Em clima de indecisão, União da Ilha escolhe hoje o seu samba para 2016

A União da Ilha dará mais um passo rumo ao carnaval 2016 neste sábado, quando escolherá o hino oficial para o seu desfile sobre as Olimpíadas. Com o enredo ‘Olímpico por natureza. Todo mundo se encontra no Rio…’, a agremiação recebeu 15 sambas concorrentes e a disputa chega  hoje ao seu término com quatro parcerias finalistas. A quadra da escola abre às 20h. A noite se iniciará com o tradicional show dos segmentos da escola, por volta das 22h30. A apresentação das parcerias finalistas deve começar após 00h30 e o anúncio do resultado está previsto para 4h30 da manhã.

* OUÇA AQUI OS SAMBAS FINALISTAS

* LEIA AQUI: Luis Carlos Magalhães comenta sobre os sambas finalistas da União da Ilha

Ito Melodia cantará os quatro sambas durante a final

Assim como fez Igor Sorriso na final da Vila Isabel, Ito Melodia, intérprete da União da Ilha, irá cantar os quatro sambas. Cada obra terá 40 minutos de apresentação. Os primeiros 10 minutos serão com os cantores da parceria, os outros 10 apenas com o canto da torcida, mais 10 na voz de Ito Melodia e, por fim, 10 minutos novamente com os cantores. Ito já ensaiou com a bateria de Mestre Ciça, que criou bossas especiais para cada samba finalista.

* LEIA AQUI: Compositores da União da Ilha contam o que esperam para final de samba

O enredo da Ilha para 2016 tem como proposta resgatar a alegria e a “carioquice” da escola dentro da homenagem aos Jogos Olímpicos do próximo ano. Os carnavalescos Paulo Menezes e Jack Vasconcellos utilizaram na sinopse trechos do samba de 1977 da tricolor, “Domingo”. – É uma exaltação à carioquice, ao jeito despojado do carioca. Os Deuses do Olimpo virarão autênticos moradores daqui – afirmou Paulo. A proposta dos carnavalescos também aborda esportes olímpicos, como pontua Jack: – O carioca ama praticar esportes e isso estará também em nosso desfile.

* LEIA AQUI: Internautas apontam parceria de Marquinhos do Banjo favorita para vencer na União da Ilha

O presidente da Ilha, Ney Fillardi, acredita que os compositores devem buscar novas soluções para as suas obras, uma vez que os últimos sambas da Ilha não conquistaram boas notas. Ele afirmou, ainda no início da disputa, esperar sambas com a alegria característica da escola. – Espero que nossos poetas construam um samba alegre, que tenha a cara da escola. A sinopse foi muito bem construída pela nossa dupla de carnavalescos. A União da Ilha não tira a nota máxima em samba há muitos carnavais. As fórmulas recentes não deram certo – disparou.
 
“Ainda estamos em dúvida sobre a escolha do samba”, afirma diretor de carnaval

O diretor de carnaval da Ilha, Marcio André, afirmou que a escolha ainda não está fechado. Segundo ele, toda a escola está bem dividida e qualquer uma das quatro parcerias pode conquistar a vitória. – A expectativa é de uma disputa muito acirrada. O público que for à quadra da Ilha pode esperar uma grande festa. O presidente optou por levar quatro sambas para a final porque ainda está com muita dúvida. Isso é sinal da qualidade das obras. Todos os quatro são muito bons e poderiam representar a Ilha no carnaval, mas, infelizmente, só um pode ser escolhido. Não há muita possibilidade de junção.

A exemplo da Vila Isabel, que, após a escolha do seu hino oficial para 2016, realizou diversas alterações na obra, a diretoria da Ilha também irá se reunir com os compositores da parceria campeã após a final para acertar essa questão. – Segunda-feira nós vamos fazer uma reunião de toda a direção com os compositores, e pode ser que aconteçam mudanças na letra, não sabemos ainda.
 
Marcio destacou a preparação da agremiação insulana para o próximo carnaval. Ele lembrou que a posição de desfile, segunda de domingo, “não é das mais favoráveis”, mas ressaltou que a escola tem tudo para fazer um grande desfile e driblar esse problema. – A Ilha tem um grande planejamento de carnaval. É uma escola organizada, está sempre com os trabalhos adiantados. O nosso projeto esse ano é muito bom, os carnavalescos tiveram grandes ideias. Será um desfile pra impactar o público, um grande espetáculo. Vamos torcer para que os jurados entendam dessa forma também.

Compositores relatam suas expectativas para a final e apontam o diferencial de suas obras

O site CARNAVALESCO conversou com representantes das quatro parcerias finalistas, que falaram sobre suas expectativas para a final e adiantaram alguns de seus preparativos para a noite.  Eles contaram fatos inusitados do processo de composição e destacaram seus trechos prediletos nos sambas.

Marinho, compositor da parceria com Marinho, Felipe Mussili, Fernando Português, Rogério da Mata e Mosquito, elegeu o refrão do meio de seu samba como seu trecho predileto na obra. Ele contou que o processo de composição foi bem “lento” e “demorado”, embora tenha sido “um enorme prazer”.

