Em linda festa, samba da parceria de Marcelo Motta vence disputa do Salgueiro para o Carnaval 2013

A comunidade falou mais forte no Salgueiro e foi fundamental para a parceria de Marcelo Motta, João Ferreira, GE Lopes e Thiago Daniel vencer a disputa de samba-enredo para o Carnaval 2013, que terá a fama como enredo. Como de praxe na escola, a presidente Regina Celi revelou os votos dos segmentos aos sambas finalistas. Os campeões ganharam votos da comunidade e de mais 21 segmentos, entre eles, bateria e a própria presidência. Integrantes da Revista Caras, que apoia o enredo salgueirense, votaram na obra de Moisés Santiago e parceiros. A parceria de Demá Chagas recebeu 1 voto do segmento do Salgueiro.
 

* Clique aqui e veja o vídeo do samba já com os cantores oficiais

O público lotou a quadra do Salgueiro para mais uma final de samba-enredo. No esquema de sambas antigos e etc, a disputa só começou mesmo às 2h da madrugada. O resultado saiu depois das 5h. Durante a final, a presidente Regina Celi disse que existia a possibilidade de junção e era muito forte que isso aconteceria, mas a apresentação da parceria de Marcelo Motta foi arrebatadora. A própria presidente mostrou que era o seu samba predileto. A mesma coisa aconteceu com a bateria e os convidados presentes no camarote presidencial.


* Clique aqui para ouvir o samba do Salgueiro para o Carnaval 2013
 

– Vou imitar o Galvão Bueno: É tetra, é tetra. Eu sou o cara mais feliz do mundo. Essa parceria foi feita de uma hora para outra. O samba samba foi todo composto em três dias, mas foi muito tranquilo – disse o compositor Marcelo Motta, em entrevista para o site CARNAVALESCO. Ele ainda apontou sua parte preferida no samba. – A parte que gosto bastante é o refrão e o início. Acho que marca bastante. Marcelo Motta ainda falou das diferenças dos sambas de 2012 para o de 2013. – São propostas de sambas diferentes. O do ano passado era muito rico e o desse ano ele é mais alegre e irreverente. Esse samba será um sucesso na Avenida, eu tenho certeza.
 

O diretor de Harmonia, Dudu Azevedo, ressaltou a importância dos ensaios antes da final com a comunidade cantando os sambas. – Já começamos o trabalho com a comunidade devido ao carnaval ser mais cedo. Queremos ter nossa comunidade junto da escola. Os ensaios foram muito produtivos. Tivemos dois ensaios antes desse último antes da final que foram prefeitos. A comunidade cantando muito o samba que ela queriam. O samba que eles cantaram mais foi realmente o que votaram nas cédulas. Isso é muito bom. O salgueirense cantando o samba que ele quer. Vamos melhorar isso cada ano – explicou.


* Clique aqui e veja fotos da final


Regina Celi, presidente do Salgueiro, disse como aconteceu o contato com a Revista Caras e o enredo de 2013. – Não foi pedido nada do nosso patrocinador. Nós convidamos a Caras por estar fazendo 20 anos e como uma revista de peso tem muito respeito. Com isso, queríamos fazer um enredo sobre a fama e a Caras arrumou parceiros para fazer o carnaval do Salgueiro. As críticas são boas. Isso ajuda o Salgueiro a fazer um espetáculo ainda mais bonito na Avenida. Não é demagogia com as co-irmãs mas eu gosto de fazer carnaval e vou provar que o espetáculo depende até de patrocínio, principalmente, se tratando do carnaval do Salgueiro que é muito grande – afirmou.


Como foram as apresentações dos finalistas


Primeiro samba finalista a pisar na quadra do Salgueiro, a obra de Moisés Santiago e parceiros levou 'um mar' de bandeiras para torcida. O principal ponto de destaque do samba estava no refrão do meio com "Tira a máscara pra mim". A torcida fez sua parte durante todos os 30 minutos de apresentação cantando sem parar, mas o restante do público ficou apenas observando.
 

Segunda obra da noite, a parceria de Marcelo Motta foi demolidora. Foi bonito ver que todos os segmentos já sabiam o samba na íntegra. Destaque para o refrão principal: 'Tá na capa da revista". Finalizando o evento, a parceria de Demá Chagas apenas cumpriu seu papel de finalista, mas não conseguiu interagir com o público.
 

Leonardo Bessa, um dos intérpretes do Salgueiro, ressaltou a importância do samba-enredo para o sucesso do desfile. – A gente já vem há três semanas junto com a comunidade cantando os sambas. Estamos prontos para cantar qualquer samba. O samba-enredo é 50%, leve em consideração que em 93 nós vencemos o campeonato praticamente devido um samba, daí a importância deste quesito para o dia do desfile – disse.


Já com o samba-enredo escolhido, o casal de mestre-sala e porta-bandeira, Sidclei e Gleice Simpatia contou como será a rotina da dupla. – A partir da escolha do samba, nós começamos a montar a coreografia e vamos ensaiar durante três vezes por semana e depois com o carnaval se aproximando os ensaios vão aumentar – disse Gleice. O mestre-sala revelou que os casais precisam desfilar com pouco peso. – O Renato (Lage, carnavalesco) já conversou, mas estamos fazendo segredo (risos). O Lage conversa com todos na escola e escuta muito as pessoas, isso ajuda muito. Todos os casais viraram atletas para aguentar durante a Avenida. Academia, alimentação balanceada e muitos ensaios. A nossa coreógrafa faz trabalhos físicos e respiratórios com a gente entre outras coisas.


Mestre Marcão disse que para o Carnaval 2013, a bateria do Salgueiro vai passar com 147 ou 148 batidas por minutos (BPM). – Não temos como baixar disso senão irá arrastar. O samba puxa. Terei mais ritmo do que bossa, mesmo gostando muito de bossas. Porém, eu preciso pensar na escola e o ritmo ajuda no desfile. Já temos bossas preparadas para o desfile, agora é reforçar os ensaios.

Comente: