonho de seguir no Especial.

final_imperio_serrano_02102017-6– Eu já passei por isso na São Clemente. A responsabilidade não é só minha, está dividida por todos, da minha parte eu vou oferecer tudo que eu tenho de melhor dentro das condições do Império. A escola toda sabe que quando sobe, a estrutura não é a mesma de uma escola que já está no (Grupo) Especial. Não é fácil. Ainda mais uma escola que não tem patrono, vive do que ela ganha. Não tem patrocínio, então, vou ter que usar muito mais da minha criatividade para colocar o carnaval na rua – comentou.

Fábio Ricardo frisou que a escola já está correndo contra o tempo para fazer o desfile de 2018.

– Estamos levantando tudo, subindo muita coisa, correndo contra o tempo. Temos três meses para botar o carnaval na rua. A presidente está sendo muito guerreira para atender tudo que eu e os outros precisamos. O imperiano vai ser vestir como imperiano – contou.

Após fazer a comissão de frente da Mangueira no Especial em 2017, o coreógrafo Junior Scapin não pensou duas vezes em aceitar a proposta do Reizinho de Madureira para comandar a comissão de frente imperiana no Especial.

– Eu tive o convite da Mangueira para continuar, mas eu já tinha decidido. Agradeci muito ao presidente Chiquinho da Mangueira, mas o Império fez um convite muito carinhoso. Optei por seguir no Império pelo desafio novo. Já era obrigação dar nota máxima na Mangueira, imagina no Império Serrano, querendo ficar no Grupo Especial. O foco e equipe nos temos. Vamos trabalhar muito pela nota máxima – disse o coreógrafo.

Casal preparado para cobrança do Grupo Especial

final_imperio_serrano_02102017-62O casal de mestre-sala e porta-bandeira do Império Serrano mostra otimismo em busca da nota máxima. Feliciano e Raphaela Caboclo estão preparados para a responsabilidade de conduzir o pavilhão do Império no Especial.

– O Império Serrano é uma escola tão emocionante que no dia a dia te deixa à vontade para executar o seu trabalho. A cobrança é maior no Especial, as pessoas vão te ver de outra maneira. No decorrer do tempo você tem que ir moldando fazendo alguns reajustes – afirmou Feliciano.

Para a porta-bandeira, Raphael Caboclo existe em todas escolas a cobrança pela nota máxima.

– A nossa dedicação é praticamente de um atleta, eu comparo mais ou menos a um jogador de futebol. Só que ele tem uma temporada inteira, a gente só tem um desfile e às vezes nem dois minutos de apresentação para mostrar tudo aquilo que ensaiamos.

Análise das outras apresentações:

final_imperio_serrano_02102017-76Parceria de Vera Alice: A obra tinha uma melodia muito arrastada e isso dificultou muito a apresentação. Embora tenha caprichado no visual, com grupo de dança, bandeiras da China e bolas em verde e branco, a torcida não teve um bom desempenho, pouco cantando o samba. Na pausa de passadas para o canto da torcida o desempenho também não foi satisfatório.

Parceria de Luiz Fernando: Comandados por Emerson Dias os torcedores da parceria cantaram forte desde o princípio da apresentação. Numerosa a torcida fez um bonito espetáculo visual, mas não se esqueceram de cantar. Liberados para declarar apoio ao samba preferido, alguns segmentos demonstraram apoio à obra. Alguns integrantes da harmonia cantaram timidamente o samba. A apresentação, entretanto, foi irregular, com alguns momentos de canto menor que outros. O ponto forte da obra foi o refrão de baixo. Na passada para a torcida o canto se destacou, destoando de momentos antes na apresentação.

Parceria de Horácio: Também melodioso o samba encontrou dificuldades para motivar a torcida a cantar. Um dragão foi apresentado durante a passagem do samba. A parceria não conseguiu conquistar a simpatia dos segmentos da escola.

O Império Serrano será a primeira escola a desfilar no domingo de carnaval em 2018 com o enredo ‘O Império do samba na rota da China’.