Final do Salgueiro: parceria de Rafa Hecht comemora estreia na final e sonha com vitória

salgueiro-samba-2Quem diz que os jovens de hoje em dia não gostam de samba é porque não conhece a ala de compositores do Salgueiro. Além de Antonio Gonzaga, uma parceria chamou atenção por ser formada em sua totalidade por jovens estreantes, que já alcançaram o passaporte para a grande final. Rafa Hecht, Djalma Ferreira, Victor Jesus, Alexandre Pequeno, Jedson Santos, Thiago Barros, Anizio Elias e Renato Carvalho, além de almejarem ter a obra como hino oficial da Academia para 2018, pretendem mostrar que é possível participar de uma disputa de samba sem precisar de cifras exorbitantes. O jovem compositor, Rafa Hecht conversou com o site CARNAVALESCO e contou porque acha que a obra de sua parceria merece ser campeã.

– Além da qualidade do nosso samba, acredito que nossa parceria seja merecedora da vitória pela nossa proposta em escrever um samba sem um investidor. Vamos na contramão desse mercado superfaturado que é uma disputa de samba-enredo. Queremos mostrar que mesmo sem grana é possível fazer um samba e sair vencedor de uma disputa tão acirrada – ponta o artista.

Sobre sua parte preferida no samba, Hecht diz que é uma pergunta difícil e segue na indecisão.

– Essa é a pergunta mais difícil. Acho que o nosso samba tem uma cabeça valente, um refrão do meio que contagia, a segunda parte do samba e o refrão final emocionam e mexem muito com o coração salgueirense – diz.

A proposta da parceria foi entrar na disputa sem ajuda de um patrocinador e gastando o mínimo possível, por isso eles não sabem precisar o total gasto até o momento.

– É difícil dizer um número com precisão, mas desde o início a proposta foi gastar o mínimo do mínimo. Não temos dinheiro para pagar ingressos e ônibus para a nossa torcida, fazer churrascos, contratar muitos intérpretes consagrados para o nosso palco. Nas nossas concentrações antes da apresentação, nossa torcida leva bebida e petiscos para confraternizar, fazem os próprios adereços e fazem isso porque acreditam na nossa proposta – garante o compositor.

Chegar à grande final de samba na Acadêmicos do Salgueiro ao lado de nomes como Dudu Botelho, Demá Chagas, Luiz Pião, Xande de Pilares, entre outros que já são veteranos em disputa e já tiveram obras consagradas não é fácil, mas a “garotada” da parceria de Rafa Hecht está confiante e pretende entrar para a história.

– Pretendemos fazer história nesta grande final. Teremos uma surpresa antes de começar o samba e a alegria que já é comum da nossa torcida que, além de cantar muito, acima de tudo brinca e se diverte, eles não estão lá por obrigação e isto faz toda a diferença – conclui.