Exclusivo: Lesga revela laudo sobre nota e assinatura de jurado do Grupo A

O presidente da Liga das Escolas de Samba do Grupo de Acesso (Lesga), Reginaldo Gomes, enviou para equipe do site CARNAVALESCO, com exclusividade, o laudo feito pela entidade sobre a assinatura e notas dadas pelo jurado Samuel Pinto, de Conjunto, que teriam sido adulterados, segundo denuncia do presidente da Acadêmicos do Cubango, Olivier Pelé.

Através de um depoimento na Lesga dado por Samuel Pinto, que deu sua versão para o caso, onde ele alega que caiu no banheiro do Sambódromo, machucou a mão e pediu ajuda para o outro julgador Riec dos Santos Barcelos, que deu sua explicação. – O julgador Samuel Pinto, ao retornar a cabine de julgadores, após ter ido ao banheiro, no intervalo da segunda escola a desfilar, no sábado de carnaval, reclamou de ter machucado a mão direita numa queda dentro do banheiro. Vendo a dificuldade do companheiro de cabine, me ofereci para ajudá-lo, transcrevendo o mapa de apuração, as avaliações do julgador Samuel Pinto, e após a conferência da referida transcrição, Samuel Pinto assinou o citado mapa. O mesmo aconteceu no julgamento na terça-feira, quando a lesão na mão direita do jurado teria se agravado.

Segundo Reginaldo Gomes, a Lesga contratou um perito que fez um exame grafotécnico e apresentou o resultado, após repetir todo o processo de assinatura com os respectivos jurados, filmar e comparar com documentos dos mesmos.

– Os manuscritos lançados no campo Nome do Julgador, Nota Oficial e Justificativas foram produzidos inquestionavalmente pelo punho de Riec dos Santos Barcelos – diz a conclusão do laudo, que é assinado pelo perito Sebastião Leme de Souza Pereira, oriundo do Instituto de Criminalística Carlos Éboli.

Após o resultado, o presidente da Lesga comentou a questão. – Foi um fato atípico. Eles acharam que não estavam fazendo nada errado. O regulamento e o manual do julgador não dizem nada sobre essa ajuda entre os jurados. Eles não infrigiram o regulamento, mas tinham que comunicar o fato para coordenação da Lesga. Nós levamos dez suplentes de jurados para Avenida. Era só trocar. Para o ano que vem, eu já vou colocar no regulamento que essa ajuda não será possível e caso aconteça algo o jurado terá que ser trocado imediatamente. Apesar disso, eu ressalto que as notas do jurado Samuel Pinto já tinham sido descartadas na apuração. Elas não alteraram o resultado final – disse Reginaldo.

Sobre o futuro dos jurados, Reginaldo já deu a sentença. – Eles não podem ser excluídos, porque não foram contra o regulamento. O que vai acontecer é que não vão ser convidados para o ano que vem. A Lesga fez sua parte. Contratou um perito sério e apresentou o laudo. Já enviamos o resultado para prefeitura do Rio e para o Ministério Público, que também poderá fazer um novo laudo. A Lesga concluiu que não houve fraude na avaliação, má fé dos jurados e nem prejuízo no resultado final do Grupo de Acesso em 2011.