Em final a céu aberto e sem luz na quadra, Salgueiro firma o tambor e consagra a parceria de Xande de Pilares para o Carnaval 2018

Por Guilherme Ayupp, Geissa Evaristo, Daniela Safadi, Philipe Rabelo e fotos de Vinicius Vasconcelos

salgueiro_11101788O Salgueiro leva a marca de ser uma escola diferente em seu slogan e quem diria que na final de samba-enredo para o Carnaval 2018 a escola sofreria com um apagão e teria que fazer sua escolha a céu aberto na Vila Olímpica. E isso aconteceu na noite de quarta-feira para quinta-feira. Por volta de 0h58, a quadra ficou totalmente sem energia elétrica por um transformador ter queimado na rua, segundo a presidente da escola.

Após duas longas horas de espera, o evento foi transferido para o lado de fora da quadra e com 20 minutos de apresentação para cada um dos três finalistas. A consagração chegou para a parceria de Xande de Pilares, Demá Chagas, Dudu Botelho, Renato Galante, Jassa, Leonardo Gallo, Betinho de Pilares, Vanderley Sena, Ralfe Ribeiro e W Corrêa. Coincidência que no ano do Salgueiro olhar para suas origens africanas em seu enredo, a escolha do samba ter seu ápice no chão de terra batida, solo sagrado que deu origem a várias escolas de samba. O enredo ‘Senhoras do Ventre do Mundo’ será desenvolvido pelo carnavalesco Alex de Souza, estreante na agremiação.

A vitória da parceria que levou para casa o troféu D´Samba/CARNAVALESCO reconduz o trio Dudu Botelho, Xande de Pilares e Demá Chagas para galeria de grandes campeões da Academia. É a terceira conquista do cantor na sua escola de coração (2014, 2015 e 2018). Dudu Botelho assina seu quinto samba no Salgueiro (2007, 2008, 2011, 2014 e 2018). Demá Chagas, que se uniu à parceria neste ano, vence pela sexta vez (1989, 1990, 1993, 1994, 1999 e 2018), iguala-se a Marcelo Motta e Djalma Sabiá e supera um jejum de 19 anos sem uma vitória. Betinho de Pilares e Jassa já venceram juntos quatro vezes.

salgueiro_11101794

A apresentação dos campeões foi de fato a mais competente da madrugada. Comandados por Emerson Dias, Luizinho Andanças e Leozinho Nunes, o time de cantores realizou uma apresentação próxima da perfeição. Os refrões da obra funcionaram muito bem e a presidente Regina Celi caiu no samba junto dos compositores. Uma torcida extremamente numerosa deixou o chão da Vila Olímpica pequeno para tamanha alegria. Favorita, a parceria confirmou com sua apresentação que a escolha salgueirense foi acertada.

salgueiro_11101792Um dos mais extasiados com a vitória era Demá Chagas. Experiente e vencedor o poeta amargava um jejum incômodo de conquistas que já durava quase duas décadas. Ele compara a nova conquista ao nascimento de seu primeiro filho.

– Acho que é uma emoção igual a colocar um filho no mundo. Essa é minha sexta vitória, mas eu não ganhava no Salgueiro desde 1999. Eu acredito que em uma disputa tão acirrada como foi essa nossa o que fez o nosso samba ser escolhido foi o fato de termos construído uma obra para a escola e não para a gente. Respeitamos a sinopse e o estilo do Salgueiro e conseguimos essa suada conquista – derreteu-se.

salgueiro_11101767Xande dedicou a vitória para o parceiro Demá Chagas.

– Esse samba na realidade é para o meu ídolo Demá Chagas. Quando eu era moleque o admirava e hoje tive o prazer de ganhar um samba com ele. Ninguém vive sem mãe, quando a mãe vai embora, a gente sente falta dela. Essa homenagem é linda demais. Acredito que o trecho que vai “pegar” na Avenida será: ‘é mãe, é mulher…’.

Pentacampeão, Dudu Botelho enalteceu a força da comunidade que abraçou a obra vencedora.

– O importante é que o resultado final sempre é o mesmo. Nunca venci um samba que tivesse desagradado o chão do Salgueiro. A escola teve uma safra boa porque o enredo chamava essa safra boa. O que definiu a nossa vitória foi com certeza a quinta-feira da comunidade. Se for pra ganhar, que eu ganhe assim sempre. Sou totalmente apaixonado pela segunda do samba. O refrão do meio é bonito, é forte, arrepia. O retrato do sentimento desse enredo.

salgueiro_11101777

Os compositores Betinho de Pilares e Jassa também dedicaram a conquista aos amigos.

salgueiro_11101785– Todo mundo fez tudo, a parceria é uma só, todo mundo faz tudo e ajuda todo mundo. Vamos em frente com essa parceria. O Xande merece – contou Betinho.

