Fifa exclui da abertura da Copa escolas de samba cariocas

 

 

No tão falado "padrão Fifa" não tem espaço para o mais genuíno dos ritmos musicais brasileiros: o samba-enredo do Rio. A entidade, que recentemente registrou e proibiu o uso do nome "pagode" durante a Copa, excluiu da festa de abertura do Mundial as escolas de samba cariocas. A única agremiação a fazer parte da festa nesta quinta no Itaquerão é a paulista Pérola Negra, 13ª colocada e rebaixada no carnaval deste ano.

De acordo com matéria publicada pelo jornalista Aydano André Motta nesta quarta em O Globo, a festa contará com as participações dos cantores americanos Pitbull e Jennifer Lopez, além dos brasileiros Olodum e Claudia Leitte. O grupo baiano, que chegou a ser cogitado como enredo de uma escola do Grupo Especial para o ano que vem, ficou marcado na campanha do penta, com as entradas nos jogos da Seleção.

Com o samba de fora, a festa de abertura antes de Brasil x Croácia vai ter a apresentação de outros ritmos tradicionais brasileiros, como o frevo, o samba de roda baiano e a dança gaúcha. Além disso, a música oficial do Mundial, "We Are One" ("Somos um Só") vai ser cantada pelos astros Pitbull, Jennifer Lopez e Claudia Leitte, que tentou justificar a ausência do samba carioca na festa com uma pouco convincente justificativa. – Sou carioca, disse a cantora, nascida em São Gonçalo.

Se a Fifa se esqueceu do samba na abertura da Copa, não aconteceu o mesmo na festa de encerramento da Copa das Confederações, ano passado, que teve a participação de Phelipe Lemos e Rafaela Theodoro, primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da Imperatriz Leopoldinense. No palco montado pela entidade máxima do futebol mundial em Copacabana, que vai contar com exibições de jogos e atrações durante toda a Copa, as escolas de samba irão se apresentar e atender o anseio dos amantes do mais brasileiro dos ritmos, que não está adequado ao padrão Fifa, o samba.

Comente: