Diretor de Carnaval da Estácio revela planos de Leziário Nascimento e confirma enredo sobre Luma

Depois da renúncia de Marcos Aurélio Fernandes no último mês, a Estácio de Sá elegerá seu novo presidente neste sábado. Leziário Nascimento, que já presidiu a escola em 2007, será aclamado o novo responsável por comandar a agremiação do morro de São Carlos na luta para voltar ao Grupo Especial. De acordo com o diretor de Carnaval da escola, Edvaldo Fonseca, que está há 25 anos na Estácio e confirmou o enredo sobre Luma de Oliveira, o acesso à elite é a principal missão da nova gestão.

Procurado inicialmente pelo CARNAVALESCO, o novo presidente da escola alegou compromissos referentes à posse deste sábado e indicou o Edvaldo Fonseca para falar sobre os objetivos de seu mandato. O diretor de carnaval da Estácio enumera os fatores positivos para Leziário Nascimento assumir novamente a escola.

– Precisamos reerguer a Estácio. Nos últimos carnavais nós mostramos competência, está faltando é resultado. O Leziário é da comunidade, é referência dentro da escola. Ele contará com o apoio do Luciano Bola e terá um bom suporte. No nosso time não tem estrela, não somos uma constelação, trabalhamos com humildade e tenho fé que vamos conseguir – afirmou Edvaldo Fonseca.

O mandato de Leziário Nascimento se estenderá até 2013, já que ele ocupará o cargo após a renúncia de Marcos Aurélio Fernandes, que deixou a presidência da escola e se tornou diretor de carnaval da Lesga. Edvaldo fez questão de afirmar que não há nenhuma rusga entre o ex-presidente e Leziário Nascimento.

– O Marquinhos saiu porque estava procurando um novo desafio. Nós entendemos e aceitamos perfeitamente isso. Não ficou nenhuma rusga, nenhum resquício de mágoa. É claro que não é algo que acontece todos os dias, mas tomamos todas as providências. Comunicamos a todas as pessoas que poderiam se candidatar e o único interessado foi o Leziário. Posso te falar que ele já é novo presidente da escola, neste sábado isso será oficializado – disse Edvaldo. Vale lembrar que o estatuto da escola determina que, para cumprir ''mandatos tampões'', como este, apenas ex-presidentes podem se candidatar.

Apesar de algumas críticas sofridas após o anúncio do enredo sobre Luma de Oliveira, Edvaldo confirmou que será este mesmo o enredo e que a modelo ficou muito contente com a notícia. Outras informações confirmadas pelo diretor de carnaval dão conta de que não haverá patrocínio para o desenvolvimento do tema e que os segmentos da escola teriam reagido muito bem à escolha.

Com relação ao cargo de mestre-sala, vago depois da saída de Marcinho para a Unidos do Viraduro, Edvaldo garantiu que já existem conversas adiantadas com um profissional, mas preferiu não revelar a identidade dele, prometendo fazer isso no início da próxima semana. A porta-bandeira Alcione e os demais profissionais da Estácio de Sá serão mantidos, de acordo com ele.

Terceira colocada nos últimos dois Carnavais, a Estácio de Sá está no Grupo de Acesso desde 2008, quando ficou em sétimo lugar. Presente em todos esses desfiles, Edvaldo Fonseca lembra que tem faltado um olhar mais apurado dos jurados com a Vermelho e Branco.

– Não dá para entender. Ganhamos o Estandarte de Ouro em dois anos seguidos(2009 e 2010) e tiramos quinto e terceiro lugares respectivamente. Este ano, fomos terceiro de novo. O júri do Estandarte é formado por pessoas que entendem de Carnaval, tem alguma coisa que não bate com os jurados- opinou.

Depois que subiu para a elite do Carnaval carioca pela primeira vez, em 1968, o maior tempo que a escola do morro de São Carlos ficou nos Grupos de Acesso foi no período entre 1998 e 2006, chegando a estar no Grupo B em 2005. Ao todo são oito títulos de Grupo de Acesso em sua história e um de Grupo Especial, em 1992.