Emocionada, coreógrafa da Renascer compara luta da escola com a vida de Romero Britto

 

O desfile no grupo especial foi um sonho realizado para a coreógrafa da Renascer de Jacarepaguá Alice Arja. Muito feliz pela apresentação que, segundo ela, aconteceu sem problemas a responsável pela Comissão de Frente conta como foi o desfile.

-O ponto mais alto da noite para mim foi desfilar. Há 13 anos espero por esse momento, que é ver a Renascer desfile no Grupo Especial e ainda estamos estraiando a Sapucaí. A Renascer veio para ficar – diz emocionada.

A Comissão de Frente conta a história da infância pobre de Romero Britto e como foi a "descoberta" do mundo das artes. Alice chega a comparar a história da artista com a dos componentes da agremiação.

 

-Esse desfile foi um presente que ganhei de Romero. Tentei passar da vida de Romero que era pobre e só começou a pintar porque ganhou um livro do irmão, quando tinha 9 anos. É importante ele ser reconhecido, pois muitas pessoas se identificam com ele. Cerca de 80% dessa Comissão é composta por pessoas que iniciaram a vida artística em projetos sociais. Essa luta é o nosso talento – contou.

Muito aplaudida pelo público, a coreógrafa mantém os pés no chão e conta pelo que passou para chegar a apresentação de hoje.

– Nossa dificuldade maior é acreditar nas escolas que estão subindo. Chegamos com pouca subvenção, mas tabalhamos duro – explicou Alice, sem deixar de destacar que a criação da apresentação foi acompanhada por Romero Britto.

– Não tivemos falhas e fomos muito apladidos – finalizou.