Ensaio na Conde de Bonfim abre os caminhos para o Carnaval 2018 e chuva abençoa os salgueirenses

Por Alberto João, Daniela Safadi e Vinicius Vasconcelos

O samba de 1990 “Sou Amigo do Rei” diz que o “Salgueiro é pra quem tem fé” e, sendo assim, o salgueirense já pode se considerar abençoado para o Carnaval 2018, após ter enfrentado um temporal, em seu ensaio na rua Conde de Bonfim, na noite de domingo, e sair com o sorriso de orelha a orelha pela apresentação forte no canto dos componentes.

sal_rua0701_-36– É muito bom ensaiar na Conde de Bonfim. Eu falo que todo ensaio é gratificante, mas aqui é o coração da Tijuca, é o Salgueiro… O morro… Queria até agradecer aos moradores pela compreensão, sei que é muito transtorno, muita gente quer entrar, mas fizemos o possível para minimizar qualquer problema. Quero agradecer e terminamos no horário certo – disse a presidente Regina Celi, que prometeu um grande desfile na busca pela décima conquista no Grupo Especial.

– O que podem esperar da escola esse ano é um Salgueiro completo, com vontade de vencer, porque a gente faz carnaval pra ser campeão. Claro que temos que respeitar as outras 12 escolas, mas é um carnaval da superação. O Salgueiro não diminuiu nada, não deixou de fazer nada e graças a Deus, o carnaval do Salgueiro está pronto. A crise é muito grande, nítida, mas a gente tem parceiros que ajudam, amigos que estão fortalecendo… Tem minha harmonia, minha bateria, meus diretores… isso faz a diferença. Teremos um carnaval belíssimo na Avenida. Não podemos diminuir o espetáculo – afirmou Regina Celi.

Comissão de Frente

Hélio Bejani prepara uma comissão de frente com muitos jovens entre homens e mulheres. No ensaio de rua, o grupo apresentou coreografia e dançou o tempo inteiro. Um dos momentos teve até dança egípcia. O grupo veio atrás de um tripé que tinha a logomarca do enredo do Salgueiro.

Harmonia

sal_rua0701_-9A comunidade salgueirense merece todos os elogios. Debaixo de um temporal, os componentes pularam, sambaram e cantaram o ensaio inteiro. Um espetáculo para qualquer apaixonado por carnaval. Destaque para a Ala dos Negões. A turma canta demais. Avassaladora. Como sempre, as baianas do Salgueiro ensaiaram um lindo figurino, rodando e cantando com muita devoção.

Em um enredo sobre a força das matriarcas negras, o Salgueiro terá muitas mulheres em seu desfile. Elas deram o recado no ensaio técnico. Ala após ala foi possível perceber o sorriso de prazer no rosto. Muito samba no pé e aquele toque de beleza típico salgueirense.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Sidclei e Marcella Alves mostraram superação. Não desistiram de ensaiar com o forte tempo real. Nas simulações para os jurados, a porta-bandeira girava sem parar. Parecia que a pista estava totalmente seca, mesmo com o local encharcado. As apresentações foram 99,9% perfeitas. Sincronia nos movimentos e a forma perfeita de cortejar marcaram todas exibições. Porém, em um momento, Marcella apresentou a bandeira e Sidclei demorou um pouco para pegar. Algo que certamente merecerá atenção do casal que busca sempre a perfeição.

sal_rua0701_-3– Ensaiar aqui na Conde Bonfim, particularmente pra mim, é muito bom porque tenho uma história no Salgueiro. Esse ano completo dez carnavais pela escola, claro que tive um tempo entre uma passagem e outra mas já na primeira passagem pelo Salgueiro a gente ensaiava aqui na Conde Bonfim e poder voltar, sentir a energia da comunidade, sentir essa galera vindo junto com a gente… Acho que não tem nada melhor pra quem está querendo buscar o campeonato ter esse apoio da comunidade – disse a porta-bandeira.

– É uma emoção imensa porque aqui é praticamente a Avenida do Salgueiro. Nos anos 90 todas as escolas do Rio de Janeiro tinham dois lugares que ensaiavam, porque não tinham os ensaios técnicos específicos como hoje na Sapucaí. Volta também aquele glamour dos carnavais antigos, de bairro… De ter aquele carinho, aquela emoção do povo salgueirense. É uma emoção diferente da Sapucaí onde estão pessoas de várias torcidas. Lá (na Sapucaí) se tornou um espetáculo, aqui é a essência do Salgueiro. Estou muito emocionado porque ensaiei aqui muitas vezes na primeira passagem pelo Salgueiro. É uma felicidade muito grande, não só para o Salgueiro, acredito que para todas as escolas ensaiar com a sua comunidade… Esse ensaio veio para alavancar o Salgueiro a fazer um bom desfile – comentou o mestre-sala.

