Escolas do Grupo Especial levam 400 mil pessoas para Encontro do Samba em Copacabana

Por Daniela Safadi, André Coelho e Luis Felipe Aragão. Fotos: Allan Duffes e Vinicius Vasconcelos

encontro_samba2018_-201Felizes, os sambistas não vão estar totalmente esse ano. Perderam os ensaios técnicos no Sambódromo, o maior encontro de sambistas gratuito antes do desfile oficial, além de terem recebido diversas pancadas, como o corte da verba, e a difícil situação das escolas do Grupo de Acesso. Nem por isso é preciso negar a noite mágica deste sábado, na Praia de Copacabana, com o Encontro do Samba, que reuniu todas 13 escolas de samba do Grupo Especial, além dos cantores Martinho da Vila, Alcione, Diogo Nogueira e Iza. Segundo a Riotur, 400 mil pessoas estiveram presentes no evento, que deve entrar para o calendário oficial da cidade do Rio de Janeiro.

O encontro reuniu todas 13 baterias do Grupo Especial, os intérpretes e os casais de mestre-sala e porta-bandeira com os músicos da Orquestra Sinfônica, regida pelo maestro Isaac Karabtchevsky, e com a Princesinha do Mar como cenário, formou o melhor presente que os cariocas e turistas poderiam receber para começar bem 2018.

encontro_samba2018_-188

– Só sei que estou muito feliz, extasiado! Ver os rostos das pessoas na plateia, todo mundo cantando, sambando, os ritmistas todos maravilhosos, tocando felizes. Era uma ideia muito antiga minha, queria fazer isso há mais de dez anos. Era meu sonho unir todas essas baterias para formar esse espetáculo e entrar para o calendário de eventos da cidade do Rio de Janeiro. Acho que conseguimos – disse Abel Gomes, idealizador do evento, que estava visivelmente emocionado ao final do espetáculo e foi comemorar ao lado dos amigos, um deles, o empresário Ricardo Amaral.

encontro_samba2018_-145

encontro_samba2018_-174Os intérpretes das agremiações cantaram sambas históricos, assim como os convidados. Se era para causar sensações e mexer com o coração do público, a festa cumpriu bem seu papel. O momento mais emocionante foi quando o casal de mestre-sala e porta-bandeira da Portela, Marlon Lamar e Lucinha Nobre, dançou em câmera lenta, ao som do Bolero de Ravel acompanhados pela Orquestra Sinfônica.

O bailado foi arrepiante, mais parecia um trecho de uma ópera do Theatro Municipal. Outro grande momento foi a apresentação de Carlinhos de Jesus, vestido de malandro, dançando samba de gafieira com a bailarina Ana Botafogo. E a homenagem para Vilma Nascimento, que estava com a bandeira do evento.

– Nada vai substituir o ensaio técnico, mas o evento foi muito bom. Emocionante! Ainda mais para alguém que ama o carnaval de longe – disse Renato França, administrador, de 45 anos, que mora em Brasília, e torcedor da Mangueira.

encontro_samba2018_-186

O evento cativou o público, às 17h, já havia um grande movimento de pessoas com destino ao evento. Às 18h, a areia já estava praticamente vazia, apesar do sol. Rapidamente o gradeado de proteção ficou repleto de apaixonados por samba. Alguns queriam ver de perto as atuais campeãs do carnaval. Outros sonhavam com uma foto com alguma rainha, alguns mal sabiam o que iria acontecer, mas ao olharem as agremiações decidiram ficar.

torcedora_manga– É muito emocionante. Eu já vivi muita coisa no carnaval, mas igual ao que eu vi aqui hoje não tem comparação. Isso aqui também é samba. O mundo do carnaval está aqui – disse a dona de casa Glória Ferreira, de 71 anos, torcedora da Mangueira, e moradora do Rio de Janeiro.

Alcione foi a estrela da noite. Ao cantar ‘Nao deixe o sambar morrer’ foi ovacionada e ao interpretar ‘Folhas secas’ recebeu de presente palmas do início ao fim.

– Esses sambas estão todos na nossa memória, que até as crianças de hoje em dia sabem cantar, sensacional – elogiou Genival da Silva, 57 anos, operador de máquinas, morador da Gardênia Azul.

encontro_samba2018_-166

genivalA estudante Luana Gabrielle, de 14 anos, moradora de São João de Meriti, e torcedora da Beija-Flor, revelou que nunca teve oportunidade de assistir aos desfiles das escolas de samba no Sambódromo.

– Gostaria muito de ir, se tivesse oportunidade iria, com certeza. Isso aqui hoje é só um pouquinho do que vai estar na avenida, mas podemos ter uma noção do que vai acontecer. Eu conheço alguns sambas que gosto muito. Adorei ouvir ao vivo, foi muito bom – comemorou.

Nem a chuva fina que caiu em Copacabana tirou o ânimo da baiana Marineide de Souza Pimentel, 47 anos, auxiliar de fiscalização.

encontro_samba2018_-122

baiana– Vim de Barreiras, na Bahia, o vôo atrasou, quase não cheguei na hora, mas estou curtindo muito aqui, só tenho que agradecer por estar presente nesse momento.

Muito empolgado com o Encontro do Samba, o presidente da São Clemente, Renato Almeida Gomes, o Renatinho, festejou a realização do evento.

– Lindo, lindo lindo! Isso é coisa de carioca. Acho que nunca assisti um show tão bonito assim na minha vida, muito bem organizado, essas luzes, o palco… é o maior palco do Rio – festejou o dirigente.

Jorge Castanheira, presidente da Liesa, aprovou o evento. Para ele, o Encontro do Samba foi bastante positivo e reúne todos os pré-requisitos para entrar para o calendário oficial de eventos do Rio de Janeiro.

encontro_samba2018_-176– Foi uma belíssima iniciativa, um trabalho fantástico do Abel Gomes, da Prefeitura e da Riotur, fazer um espetáculo desse aqui em Copacabana aproveitando toda a estrutura que foi feita para o palco do Réveillon e estendendo para essa semana. Foi uma beleza de espetáculo. Fico feliz de ver o profissionalismo com que as escolas se apresentaram e gostaria de parabenizar a produção pelo espetáculo de som, luz, equipe, artistas… – disse Castanheira.

Para o presidente da Liesa, eventos como esse só engrandecem ainda mais o samba e a nossa cultura.

– Fiquei muito feliz em ver esses sambistas reunidos aqui, Alcione, Diogo Nogueira, Martinho da Vila, Iza e a Orquestra Sinfônica Petrobras, com um dos maiores maestros do nosso país. Sem falar no Carlinhos de Jesus dançando com a Ana Botafogo. Teve a beleza dos intérpretes também no palco junto com os diretores de bateria, todo mundo fazendo um belo show. Acho que isso aí enriquece cada vez mais o turismo da nossa cidade, a nossa cultura. O samba é isso, integra, agrega as pessoas.

encontro_samba2018_-170Castanheira gostou tanto do evento que já se colocou à disposição para que o encontro possa ser repetido nos próximos anos.

– Ficou um clima gostoso, desde o desfile lá na Atlântica, passei por lá e vi isso e aqui também pelos telões, todos que participaram estão de parabéns. Ainda não tivemos tempo de conversar, eu que estou parabenizando a produção, porque foi fantástico. Certamente esse evento poderia fazer parte do calendário do Rio, tenho certeza que as escolas acolheriam de braços abertos para colher uma iniciativa tão positiva pra nossa imagem do Rio de Janeiro como foi o evento de hoje.