Ensaio Técnico de Quadra: Imperatriz apresenta a força da sua comunidade

Famosa nas últimas duas décadas pelos desfiles perfeitos tecnicamente, a Imperatriz Leopoldinense parece ter retomado este rumo no Carnaval 2011. A volta ao desfile das campeãs – o que não ocorria desde 2008 – com um bom rendimento de 'chão' é, entre outras coisas, a prova do trabalho de qualidade desempenhado durante os ensaios técnicos de quadra da escola, que ocorrem todos os domingos, a partir das 20h. Continuando a série 'Ensaios Técnicos de Quadra', o site CARNAVALESCO conta como a Rainha de Ramos se prepara visando o Carnaval 2012.

 

* Vídeo: veja como funciona o ensaio técnico de quadra da Imperatriz Leopoldinense


Durante a visita ficou bem nítida a fluidez com que a bela obra composta por Jéferson Lima, Tuninho Professor, Ribamar, Alexandre D´Mendes e Cristóvão Luiz passa nos 60 minutos de ensaio técnico que a Imperatriz realiza, principalmente nos versos de preparação para o refrão principal. Caso repita o desempenho testemunhado da ocasião, a Verde e Branco tem chance de, mais uma vez, proporcionar um dos melhores ensaios técnicos da temporada que deve começar no dia 08 de janeiro, na Marquês de Sapucaí.

Participam do ensaio técnico de quadra da Imperatriz cerca de 1.500 pessoas, que compõem todas as alas de comunidade da escola, bateria, baianas, passistas, o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira – Phelipe Lemos e Rafaela Teodoro – e os integrantes do carro de som. As alas e o primeiro casal rodam a quadra, simulando a evolução de desfile e, no centro, as passistas da escola se posicionam. A bateria toca em cima do palanque e o público se posiciona nas periferias da quadra para não atrapalhar o ensaio.

 

* Vídeo: a bateria da Imperatriz para o Carnaval 2012

Toda a movimentação é acompanhada e coordenada pelo diretor de harmonia, Guilherme Nóbrega, e pelo diretor de carnaval, Wagner Araújo, que lamentou o serviço de transportes da Zona da Leopoldina, onde fica a quadra da Imperatriz.

– Na verdade nós procuramos unir o ensaio normal ao ensaio técnico. Aqui nós temos um problema de transporte, a partir da meia-noite perdemos praticamente todos os transportes públicos da Leopoldina. Se fizéssemos um ensaio no horário normal de samba, com nas outras escolas, perderíamos muito em público. Sem contar o problema dos vizinhos, aqui é um bairro puramente residencial e temos a preocupação de não ir até muito tarde para respeitar a vizinhança. Tem dado certo. É uma hora de ensaio técnico dentro da quadra – disse ele, lembrando que, caso haja a necessidade, o ensaio é paralisado para que erros sejam corrigidos.

Uma das correções observadas pelo site CARNAVALESCO aconteceu no primeiro verso da segunda parte do samba. Wagner chamou a atenção dos componentes para a maneira correta de cantá-lo, deixando o 'caco' 'Um rio' a cargo do intérprete oficial da escola, Dominguinhos do Estácio.

Além de ensaiar na quadra, a Imperatriz realizará ensaios técnicos na rua, no bairro de Ramos, quando o data do desfile estiver mais próxima. Wagner falou sobre as diferenças.

– É muito diferente. Não dá para comparar o ensaio da rua com o de quadra. Na quadra você cobra mais evolução e, na rua, cobra-se mais da harmonia. Na rua se tem noção da evolução da harmonia dentro da escola – disse. Em 2012, a Imperatriz Leopoldinense distribuirá duas mil fantasias para a comunidade.

Quem quiser conferir o treino técnico de quadra da Imperatriz Leopoldinense, basta ir até a quadra da escola – Rua Professor Lacé, 235, Ramos. O ensaio começa às 20h e termina por volta de 0h. Conforme o diretor de carnaval da escola já havia declarado, o ensaio técnico tem duração de uma hora – das 22h30 às 23h30. Antes disso, alguns sambas antológicos da Imperatriz são cantados pelos intérpretes auxiliares.

Comente