Grande Rio faz final de samba em formato de espetáculo do Cassino do Chacrinha e consagra parceria de Edispuma

Por Daniela Lima Safadi, Luis Felipe Aragão, Eduardo Fonseca e Allan Duffes

granderio_final2018_festa15Samba fácil de cantar que reúne trechos de canções que fizeram sucesso no “Cassino do Chacrinha”. Esse, sem dúvida, foi um dos pontos fortes do samba da parceria de Edispuma, Licinho JR., JL Escafura, Marcelinho Santos, Gylnei Bueno e Hélio Oliveira, que se tornou o grande campeão da disputa para o Carnaval 2018, neste sábado, na Grande Rio. Já na arrancada, o samba deu sinais de que seria o queridinho da noite. Apesar de ser a última parceria a se apresentar, a torcida e os intérpretes não demonstraram cansaço em momento algum. Ao contrário, a primeira passada do samba foi muito boa, embora no restante tenha caído um pouco, mas a torcida seguiu acompanhando. Aliás, a parceria de Edispuma não economizou no quesito torcida. As pessoas carregavam bolas, bandeiras e placas com fotos antigas de artistas que brilharam no Cassino, entre elas, Roberto Carlos e Sidney Magal. A parceria campeã foi presentada com o troféu especial D´Samba/Site CARNAVALESCO.

granderio_final2018_festa02– A obra levou cerca de duas semanas pra ficar pronta. A parte que fala “Oh Therezinha, oh Therezinha” é um revival para quem é fã do Chacrinha. Foi muito fácil compor. Essa música nasceu desse refrão. A parte que mais gosto é essa que fala dele, virou uma potência, porque pegamos o trecho da música com algumas coisas novas. Sou um cara de 40 anos já, e por isso me lembro bem dele. Quando a família Barbosa liberou os direitos autorais eu fiquei muito feliz e já veio em mente esse “Oh Terezinha” – contou o compositor Edispuma.

Marcelinho dos Santos estava visivelmente emocionado, mas afirmou que a “ficha vai demorar a cair”.

– É difícil falar porque estamos lutando há bastante tempo, desde 2011, que foi a última vez que ganhamos na Grande Rio. Essa escola que a gente ama, de coração. Nossa parceria foi muito forte, muito boa. Está difícil da ficha cair. E, acho que não vai cair tão cedo. Mas agora é só agradecer, a Deus, a família, aos amigos, a todos que nos apoiaram e cantaram esse samba com garra, com emoção – disse.

granderio_final2018_festa13Outro integrante da parceria, Hélio Oliveira pontuou que a safra deste ano foi muito boa e que estava bastante confiante na obra que fez com os amigos.

– É um pouco difícil falar porque esse meu coração já está machucado, já sofreu muito, mas tudo bem. A safra estava muito boa. Foi muito criada muita expectativa até chegar aqui. Mas o resultado foi bom. Sou um cara de 35 anos, lembro bem do Chacrinha, ele era fantástico e agora ganhou um enredo só pra ele.

A noite começou com o “Cassino do Chacrinha”. Mestre Thiago Diogo, com roupa parecida com a que Abelardo Barbosa usava em seus programas, abriu o evento. Tudo remetia à atração original apresentada pelo Velho Guerreiro. Assim, foi recebendo cada segmento conforme Chacrinha apresentava as atrações musicais em seu programa de auditório. A porta-bandeira Verônica e o mestre-sala Daniel até arriscaram cantar em dupla. O público aprovou a ideia.

granderio_final2018_131Em seguida, foi a vez de chamar Juliana Paes, que a partir de agora irá reinar à frente da Invocada. Surpresa ou não, assim que a beldade subiu no palco o público gritou insistentemente: “Bibi, Bibi, Bibi!”, nome do personagem que a atriz interpreta em “A Força do Querer”, novela das 21h, da Rede Globo. * VEJA AQUI COMO FOI A APRESENTAÇÃO DE JULIANA PAES

Grande Rio segue investindo na comunidade

Responsável por toda produção da final, o diretor de carnaval Dudu Azevedo conversou com o CARNAVALESCO sobre a preparação da escola para o ano que vem.

granderio_final2018_073

– Nós vamos investir de acordo com a entrada financeira. Fizemos um projeto, sabemos os custos, temos uma planilha de orçamento, mas não entrou o dinheiro da prefeitura, não fechamos aquele acordo com o governo federal. Fica difícil falar pra você que fechou o orçamento – afirmou Dudu.

granderio_final2018_134O diretor de carnaval explicou que a comunidade será maioria nas alas e que os ensaios já começam nesse início do mês.

