Filho de Portinari visita o barracão da Mocidade

Foi uma tarde de emoção e encantamento para João Cândido Portinari, 73 anos, filho do pintor Cândido Portinari, tema do enredo da Mocidade Independente de Padre Miguel. João Cândido visitou nesta sexta-feira o barracão da escola, na Cidade do Samba, para conhecer as alegorias criadas pelo carnavalesco Alexandre Louzada para o enredo ‘Por Ti, Portinari, rompendo a tela, a realidade’.

“A linguagem do carnaval e a obra de meu pai se conjugaram lindamente na Mocidade”, disse João Cândido. “O desfile será uma forma de colocar no colo de todo brasileiro o legado a obra de Portinari”, acrescentou.  O filho do pintor, cujo cinquentenário de morte inspirou a celebração de sua obra no enredo da Verde e Branco, admirou-se com o carro que retrata o célebre painel “Guerra e Paz”. Outro momento que o tocou foi ver a escultura do rosto de seu pai, que virá logo no abre-alas. A escultura traz movimentos que incluem o toque do pincel de Portinari na paleta de cores, o que aciona um mecanismo de iluminação que faz a alegoria mudar de cor a cada toque.

“A Mocidade que vai para a Sapucaí não é tecnológica, mas extremamente poética e artesanal. Temos um carro que foi todo pintado com giz de cera, ao longo de meses. Além disso, pelas características da obra de Portinari, as esculturas foram feitas uma a uma. O carro do retirante foi pintado com pincel, em vez de pistola de compressão, como é normal nos barracões”, contou o carnavalesco Alexandre Louzada.

O enredo da Mocidade tem a proposta de ‘tirar’ das telas e levar para a Avenida os personagens imortalizados em seus quadros. “É como se víssemos um Portinari tridimensional”, comparou Louzada. A Mocidade será a quarta escola a desfilar na Marquês de Sapucaí no domingo, 19 de fevereiro, rpimeiro dia dos desfiles do grupo Especial do carnaval carioca.