Enredo, samba e intérprete são destaques no desfile do Engenho da Rainha

Por Yuri Neri. Fotos: Allan Duffes

engenho_desfile_28022017dsc_0417-copyPenúltima escola a desfilar pela Série B, o Engenho da Rainha levou para Intendente Magalhães o enredo “Deixar Falar: O que é que há? Academia do Samba, hoje, sou Estácio de Sá”, de autoria dos carnavalesco Rodrigo Marques e Guilherme Diniz.

Comissão de Frente

A Comissão de Frente da escola veio com lindas fantasias representando a malandragem. Uma boa teatralização, com uma pequena falha na execução da dança – uns mais lentos e outros mais ágeis – mas nada que comprometa a boa qualidade da comissão. Criativa, soube apresentar bem o enredo.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O casal Paulo Erick e Mônica Menezes superou a adversidade do vento forte. Mesmo com isso, ela protegeu o pavilhão com primor e graça. Contudo, ela perdeu o ritmo na cabine 2 de julgadores e, em alguns momentos, se mostrou um pouco insegura, como que receosa de errar. Na cabine 3, o pavilhão resvalou o rosto do mestre-sala. Ele, em geral, teve ótimo desempenho.

engenho_desfile_28022017dsc_0380-copyAlegorias e Fantasias

Alegorias caprichadas, criativas, bem acabadas. O abre-alas retratando a “Apoteose do Samba” estava impecável, impactante. Os componentes animados ajudaram a dar vida ao carro. Claramente houve cuidado com cada detalhe dos carros. O destaque, e negativo, foi a ala de baianas: nitidamente a mesma fantasia de uma coirmã da Série A do carnaval. Falta de criatividade e originalidade. As demais alas estavam bonitas.

Samba e Harmonia

Funcionou muito. Inclusive o maior destaque do desfile foi o jovem – mas experiente – intérprete da escola, Lucas Donato. Uma promessa. Excelente qualidade, fazendo o samba se destacar. Claramente, a escola não cantava. E isso não por culpa do carro de som, de excelente qualidade. Boa parte dos componentes simplesmente não sabiam o samba. Mais de uma ala desfilou gritando: “é campeã”, ao invés de cantar o samba.

engenho_desfile_28022017dsc_0385-copyEnredo e Evolução

Enredo bem desenvolvido, com bastante clareza visual, de fácil compreensão. Foi um quesito bem desenvolvido. A escola começou a se debandar após passar pela cabine 4; os que ficaram, aceleraram o passo como que, tendo cumprido a tarefa da noite, foram embora. Na frente do abre-alas, na cabine 4, um enorme buraco se abriu. Entre momentos mais lentos, outros acelerados, a escola fechou o desfile em 43 minutos.

Um comentário em “Enredo, samba e intérprete são destaques no desfile do Engenho da Rainha

Os comentários estão desativados.