Edson Pereira e João Vitor rechaçam rivalidade e fazem grito de alerta sobre situação de barracões na Série A: ‘Insalubres’

Duas escolas despontam como potenciais candidatas ao título do carnaval da Série A em 2018. Unidos do Viradouro e Unidos de Padre Miguel. Dois profissionais que trilharam caminhos parecidos estão em lados opostos. Edson Pereira, agora na vermelha e branca de Niterói, e João Vitor Araújo, recém-contratado para o lugar do amigo na agremiação da Vila Vintém. Eles participaram de um debate no stand do site CARNAVALESCO, em parceria com a Boutique e Bar Sempre Vila, no segundo dia da feira Carnavália-Sambacon no Centro de Convenções Sul-América.

carnavalia2017_dia2_01
Fotos: Allan Duffes

Um dos temas tratados na conversa foi o crescimento de uma suposta rivalidade entre eles no duelo pelo título da Série A. João descarta totalmente essa possibilidade e conta que um liga para o outro assim que surgem situações que suscitem margem para polêmicas.

carnavalia2017_dia2_03– O que sou como artista hoje devo muito ao Edson, pois foi ele quem me deu minha primeira oportunidade no carnaval. É um cara fantástico que representa muito dentro da Unidos de Padre Miguel. Não há rivalidade entre a gente e jamais haverá. Sempre que necessário nos falamos diretamente para evitar qualquer tipo de situação polêmica – revela João Vítor.

– Minha relação com João vai muito além do carnaval, somos amigos desde que trabalhamos juntos na Renascer. Eu acho que a Unidos marcou um gol de placa em contratar o João, um artista fabuloso e tenho certeza que os desfiles de alto nível da escola seguirão com sua assinatura, pois agora ele poderá de fato mostrar todo o seu valor – derrete-se o colega Edson.

À margem de eventuais rusgas entre os dois fica a periclitante situação dos barracões da Série A. Agremiações que trabalham em ambientes completamente inadequados e outras que sequer possuem um local para trabalhar o seu carnaval. João revela que a situação é caótica.

– A verdade é que as condições são insalubres. Não há as condições mínimas de trabalho na maioria dos barracões da Série A e alguém precisa olhar por essas escolas. O que aconteceu no barracão da Renascer é fruto desta falta de condições. Na Unidos há uma condição de trabalho graças ao empenho da escola, mas ainda longe do ideal – denuncia João.

carnavalia2017_dia2_02Edson Pereira comentou sobre a dificuldade de se fazer carnaval na Série A e da eventual vantagem financeira que possuem Unidos de Padre Miguel e Viradouro no desfile do ano que vem.

– Nem sempre o dinheiro garante a sua vitória. É preciso ter um trabalho forte de gestão mas não apenas financeira. A Viradouro se reestruturou para voltar a ser competitiva. A diferença entre a Série A e o Especial é muito grande e só faz aumentar a cada ano – revela.

João lembrou sua passagem pela Viradouro e festejou o fato de a escola ter mudado de gestão. Ele contou que o legado de Edson Pereira na Unidos o deixa com a responsabilidade ainda maior.

– Minha passagem pela Viradouro foi muito motivadora para mim, pois eu fiz muitos amigos na escola. Ocorre que naquele período a antiga gestão achava que poderia colocar um carnaval no Grupo Especial na base do improviso e não é assim que funciona. Que bom que hoje a Viradouro vê o desfile de forma mais profissional. Cheguei na Unidos com um legado de trabalhos incríveis do Edson e para continuar no seu padrão terei de trabalhar muito – finaliza.