Espetáculo Eu sou o samba começa com o pé direito na Cidade do Samba

Depois de nove meses de ausência devido as obras de reconstrução dos barracões afetados pelo incêndio de fevereiro na Cidade do Samba, o show ‘Eu sou o samba’ estreou na noite desta quinta-feira na Fábrica de Sonhos do carnaval carioca. Remodelada, a atração, que se chamava ‘Forças da Natureza’, apresentou mais uma vez um desfile pela cultura nacional, reunindo integrantes de diversas agremiações dos grupos Especial e Acesso. A direção artística é do coreógrafo Carlinhos de Jesus, a musical do maestro Jorge Cardoso e os figurinos foram criados pelo carnavalesco Milton Cunha. A grande novidade fica por conta da participação de uma escola de samba por show. Nesta quinta, foi a vez da Beija-Flor. E nesta sexta, a vice-campeã Unidos da Tijuca se apresentará.

O público é formado basicamente por turistas nacionais, que se misturaram aos internacionais – provavelmente em maioria com a proximidade do carnaval – e com alguns moradores do Rio de Janeiro. Apesar de não estar lotada, a Cidade do Samba recebeu um bom público na noite de estreia da atração. Logo na chegada ao pátio central do local, o público é recepcionado por uma roda de samba e pode ir conhecendo um pouco do que o carnaval carioca, já que chapéus de fantasias ficam à disposição para que o folião possa usá-lo.
 
No show em si, canções populares são interpretadas por Marcelo Guimarães, integrante do carro de som da Beija-Flor e tocadas pelo time de ritmistas comandado pelo mestres Thiago Diogo, do Porto da Pedra, e Chuvisco, da Estácio de Sá. Jorge Cardoso explicou como é formado o time de músicos.
 
– A escolha é feita por mim e são escolhidos dois ritmistas de cada escola do Grupo Especial, além de quatro ritmistas que chamamos de especiais. Atualmente somente o Marcelo Guimarães está cantando, mas vamos colocar no show o Igor Sorriso, da São Clemente, e o Serginho Gamma, do carro de som da Unidos da Tijuca. O objetivo é levar ao público canções que exaltem o samba e a nossa cultura.
 
Durante as músicas, um seleto time de artistas da folia se reveza no palco: Serginho do Pandeiro, Maria Helena, Valci Pelé, Machine, Ludmila Aquino, Julinho, mestre-sala da Vila Isabel, Simone, ex-porta-bandeira da Viradouro, um casal dançando gafieira e passistas de diversas agremiações dão mais charme ao espetáculo. Vale destacar a interação do elenco com o público. Durante a apresentação de Serginho do Pandeiro, alguém da plateia é chamado para arriscar passos de samba com o famoso passista mangueirense.
 
Depois, foi a vez da Beija-Flor de Nilópolis com mais de 70 integrantes fantasiados subir ao palco e conquistar o público com seus sambas antológicos. A festa teve fim com o já tradicional desfile pelas avenidas da Cidade do Samba, quando todos os presentes são convidados para se misturarem aos artistas do espetáculo.

 
A avaliação da primeira noite do espetáculo é  positiva, não só pela organização impecável e produção perfeita, mas pela aula de cultura nacional e carnavalesca que os visitantes recebem. De negativo, apenas a presença de poucos sambas-enredo no repertório do show principal, talvez algo proposital, já que em todos os espetáculos até o Carnaval 2012 uma escola de samba será convidada. O diretor de carnaval da Liesa, Elmo José dos Santos, avaliou a estreia do show ‘Eu sou o samba’.
 
– É uma noite muito feliz. O espetáculo está maravilhoso e remodelado brilhantemente pelas mãos do Carlinhos de Jesus. Tenho certeza que quem virá á Cidade do Samba não se decepcionará. É uma viagem pelo carnaval carioca feito por quem é artista da festa na Marquês de Sapucaí, isso é o principal –  afirmou ele, que reafirmou o início dos ensaios técnicos para o dia 08 de janeiro, com a lavagem do Sambódromo e o ensaio da Beija-Flor de Nilópolis.