Final da Grande Rio: parceria de G Martins acredita na vitória e diz que samba está na noca do povo de Caxias

grande-rio-samba-3O que faz um compositor acreditar na vitória em uma final tão equilibrada quanto na Grande Rio, com cinco obras na grande decisão. Para a parceria dos compositores G. Martins, Jailson Da Grande Rio, Mo, Fernandão, Wagner e Jorge Fernandes o trunfo está na comunicação do samba com o público. Pelo menos é o que conta o compositor Fernandão em entrevista concedida ao CARNAVALESCO antes da grande decisão, que você pode conferir abaixo.

– Por que seu samba merece ser o campeão?

Fernandão: “O principal motivo na minha concepção reside no fato de ser o samba mais cantado em Duque de Caxias. Nossa obra está na boca do povo. Mas não é só isso. Atendemos aos anseios da escola ao fazer uma obra de melodia forte e com uma letra totalmente dentro da proposta do enredo. Buscamos fugir das armadilhas de repetir bordões de maneira ‘clichezada'”.

– Qual é sua parte predileta do samba?

Fernandão: “Compositor sempre acha o samba inteiro lindo né? Mas tem um trecho, que por ter sido uma sugestão minha na letra que eu vou destacar. ‘Curti tropicália/ toquei a buzina ganhei a Florinda/ no jogo do amor que coisa linda/ sua influência rendeu sucesso na televisão/ no rádio sintonizo o sorriso na audiência me tornei um campeão'”.

– Quanto em média a parceria acha que gastará em toda disputa e o que levará para apresentação na final?

Fernandão: “Já ultrapassamos os R$ 110 mil reais, pois acreditamos muito na vitória. Levaremos o povo de Caxias para dentro da quadra da Grande Rio com o samba na ponta da língua”.