Fábio Pavão apresenta números e explica mudanças que devolveram o poder competitivo para Portela

Por Amanda Rocha

Um dos responsáveis pela gestão de carnaval da Portela, Fábio Pavão, membro da comissão de carnaval e presidente do Conselho Deliberativo, conversou com a equipe do site CARNAVALESCO e explicou como foi o processo de mudança na escola que trouxe uma nova cara e realizou melhorias em todos os setores.

pavao– Do protesto da porta da Liesa pra cá, o momento difícil foi a eleição em si. Aquele protesto aconteceu depois do carnaval de 2011 e a eleição de 2013 foi evidentemente um passo importante nesse processo. Era necessário convencer a escola como um todo que as nossas propostas eram viáveis para a Portela e apontando as falhas da administração anterior. O momento de viabilizar na prática aquilo que na teoria a gente imaginava, que a gente conseguiria tornar a Portela uma escola competitiva. E, claro, o momento mais difícil foi a morte do Falcon, no meio desse processo, com o carnaval de 2017 começando a ser desenhado. A gente teve que se reorganizar internamente para que ela continuasse seguindo seu caminho e acho eu isso foi feito com êxito.

Pavão contou o que foi deixado de ensinamento por Falcon e é aplicado na gestão da azul e branca.

– O Falcon foi o grande mentor desse processo. Ficou o espírito de liderança, a honestidade a cima de qualquer coisa, são valores importantes para ele que a gente continua seguindo. A necessidade de empreender uma administração moderna que olhe para o futuro sem esquecer o passado. Eram coisas que nós tínhamos desde o início e que o Falcon tinha como principio de vida. Ele deixou uma escola pronta. É o grande mérito dele. Hoje a gente segue aquilo que o Falcon desenhou, o caminho que ele traçou. Ele pavimentou a estrada e nós estamos passando por essa estrada.

Ainda falando sobre a gestão da Portela, Fábio relatou o que foi feito de concreto nos últimos quatro anos.

ensaio-de-rua_portela_2018_23– A escola tinha uma dívida muito grande, situação financeira delicada, e passo a passo nós tivemos que negociar com os fornecedores de carnaval, discutir a dívida, equilibrando as contas, cortando gastos, cortando luxo para que o carnaval tivesse a verba necessária, e a gente pudesse executar um projeto competitivo. Investimos no marketing para que a escola pudesse retomar a ser a grande referência, voltar ao seu lugar de grande símbolo do carnaval carioca. Como resultado nós temos números que mostram esse sucesso. Em três anos seguidos, ganhamos 40 pontos em fantasia, isso desde 2015. A última vez que nós gabaritamos fantasia havia sido em 1995, ou seja, a Portela demorou 20 anos pra tirar nota 10 em todos os jurados de fantasia e a gente vem mantendo durante três anos seguidos essas notas máximas em fantasia. Em 2016 e 2017 nós conseguimos notas máximas em alegoria, a ultima vez que nós conseguimos nota máxima em alegoria tinha sido em 1991 – disse.

Fábio Pavão tinha grande participação na internet e contou que as ideias nã foram abandonadas, mas aliadas ao trabalho feito pela gestão.

portela_alegorias_desfile17_36– A gente percebe que o caminho não é tão fácil como a gente imaginava. Nós temos que lidar com situações reais que tem que ser contornadas. É um caminho difícil que estamos trilhando, mas o resultado foi positivo e acho que o portelense pode avaliar isso.

Paulo Barros foi o carnavalesco da Portela por dois anos, em um deles, a azul e branca levou o título. Pavão contou como foi a experiência de trabalhar com o carnavalesco.

– O Paulo Barros é uma pessoa que todo mundo pensa que é difícil, que é estrela, mas no dia a dia não é isso não. É uma pessoa extremamente aberta ao diálogo, ele cobra muito, ele é muito perfeccionista naquilo que faz, acho que esse é o grande mérito dele. A busca da perfeição dele é o que faz dar certo. O casamento da Portela com o Paulo Barros funcionou. Muita gente tinha medo no início, mas funcionou muito bem. Nós da diretoria da Portela aprendemos muito com o Paulo Barros e acho que a Portela deve ter ensinado algumas coisinhas para o Paulo Barros também. Essa troca é muito importante – comentou.

A atual carnavalesca da escola é Rosa Magalhães, que tem um perfil mais parecido com o da agremiação. Fábio explicou as diferenças entre ela e Paulo Barros.

– Trabalhar com a Rosa é diferente do que trabalhar com o Paulo Barros. As pessoas menosprezaram um pouco a capacidade do Paulo Barros como artista, ele entendeu o que é a Portela e conseguiu adequar o estilo dele ao estilo da escola, tanto no processo de construção dos enredos, como em fantasias e alegorias. Digamos que a recepção do portelense para a Rosa foi bem mais tranquila do que a recepção para o Paulo Barros. Nós estamos dando liberdade para a Rosa trabalhar e confiando na capacidade da Rosa como artista de desenvolver um trabalho competitivo e eu acho que isso está dando resultado.

O trabalho de Fábio Pavão é sempre muito elogiado pelo presidente Luis Carlos Magalhães. Ele contou a possibilidade de se candidatar, caso o atual presidente não participe da próxima eleição.

– É uma coisa a ser pensada, nós temos um grupo democrático, um grupo grande. Precisaria conversar com os vários grupos que construíram a história da Portela Verdade, as várias pessoas para tentar encontrar a melhor forma possível de tocar esse processo da Portela Verdade a diante. É uma coisa a ser pensada que eu não descarto, mas isso aí o futuro dirá – disse.