Final do Salgueiro: parceria de Antônio Gonzaga quer aclamar a realeza negra

salgueiro-samba-1Apesar de jovem, Antônio Gonzaga vem fazendo história no Salgueiro. O compositor de apenas 23 anos tem participado de todas as finais de samba-enredo desde 2014. E, esse ano não é diferente. A disputa acontece nesta quarta-feira, a partir das 23h, com transmissão da Rádio CARNAVALESCO. A nova parceria com Luiz Pião, Raoni Ventapane, Gilmar L Silva, João Conga, Jacob de Pilares, Ivan Ribeiro e André Ronaldo parece ter dado muito certo. A obra da parceria está entre as três finalistas que se apresentam na grande final. Orgulhoso do samba, Gonzaga explica com detalhes porque sua obra merece se tornar o hino oficial da agremiação para 2018.

– Esse é um samba que estava dentro da gente e precisava ser escrito. Ele traz nossas mães, irmãs, tias, primas… Um pouco de cada rainha que são as mulheres das nossas vidas. Ele merece ganhar porque é um samba que tem verdade em cada palavra. Foi feito com muito suor, gratidão e sobretudo com muito amor. Amor a essas mulheres, amor ao enredo e amor ao Salgueiro. Esse samba é a possibilidade de gritar e coroar o orgulho de ter a cor negra e que essa é nossa bandeira de luta no dia a dia – aponta.

Como todo compositor, Antônio Gonzaga é um apaixonado por sua obra completa, mas diz que a parte final do samba é sua preferida.

– Gosto muito do trecho “Lá vem Salgueiro, na voz do morro a tolerância/ Se a igualdade ainda é uma criança, da sua luta ela nasceu”. Acho que essa é síntese da nossa mensagem. Vamos homenagear a mulher negra, guerreira das batalhas e do cotidiano e, que com toda a dificuldade, gera e leva no ventre a igualdade e a liberdade, e no sangue carrega a realeza de ser quem é.

A parceria ainda não se reuniu para fazer o balanço dos gastos com a participação nesta disputa. – Ainda vamos fechar as contas (risos). Não foram poucos gastos, mas tudo foi feito com muito planejamento e organização – diz.

Para a grande final, a parceria pretende investir no canto e em uma grande surpresa para o público presente.

– Estamos preparando a garganta. Vamos aclamar nossa realeza negra com canto forte. Essa é nossa principal força. Vamos apostar na letra e na melodia do nosso samba e na força dos seus admiradores. Estamos muito orgulhosos da forma como o samba foi recebido não só no Salgueiro, mas no mundo do samba em geral. Faremos uma grande coroação na quadra, digna de nossas rainhas – adianta Gonzaga.