– A gente se reunia várias noites, ficávamos até 3h, 4h da manhã compondo. Aí a gente se empolgando, ia tendo ideias, cantando, falando alto, e aí os vizinhos reclamavam. Eu já era amigo de alguns da parceria e outros fui conhecendo agora. Essa é a graça de fazer samba, a gente acaba formando uma grande amizade. Na nossa parceria só o Mosquito vive de samba, o resto são apenas amigos que fazem samba por prazer, como “hobby”.

Marinho adiantou que a parceria irá trazer cerca de 600 pessoas na torcida na final, além de bandeiras e outros adereços tradicionais. O compositor contou que ele e seus parceiros tem uma estimativa de gastos de 60 a 90 mil em toda a disputa. Apostando na força de seu samba, que, em sua visão, “é poético e, ao mesmo tempo, empolgante”, Marinho citou um verso do refrão de sua obra como a manchete que sonharia em ver no site CARNAVALESCO após a final: “Acendeu a chama da família insulana”.
 
O compositor Cadinho, da parceria com Lobo Junior, Tuninho, Rony Sena, Felipinho Lopes, Rafael Nogueira, Maneco Alves e Jorginho JB, afirmou que a melhor parte de seu samba é a que homenageia o carioca, com os versos “O carioca é legal, maneiro/ malandro, bacana, sagaz, parceiro”. Cadinho contou também que o processo de composição da obra aconteceu de forma inusitada.

– Eu e meu amigo, Lobo Junior, nós íamos concorrer em parcerias diferentes. Ele tinha uma parte da letra dele pronta, e eu tinha uma parte da minha. Aí decidimos juntar as partes de cada um e vimos que deu certo. Apresentamos para os carnavalescos, que disseram que estava tudo dentro do enredo, e depois fomos fazendo a melodia e juntando a galera toda da parceria.

Cadinho disse que sua parceria gastou em torno de 20 mil em toda a disputa e prometeu fazer uma “grande festa” na final, com bandeiras, pirulitos, balões de gás e uma torcida de aproximadamente 400 pessoas. O compositor, que já havia sido campeão na Ilha em 2012, ressaltou que sua parceria é composta de pessoas jovens, que, em sua maioria, nunca ganharam samba em alguma agremiação. Por isso, Cadinho sonha em ver no site CARNAVALESCO uma manchete que diga: “Eis que surgem novos campeões na União da Ilha”.

Marquinhos do Banjo, compositor na parceria com Cap. Barreto, Miguel, Roger Linhares, Paulo Guimarães, Dr. Robson, Jamiro Faria e Gugu das Cadongas, destacou a ‘cabeça do samba’ como sua parte preferida na sua composição. Ele destacou que a parceria procurou fazer uma obra com “leveza”.

– A gente fez muitas reuniões. O ‘corpo’ do samba ficou pronto em 20 dias. Depois, nós fomos lapidando a obra, fazendo alterações. A gente se preocupou em fazer uma obra bem calcada na proposta dos carnavalescos, no que estava escrito na sinopse. É um samba com a cara da União da Ilha.

Marquinhos revelou que a parceria gastou em torno de 80 mil ao longo da disputa e que deve investir bastante em torcida na final, embora espere que “a comunidade da escola venha e abrace o samba também”. – A gente tá montando todo um esquema com torcida, que é fundamental você trazer nas disputas atuais. Devemos levar umas 600 pessoas e vamos trazer muitas bolas, bandeiras, fazer um verdadeiro show – disse Marquinhos, que gostaria de ver no site CARNAVALESCO, após a final, a manchete: “Comunidade abraça o samba da União da Ilha”.

Bicudo, compositor da parceria de Beto Mascarenhas, Carlos Caetano, J. A., Leozinho, Myngal e Marcos Moreno, acredita que o seu samba é o mais adequado para a posição de desfile da União da Ilha, segunda de domingo. Ele destacou que a parceria se preocupou em fazer uma obra “leve” e “curta” e fez questão de destacar a boa aceitação que o samba teve pela comunidade da Ilha ao longo da disputa.

– Nosso samba tem tudo a ver com o enredo é o ideal para a posição de desfile da escola porque é animado e é curto, não corre o risco de arrastar. Foi um samba muito bacana de fazer, nós nos reunimos umas 10 vezes e, mesmo quando não podíamos nos encontrar pessoalmente, falávamos por Whatsapp e Facebook. Graças a Deus, a tecnologia tem tornado essas coisas possíveis.

O compositor teceu críticas aos altos custos do atual modelo de disputa de samba, afirmando que tem se tornado mais difícil levar torcedores para as quadras devido ao preço dos ingressos. – Nós devemos levar umas 300 pessoas na final. A maioria são amigos da parceria, pois hoje em dia, com os ingressos caros, está difícil levar as pessoas. Gastamos —- . Felizmente, nosso samba tem sido abraçado pela comunidade e é o preferido de quem realmente é sambista na Ilha – afirmou Bicudo, que, por conta disso, quer ver no site CARNAVALESCO, após a final, a seguinte manchete: “Ganhou o melhor samba na Ilha”.

SERVIÇO

Data: 10/10 (sábado)

Horário de abertura da quadra: A partir das 20h

Início do show dos segmentos: 22h30

Apresentação dos finalistas: após 00h30

Previsão de anúncio do resultado: 4h30

Endereço: Estrada do Galeão, 322 – Cacuia

Táxi Centro: Cerca de R$ 52,00

Táxi Tijuca: Cerca de R$ 60,00

Táxi Zona Sul: Cerca de R$ 65,00