Bateria

sal_rua0701_-34

Show de ritmo de mestre Marcão e seus ritmistas. A Furiosa caminha cada vez mais para a perfeição. Vem aí uma bossa especial para o desfile. No ensaio de rua, quem acompanhou ao vivo, não parou um minuto sequer. À frente da bateria, ela estava lá soberana. A rainha das rainhas. Viviane Araújo. Descalça, ela sambou o tempo inteiro e distribui simpatia pela rua Conde de Bonfim. Interação espetacular com o público.

sal_rua0701_-32– A chuva não dificulta porque a gente já está com tudo preparado pra qualquer tempo. Tem toda aquela mandinga com plotagem. Por isso, não atrapalha em nada o nosso trabalho. Graças a Deus o andamento é esse que foi feito hoje. Ensaiar no Sambódromo é bom, claro que é. Mas muita gente ia pra lá como competição, com o pensamento de que não pode errar. Mas não é assim, lá é o lugar de errar pra poder corrigir tudo pro dia de desfile. Aqui na Conde do Bonfim o compromisso é com a escola, com o salgueirense, e estamos fazendo o nosso trabalho bem feito. Estamos no caminho certo, estamos esperando só o dia. Tenho várias paradinhas, no total de seis, mas acabam ficando três. Sabemos que no dia tem o momento pra executar as paradinhas, mas qualquer lugar que eu esteja eu tenho bossa, não preciso esperar cabeça do samba. Todas as três coreografias de hoje irão para avenida com certeza – garantiu mestre Marcão.

Evolução

Vale destacar os componentes soltos para evoluírem nas alas. Porém, em alguns momentos, a maioria ficou preocupada extremamente em fazer coreografia em cima da letra do samba, como nos versos “a preta que me faz um cafuné” e “a tia que me ensinou a comer doce na colher”.

sal_rua0701_-20

sal_rua0701_-13O ensaio teve duração de 1h10, já contando com o samba de esquenta, e, apesar de ser na rua plana, teve dificuldade em momentos na via que tinha espaços mais curtos. A bateria entrou e saiu do recuo sem problema. Destaque positivo para a ala comandada por Carlinhos Salgueiro. O grupo prepara mais uma grande apresentação.

O andamento das alas pode ser aprimorado. Houve momentos alternados em que alas andavam mais rápido do que outras. É importante notar também que alguns componentes estavam tão radiantes, explodindo de tanta felicidade, que acabavam entrando em outras alas.

– Sempre foi um sonho da escola ensaiar aqui (na Conde de Bonfim), mas a parte burocrática pra gente poder vir para cá é muito difícil, liberação de rua… Essas coisas, mas acho que a gente teve o privilégio de aceitarem e deixarem a gente ensaiar aqui e prestigiar a comunidade da Tijuca, porque a maioria é salgueirense e gosta disso aí. E o resultado é esse, mesmo debaixo de chuva a gente fez um espetáculo pra todo mundo. Na parte técnica a gente conseguiu trabalhar recuo de bateria, evolução da escola, trabalho de harmonia … O carro de som foi maravilhoso também. Tecnicamente é diferente do Sambódromo. Quando a gente ensaia no campo de jogo é outra coisa, a Avenida é nosso campo de jogo. Aqui, a gente consegue aproveitar bastante por ser um espaço mais amplo, mais aberto comprimento maior, a largura da rua também. Aqui tem espaços ideias pra fazer recuo de bateria, processo de evolução… Mas nada como fazer um ensaio no campo de jogo que é na Avenida – explicou o diretor de carnaval Alexandre Couto.

Samba-Enredo

sal_rua0701_-30A obra do Salgueiro 2018 não foi apenas funcional. Os componentes mostraram que estão com o samba-enredo no gogó e no coração. Não foi apenas na hora de firmar o tambor, como diz o refrão principal. Toda composição foi cantada com muita força pelos salgueirenses. Menção especial para o trio de cantores: Leonardo Bessa, Hudson Luiz e Tuninho Junior. O entrosamento está perfeito. O reconhecimento do componente chega e Leonardo Bessa vem colhendo os frutos. No fim do ensaio, o cantor foi muito requisitado para tirar fotos com os torcedores da escola.

– Esse é um dos ensaios mais importantes que o Salgueiro tem, porque coloca ele em contato direto com sua comunidade, com os amantes do Salgueiro, que às vezes por um motivo ou outro não podem ir na quadra, nos ensaios de quinta-feira. Reunir esse povo todo nesse domingo maravilhoso, mesmo com chuva, a galera cantou vibrou do início ao fim, isso é muito importante para uma escola que quer voltar a ser campeã. Essa força, essa energia é fundamental. O carro de som como um todo está muito focado, muito unido, muito fechado, e sabendo da responsabilidade que tem, de que é carregar uma escola como o Salgueiro. Estamos fazendo um trabalho de muita seriedade, de muita responsabilidade e amor ao que fazemos. O foco agora é o desfile e fazer o melhor pelo Salgueiro – disse Bessa.

– É uma emoção muito grande estar aqui. Imaginei como se tivesse na Sapucaí. Aqui temos uma dimensão parecida, uma estrutura bem interessante. Foi bem gostoso porque toda a comunidade estava incentivando, cantando, fazendo valer as cores as cores vermelha e branca do Salgueiro – citou Hudson Luiz.

– No ano do “Tambor” a gente ensaiou aqui e foi campeão então… Só isso (risos) – brincou o cantor Tuninho Junior.