Eleição é suspensa no Império Serrano e escola terá que recadastrar sócios

 

 

A confusão segue formada no Império Serrano. Na madrugada de domingo, o presidente do Conselho Deliberativo da escola, Cosme Chagas, conseguiu uma liminar suspendendo a eleição, que aconteria no domingo. Em até 30 dias, uma nova data será marcada para eleição presidencial. Nesse período será feito um recadastramento de sócios. Jener Tonasso informou que a situação vai recorrer e tentar cassar a liminar, mas o pedido ainda não foi feito. Um oficial de justiça foi o responsável pelo comunicado e a quadra ficou com o portão fechado.

Enquanto nada é resolvido, o Império Serrano não consegue uma solução para amenizar seu drama. A escola está na Série A e longe dos seus dias de glórias. Participaram do pleito três candidatos: Vera Lúcia, Luciano Varge e Marquinho Passista.

Segundo a oposição, a gestão de Átila Gomes ainda não prestou contas de sua administração. Em entrevista ao CARNAVALESCO, a ex-presidente e atual candidata Vera Lúcia Correa de Souza pediu lisura no processo eleitoral. – Eles (oposição) não prestaram as contas da escola nos três anos de mandato. Quero um pleito justo e com lisura – disse a candidata.

Para o advogado do presidente do Conselho Deliberativo, Everton Jordão, a situação aumentou irregularmente o quadro de sócios. – O presidente Átila diz que aumentou o quadro de sócios, mas não prestou contas – afirmou.

Comente: