Falando de histórias de amor, Nenê de Vila Matilde tenta dar a volta por cima no Carnaval 2014

 

“Um final feliz… É tudo que eu sempre quis”. Esses versos do refrão principal da Nenê de Vila Matilde combinam e muito com a atual situação da escola. Dona de onze títulos do Grupo Especial, a água guerreira da Zona Leste passou por momentos conturbados nos últimos anos. Em 2009, quando completava sessenta anos, foi rebaixada ao grupo de acesso. Voltou em 2010, quando perdeu Seu Nenê, o fundador da escola. Mas caiu em 2011 ao falar do sal. No ano passado retornou ao Especial com um enredo sobre a Revolta dos Búzios, que a deixou com o oitavo lugar. Para 2014, a escola vai contar com o enredo “Nenê de Vila Matilde apresenta: Paixões proibidas e outros amores”, do carnavalesco Pedro Alexandre, que fez parte da comissão de carnaval de 2013. 

Desde 2001 sem conquistar o título, quando dividiu o campeonato com o Vai-Vai, a Nenê é dona de uma das histórias mais interessantes do Carnaval de São Paulo. A escola foi a única a desfilar na Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro. Era 1985, a escola havia acabado de sair de uma fila de títulos que já durava quinze anos. E com o enredo “O dia que o cacique rodou a baiana aí ó”, de Geraldo Cavalcante, a azul e branca conquistou o campeonato e foi convidada pela organização do desfile do Rio de Janeiro para se apresentar no sábado das campeãs na cidade, ao lado de Mocidade Independente e Beija-Flor de Nilópolis. Hoje, vinte e nove anos depois, a Nenê continua sendo a  única escola a realizar este feito.

Neste ano, a escola estreia seu novo intérprete, Agnaldo Amaral, que teve passagens por Vai-Vai, Camisa Verde e Branco, Barroca Zona Sul e Mangueira. A Nenê vai embarcar na história da humanidade para contar como os romances proibidos e os amores não correspondidos, contribuíram para as decisões, motivaram guerras e foram o fio condutor da humanidade.

Começando com a pergunta: “Até onde alguém pode chegar em nome da paixão?”, a escola da Vila Matilde, vai contar a lenda de Orfeu, que apaixonado por Eurídice, convenceu Hades a entregar seu corpo depois de morta, e que ao olhar para trás, descumpriu o trato que fez com o deus e perdeu sua amada. Vai relembrar a história de Sansão e Dalila, um amor intenso que terminou manchado pela traição. A escola vai trazer ainda, a história intensa e conturbada de Cleópatra e Marco Antônio.

No Brasil, vai falar de Anita Garibaldi, que largou uma vida segura para viver uma paixão com Giuseppe. De Luís Carlos Prestes e Olga, comunistas que viveram o amor proibido na época da ditadura. E ainda, vai relembrar o caso de amor mais conhecido da história do Brasil, entre Dom Pedro I e sua amante, a Marquesa de Santos.
No mundo da ficção, a escola vai viajar de Dom Quixote de la Mancha à João de Santo Cristo, passando é claro, pela história de amor proibido mais contada no mundo, Romeu e Julieta. As lendas do folclore popular também serão retratadas. 

A escola, que será a quarta a desfilar, no sábado de carnaval, termina sua viagem falando do amor ao próprio pavilhão e ao bairro da Vila Matilde, onde foi apresentada a um amor à primeira vista, que já dura sessenta e cinco anos.

 

 

Autores do samba: Moisés Santiago, Gabriel Cacique, Luciano Rosa, Marcelo Careca e Nilson Feijão

Intérprete oficial: Agnaldo Amaral

 

Eu vou… Nessa viagem de amor
No universo do prazer
Com a minha águia deslumbrante na avenida… Eu sou nenê!
Histórias imortais… Do real à fantasia
A paixão que emudeceu a lira de Orfeu
Tantos contos da mitologia
Amores que fogem a razão… Sem discriminação
A tentação de enlouquecer
Romance… Encanto… Magia
A sedução vence o poder

Vem meu amor… Vou te beijar
Nosso desejo está escrito no olhar
O proibido… Acende a chama
Explode o peito de quem ama

O tempo jamais apagou
Lembranças… Mil casos de amor
Passagens da linda marquesa e o imperador
Na arte paixões se revelam
Imagens… Canções… Personagens na tela
Lendas e folclore popular
Um causo apimentado vou contar
Vila… Dá minha vida!
Orgulho da minha comunidade!
Meu coração apaixonado pra valer
Bate forte por você!

Tem confete e serpentina… No meu carnaval
Pierrô e Colombina… Num sonho real
O manto azul e branco… Um final feliz…
É tudo que eu sempre quis

 

Comente: