Fantasias, alegorias e bateria dão molho no desfile da União da Ilha

Por Vinicius Vasconcelos

uniao-da-ilha_desfile_2018_25-3A Ilha no último ano brigava para voltar, mas falhas tiraram o sonho da escola de estar nas campeãs, mas no Carnaval 2018, a tricolor insulana veio imponente e com “vontade de vencer”. Carros grandiosos, fantasias bem acabadas e swing impecável da bateria de mestre Ciça fizeram a Sapucaí presenciar um verdadeiro banquete conforme tinha prometido o carnavalesco e toda direção.

Grande destaque para a defesa do enredo que possuiu leitura de entendimento fácil da ala 1 ao carro último carro que passou pela Marquês de Sapucaí. O casal nota 30 de 2017, infelizmente, deixou a desejar em sua apresentação nesse ano. Apesar de uma fantasia luxuosa, erros no desenvolvimento podem deixá-los distante da nota máxima.

uniao-da-ilha_desfile_2018_82-3

Comissão de frente

uniao-da-ilha_desfile_2018_13-2Coreografada por Márcio Moura, a comissão tinha dois momentos diferentes. O primeiro era a preparação para o banquete que acontecia na parte de baixo do tripé, e o segundo era em cima com o banquete acontecendo. No banquete, os participantes do baile saciavam a fome do porco que estava no centro da mesa, e ao virarem para os jurados a barriga deles crescia e estava cheia com eles comemorando. Apesar de uma apresentação honesta, o tripé merecia um acabamento melhor, principalmente, por conter o símbolo da escola. Na barra da saia alguns Leds não acenderam e ficavam intercalando entre azul, vermelho e apagado.

uniao-da-ilha_desfile_2018_53

Mestre-sala e Porta-bandeira

uniao-da-ilha_desfile_2018_18Em meio a apresentações ruins nas duas primeiras cabines, o casal teve sua redenção nos últimos dois módulos. Na primeira cabine o pavilhão conduzido por Dandara enrolou duas vezes e Phelipe teve dificuldade em pegar a bandeira também por duas vezes. Já na segunda, a bandeira resvalou no rosto do mestre-sala, e o casal pode ser penalizado. A fantasia foi destaque positivo. Em diferentes tons de rosa, a barra da saia era rodeada por faisões, representando o “Vale das rosas e seu doce real”.

Harmonia

O casamento entre Ciça e Ito Melodia gerou uma harmonia imponente da escola insulana. Ala a ala escutava-se o canto sem erros. Destaque para “Pimenta, a alegria do gosto”, “Tucunaré” e “Acarajés e azeite de dendê” que faziam o samba ganhar ainda mais força frente as cabines de jurados.

uniao-da-ilha_desfile_2018_32Enredo

Quem gosta de culinária e aprecia carnaval conseguiu se deliciar com as cores, cheiros e objetos que conduziram o enredo “Brasil bom de boca”. O abre-alas “Caravelas a bailar no mar” era gigantesco e imponente, já pedindo passagem com esculturas grandes no tom predominante dourado causando impacto logo na cabeça da escola.

Evolução

Os 73 minutos se desenvolveram de maneira sutil na avenida, com apenas um detalhe próximo ao módulo três. Os passistas vestidos de “Melão: sorriso de polpa com dentes de sementes” continuaram seguindo enquanto a bateria se preparava para fazer a apresentação dos jurados. Não houve um brande buraco, pois os diretores foram precisos e espalharam os passistas de forma que não prejudicasse a nota. Se o jurado observou a correria que aconteceu antes da organização, a escola pode perder décimos na cabine.

uniao-da-ilha_desfile_2018_36-8Samba-enredo

Foi conduzido com maestria por Ito Melodia e seus cantores de apoio. Mais uma vez, o intérprete “incorporou”, como prometido e transformou o criticado samba insulano em uma obra gostosa de se ouvir por toda Sapucaí. As partes que mais cativaram o público foram do refrão do meio de “Fogo aceso” a “(Ô, Ô, Ô, Ô) na batida do tambor”.

Fantasias

Mais um belo conjunto de figurinos feitos por Severo Luzardo e sua equipe. Cada ala era de fácil leitura de acordo com seu título, todas com bom acabamento. Os materiais não eram de extremo luxo, mas as fantasias não deixaram a desejar. As matriarcas da Ilha vieram fantasiadas de “Pacova da terra”, representando as bananeiras, que encantam nosso paladar. A saia era em plotter estampado de cachos de banana com penas e franjas de saco plástico que davam um belo efeito quando giravam.

uniao-da-ilha_desfile_2018_46-8Alegorias

Quesito que tirou a escola fora da briga pelas campeãs em 2017 foi a bela surpresa da Ilha em 2018. Temia-se que os carros sofreriam corte em seu tamanho devido o problema causado, mas isso não aconteceu. Todos os cinco eram grandes, volumosos e de leitura clara. O terceiro carro trouxe as comidas de terreiro com o “Fogo aceso no terreiro das Yabás”, em tons de laranja e vermelho tendo como referência o dendê.

Um comentário em “Fantasias, alegorias e bateria dão molho no desfile da União da Ilha

Os comentários estão desativados.