– A emoção é enorme de você ganhar pela quarta vez um samba na sua escola de coração. Gostaria de aproveitar e parabenizar toda a ala de compositores do Salgueiro, que esse ano construiu grandes obras. O enredo é maravilhoso. Ele exalta a mulher, que por si só a gente tem que ter um carinho, porque nós vivemos numa sociedade machista. Exaltar a mulher já é o diferencial, principalmente, a mulher negra. Isso particularmente me tocou – complementou Jassa.

Regina Celi classifica disputa como melhor de sua gestão e se diz ‘arrasada’ com suspensão de ensaios técnicos

A presidente do Salgueiro atendeu a reportagem do CARNAVALESCO na grande noite da escolha do samba. Regina Celi disse que considerou o concurso para o Carnaval 2018 o melhor de sua trajetória como presidente da Academia do Samba.

salgueiro_11101783– Acredito que tenha sido o melhor concurso de samba-enredo no Salgueiro desde o início da minha gestão na escola. Em termos de letra e melodia recebemos obras belíssimas. Meu coração fica apertado em ter de escolher apenas um. É como acontece no desfile, onde apenas uma escola sai vencedora – destacou.

Sobre o fim dos ensaios técnicos, Regina se diz entristecida se o cancelamento se confirmar e revela ser um golpe duro no coração de todos os sambistas.

– Eu particularmente estou arrasada. Como sambista lamento muito essa suspensão. Mas sou otimista e vou torcer muito para que isso seja revogado. Eu gosto de ir aos ensaios de todas as escolas pois amo carnaval – opina a presidente salgueirense.

salgueiro_11101725Regina rechaça que o Salgueiro esteja em condição financeira muito superior às outras escolas. Mas aceita que a pressão para o campeonato exista na escola.

– A obrigação existe, mas por ser o Salgueiro. Não porque somos mais ricos que A ou B. Quem acha isso convido para passar um mês comigo e ver como lutamos para guiar essa escola. Agora eu particularmente me sinto obrigada a botar carnaval para vencer sempre – garante Regina.

Todo ano muitas especulações dão conta do samba preferido da presidente. Ele defende que como salgueirense possa ter maior simpatia por uma obra, mas garante que isso não compromete sua decisão em prol da escola e adianta que no concurso deste ano não torceu especialmente por nenhuma composição.

salgueiro_111017119– Não acho pecado, afinal, sou uma salgueirense como qualquer outra pessoa aqui da escola. Mas não misturo minha preferência pessoal com meu cargo de presidente. Esse ano me mantive isenta em todas as etapas da disputa e só iria votar se houvesse empate na votação final – afirmou Regina.

Sem contar com a presença do casal Renato e Márcio Lage depois de 16 carnavais, Regina foi buscar o talento de Alex de Souza no sonho de conquistar o décimo campeonato salgueirense. A presidente se diz impressionada com o seu novo contratado.

– Estou encantada com o talento do Alex de Souza. Já temos as nossas fantasias em fase de reprodução dos protótipos. O projeto é belíssimo. Todo salgueirense vai ficar tão orgulhoso quanto eu fiquei ao ver o trabalho desse craque. Vamos vir novamente belíssimos na avenida – finalizou.

Apagão gera quase duas horas de tensão

Não é surpresa para ninguém que o Salgueiro recebe todo mundo com grandes espetáculos em sua quadra. Não à toa que é a mais badalada do Rio há alguns anos. A Rua Silva Teles esteve abarrotada nesta véspera de feriado. Uma mistura de ritmos antes da disputa final empolgou os presentes. Entretanto, a alegria deu lugar à tensão quando um apagão deixou a quadra às escuras enquanto a escola iniciava seu tradicional show.

salgueiro_11101713

O que em um primeiro momento foi uma demonstração de força de sua comunidade, foi se transformando em preocupação e tensão. Sem retorno da energia a final esteve ameaçada de não acontecer. A Light foi chamada para tentar solucionar o problema, mas a energia só voltou depois das 4h. Com as pessoas se dispersando rumo à Vila Olímpica foram quase duas horas até a escola decidir chamar uma empresa de som e fazer a final ali mesmo.

salgueiro_111017125– Quero deixar bem claro que o que aconteceu foi na rua, não teve nada a ver com a nossa quadra. Foi um problema da Light, do lado de fora. A partir disso, começamos a pensar o quer iríamos fazer, se iríamos cancelar ou não a disputa, se iríamos fazer este dia. Junto com a equipe da Liesa, a presidente e eu optamos por trazer um carro de som pra continuar a festa porque achamos que o público não pode ser desfavorecido. Como vocês viram, começamos nosso show de apresentação da escola com a quadra lotada e do nada apagou a luz. Pensamos no sambista. Poderíamos ter feito a final hoje de manhã, com a quadra aberta, no sábado, na sexta ou em qualquer outro dia, mas optamos em não deixar o evento parar. Pensamos no nosso público, as pessoas que gostam do samba e tomamos essa decisão em conjunto – explicou Alexandre Couto, diretor de carnaval do Salgueiro.

O diretor de carnaval salgueirense revelou que os ensaios de rua começam no dia 19 de outubro.

– Serão todas as quintas. Agora com o samba escolhido, os ensaios de rua começam já na próxima quinta.

Bateria mantém ritmistas

salgueiro_11101758Experiente, mestre Marcão revelou que não fará mudanças no número de ritmistas para 2018.

– São 270. Agora tem que zerar tudo. Eu sempre faço isso com a rapaziada ‘zerou e vamos começar tudo de novo’.

O trio de cantores Tuninho Junior, Leonardo Bessa e Hudson Luiz já está totalmente entrosado para o desfile do ano que vem.

– Temos um carro de som altamente gabaritado com intérpretes de apoio que poderiam ser oficiais e a gente fica muito feliz de poder fazer parte porque é um trabalho em conjunto. Uma andorinha só não faz verão – conta Bessa.

salgueiro_111017121

– É muita emoção estar aqui, porque eu vim de berço do Salgueiro, sou cria do Salgueiro. Comecei no Aprendiz e eu devo muito a essa escola – afirmou Tuninho.

Hudson revelou que não conseguiu nem dormir antes da final de samba. – É a minha primeira final como cantor oficial do Salgueiro. Tudo isso tem uma atmosfera bem gostosa de sentir essa coisa, essa ânsia de conhecer o samba campeão logo. A gente está muito feliz porque é um carro de som muito técnico que apostamos muito, tem grandes cantores.

Viviane Araújo volta depois de 2 meses longe

salgueiro_11101712Depois de dois meses afastada da quadra a rainha de bateria da Furiosa, Viviane Araújo retornou com um vestido vermelho todo franjado bem decotado e curto. A atriz tocou tamborim no palco da bateria comandada por mestre Marcão e depois sambou de chinelo e descalça na Vila Olímpica. É claro que foi muito clicada pelas lentes presentes.

– Não consegui acompanhar essa disputa de perto, como gostaria devido ao meu trabalho. Estou com a peça em cartaz aos fins de semana em São Paulo, não consigo vir à quadra. Estou muito feliz da final ser em um dia de semana, véspera de feriado, que aí pude vir. Já estava com muita saudade. Foram só dois meses longe, mas parece que foi uma eternidade. Estou muito emocionada de estar aqui hoje – disse Vivi com os olhos marejados.

80 pontos casal do Salgueiro é uma das referências do carnaval

salgueiro_111017116Nota máxima pelo segundo ano consecutivo, o casal de mestre-sala e porta-bandeira, Sidclei e Marcela Alves, já trabalha forte visando 2018.

– Com a Marcela me reinventei em vários sentidos. Não tivemos intervalo, estamos ensaiando desde o fim do último carnaval duas vezes na semana, em novembro passaremos para três e a partir de dezembro, diariamente incluindo fantasia. Sou igual a jogador de futebol, tenho que fazer gol para o povo. A cobrança maior pela nota 40 é do torcedor salgueirense – garantiu o mestre-sala.

Marcela frisou que a dupla já conversou bem com o carnavalesco Alex de Souza.

– Antes de desenhar nossa fantasia, o Alex de Souza conversou com a gente pra saber o que a gente gostava ou não, o que atrapalhava ou não. Não precisamos convencê-lo do que não funcionava. Isso é sensacional. Hoje olho o figurino e não vejo como uma simples fantasia.

Análise das outras apresentações:

salgueiro_11101744Parceria de Rafa Hecht: Uma apresentação para encher de orgulho os estreantes compositores. Pela primeira vez em uma final, não se intimidaram com os poderosos adversários e com uma passagem leve e divertida o samba cumpriu um bom papel na final. A torcida era a menor dos três finalistas, mas a mais aguerrida. Brincaram carnaval durante os vinte minutos de apresentação e deram nome e sobrenome no Salgueiro.

Parceria de Antônio Gonzaga: Apontada por muitos como uma das favoritas na grande decisão, a parceria não conseguiu manter o rendimento durante todo o tempo. Mesmo com um palco comandado por Tinga, acostumado a transformar sambas nas quadras, a obra não conseguiu cativar o público, a não ser a própria torcida.

O Salgueiro será a quarta escola a desfilar na segunda-feira de carnaval com o enredo ‘Senhoras do Ventre do Mundo’, de autoria do carnavalesco Alex de Souza. A vermelha e branca persegue seu décimo título no Grupo Especial em 2018.