Estácio embarca na viagem para Singapura para o Carnaval 2018 apostando na força do leão e da sua equipe

0 Flares 0 Flares ×

estacio_enredo_2018_2

A Estácio de Sá já tem enredo para 2018: Singapura. A informação foi confirmada na noite desta quarta-feira, durante coletiva de imprensa no Clube Municipal, na Tijuca, Zona Norte do Rio. O leão é um dos pontos comuns entre a escola do Morro de São Carlos e a Cidade-Estado, também conhecida como “Cidade Leão”. Segundo os carnavalescos Chico Spinosa e Tarcísio Zanon, por enquanto não há um título para o enredo, o anúncio será feito no dia 23 de abril, durante a tradicional feijoada de São Jorge da agremiação.

estacio_enredo_2018_3A noite contou ainda com uma grande festa da escola com direito a apresentação dos segmentos, com destaque para a participação de Serginho do Porto, recém-chegado que irá comandar o microfone oficial da escola. Além dele, vale destacar a exibição de mestre Wallace, um jovem de 23 anos, que em 2018 fará sua estreia à frente da Medalha de Ouro. Outra novidade é a ascensão de Ariadne Lax, que auxiliava a comissão de frente ao lado de Márcio Moura. Agora, a coreógrafa terá como desafio seguir sozinha no cargo.

Empolgado com o enredo, Spinosa diz que este será uma “Nova Paulicéia Desvairada” em sua carreira.

– Esse enredo vai trazer uma coisa interessante para minha carreira. Vou me reinventar. Existem alguns títulos, mas nada definido ainda. No passado, Singapura também foi chamada de Ilha do Final, por exemplo, porque no final do arquipélago Malayo tinha um grupo de ilhas e ali era Singapura, que é constituída por um conjunto de 63 ilhas. Mas foi também chamada de a Cidade dos Leões, e o leão tem muito a ver com o nosso leão da Estácio, quem sabe não é a cidade dos leões? Estou esperando uma resposta do feng shui e da numerologia, tudo meu vai ter isso – brincou o carnavalesco que emendou.

estacio_enredo_2018_15– Além disso tudo, o que acho mais bonito neles é o respeito pelas etnias, todas as religiões e todas as etnias. O Brasil é um falso país laico, porque existe o preconceito pelo candomblé, pela umbanda… Lá se respeita isso e é o que a gente quer colocar na Avenida, vamos falar da religiosidade e muito respeito – finalizou Spinoza, endossado por Tarcísio Zanon.

– Apesar de Singapura estar muito distante geograficamente do Rio de Janeiro existem algumas coincidências que já descobrimos com o trabalho de pesquisa, como as cores da bandeira, os dois são locais multiculturais, equatorial, além de terem um leão como símbolo. É claro que o de lá é mítico, meio leão, meio peixe. Mas vamos usar essas proximidades como gancho para esse enredo. Vamos por um caminho mítico, de lenda. Descobrimos uma lenda que tem tudo a ver e que conta o princípio dessa ilha e, caminhar por lenda facilita muito pro carnavalesco porque pode explorar mais a parte lúdica e fica fácil fazer um carnaval mais leve e com mais empatia com o público – concluiu.

estacio_enredo_2018_8Um bom filho a casa torna

Após sete anos, Serginho do Porto retorna à Estácio de Sá a convite do presidente da escola, que não esconde a felicidade com o novo intérprete. – Ele é a cara da Estácio. Deixamos ele brilhar um pouco no Salgueiro, mas o filho tem que voltar pra casa uma hora e ele voltou – celebra o presidente.

– Volto com garra, determinação vontade de vencer. O convite partiu do presidente Leziário. Temos uma amizade de longa data, ele me ligou e perguntou se poderíamos conversar já que eu estava sem escola e, batemos o martelo. Foi muito bom voltar. Você se sente bem bem quando te tratam bem! Fui muito bem recebido. Tenho recebido felicitações desde o dia do anúncio até hoje e não só de pessoas da Estácio, tenho recebido carinho de várias pessoas do mundo do samba – pontuou Serginho.

O presidente contou ainda que o relacionamento com o governo de Singapura foi estreitado após um “mini carnaval” feito na quadra da agremiação em 2016.

estacio_enredo_2018_19Wallace: prata da casa vai comandar bateria da Estácio

Passado o Carnaval 2017, mestre Chuvisco foi convidado para comandar a bateria da Vila Isabel, que está no Grupo Especial. Antes de deixar a casa onde se formou, fez questão de indicar para o cargo alguém que para ele tem perfil parecido com o seu e que sabe como alcançar os 40 pontos. Chuvisco participou da festa nesta quarta-feira. Emocionado, agradeceu à escola de coração pelos anos que comandou a bateria e desejou sorte ao novo comandante da Medalha de Ouro.

– Recebi essa notícia com muita honra e muito orgulho, sempre sonhei com isso. Quando o Chuvisco me chamou para conversar desconfiei que poderia ser isso, mas não quis acreditar muito, ele disse que iria conversar com a direção de carnaval e com o presidente, que aceitou a sugestão dele. É uma honra comandar a bateria de uma escola onde cresci, comecei na Nova geração da Estácio de Sá, depois vim para a Estácio. A ficha não caiu direito ainda, está caindo aos pouquinhos. Mas estou muito feliz. A minha ‘molecada’ da bateria também me abraçou. Já era diretor, mas comandar sozinho é muito diferente. Por enquanto vou continuar com a ajuda do Chuvisco, ele disse que vai me dar total apoio porque é muita responsabilidade, até eu conseguir caminhar totalmente sozinho – frisou Wallace, chamado por seus ritmistas de Gaganja.

Desafio: Ariadne Lax assume comissão de frente do Berço do Samba

estacio_enredo_2018_7A coreógrafa Ariadne Lax agradeceu a oportunidade de comandar a comissão de frente da Estácio em 2018 e contou que já pensa no trabalho para o ano que vem.

É uma experiência incrível. Trabalho com o Márcio há quase dez anos e ele sempre me incentivou muito. Já vinha fazendo um trabalho também com o primeiro, segundo e terceiro casais, então estou em casa! Já estamos pensando no trabalho para 2018. O estilo mais teatralizada tem a cara do Márcio, ano que vem vocês vão ver uma comissão com a minha cara (risos). Não sei ainda se mais teatralizada ou mais coreografada, mas com certeza com a minha cara – disse a coreógrafa que segue a linha da nova geração de coreógrafos que trata a comissão de frente como um verdadeiro espetáculo.

– Acho que tem que ter um momento ‘boom’, sim. Até para o público que está assistindo. Sou a favor disso, acho que tem que ter esse espetáculo a parte – pontuou Ariadna que já iniciou os trabalhos com os casais. – Por enquanto não é nada pesado. São encontros pelo menos uma vez por semana. Além disso, eles estão fazendo aula de crossfit para manter o condicionamento e resistência física. E, claro, já começamos uns trabalhos de quadra com um pouco de dança.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×