– Temos apenas sete alas comerciais e vamos desfilar com 30 alas. São 23 alas em poder da escola. Tiram os sete segmentos, estamos falando de 16 alas de comunidade. A partir da próxima terça-feira, dia 5 de setembro, iniciamos os ensaios, mas sem a comunidade. Será somente preparação da bateria e do carro de som. A partir do dia 12, começam os ensaios junto à comunidade e será toda terça feira até o carnaval. Os ensaios de rua começam em dezembro – contou Dudu Azevedo.

Parceria com Ivete no Rock in Rio?

Emerson Dias, mais uma vez, deu show de apresentação. O cantor segue no topo e em eventos domina toda cena. De acordo com o cantor, as notas para a bateria em 2017 pegaram todos de suroresa.

granderio_final2018_033– Nós somos uma equipe e conversamos bastante. Estamos todos focados para reverter as notas de 2017. É um capítulo virado. Fizemos um desfile de muita alegria com a Ivete. Mas, infelizmente, o jurado viu de outra forma – disse.

Já em relação a um possível parceria com a Ivete Sangalo para o Rock in Rio, Emerson Dias falou ao site CARNAVALESCO que existe sim a possibilidade de reedição da dupla no festival.

– Está no ar ainda. Provavelmente, sim. Para finalizar o cantor falou que no samba de 2018 não podia faltar alegria e identificação.

Bateria promete ‘jeito diferente de desfilar’

Mestre Thiago Diogo, o Chacrinha da noite, conversou com o site CARNAVALESCO e deixou claro que o ano de 2018 não será para dar resposta aos jurados pelas notas de 2017.

granderio_final2018_026– Respeito o trabalho dos jurados. Nunca questionei. 2018 será um ano de trabalho e cabeça no lugar em busca da nota máxima – disse.

Em relação ao desenvolvimento da bateria, o diretor afirmou que terá muita mudança e que o trabalho já começa na próxima semana e conta com a participação da rainha Juliana Paes.

– Temos muitas coisas preparadas. Tem alguns desenhos que faremos e vamos contar a Juliana. Renato e a Márcia são fantásticos. A fantasia ficou do jeito que o ritmistas gosta – contou Thiago Diogo, que prometeu ‘uma maneira diferente da bateria desfilar. – Algo que ninguém jamais viu – garantiu.

Casal já iniciou os ensaios

granderio_final2018_040Em entrevista ao site CARNAVALESCO, o casal de mestre-sala e porta-bandeira, Daniel e Verônica, contou que a preparação para o desfile de 2018 já começou. A dupla concorda com as notas dadas pelos jurados em 2017, mas enxergar uma avaliação mais rigorosa com as primeiras escolas que desfilam.

– Esse ano nos já estamos ensaiando, antes mesmo de começar a disputa de samba, corrigindo e ajustando os mínimos detalhes. Eu acho que a gente tem essa obrigação, se preparar cada vez mais, para melhorarmos a cada ano. Fizermos uma boa apresentação, mas podemos ser melhor. Estamos trabalhando uma coreografia bem tradicional. Vamos tentar esse ano não esbarrar em nenhuma exigência ou observação já feita – contou Verônica.

O mestre-sala complementou dizendo que eles estão ensaiando três vezes na semana e estão sendo procurando atender às expectativas do jurados.

– Estamos fazendo treino funcional, pegando resistência, além de aprendemos algumas técnicas de balé, que ajudam na questão da postura e leveza que é muito cobrado pelos jurados – disse Daniel.

Renato Lage: ‘Vimos que a Grande Rio é uma escola que tem estrutura’

granderio_final2018_114Após 15 anos de Salgueiro, o mago Renato Lage foi para Caxias. Em entrevista ao CARNAVALESCO, ele disse que está muito satisfeito com o trabalho na Grande Rio e revelou que o ano de 2018 será de muita criatividade, embora, o assunto crise econômica não seja novidade no carnaval.

– A Grande Rio é um nova era pra nós. Chegamos aqui e vimos que é uma escola que tem estrutura, eles são empenhados em fazer acontecer. O ano de 2018 é preciso se adequar ao seu orçamento, mas essa coisa de crise não vem de agora, a gente precisa tirar da cabeça o que não consegue tirar do bolso – afirmou Renato.

Marcia Lage explicou como surgiu a ideia de fazer um enredo sobre Chacrinha para o desfile de 2018.

– Há um tempo o Renato encontrou com o Leleco (Barbosa, filho do Chacrinha) num camarote e falou que seria legal um enredo sobre o Chacrinha, mas a história nem foi pra frente. Agora que ele voltou com a ideia. O Chacrinha merece esse enredo. Ele permite um carnaval diferente desse engessado que vemos por aí, permite um carnaval mais mais solto , mais irreverente. Podemos mostrar mais um lado “maluco beleza”. Dentro das nossas possibilidades, ele será um carnaval bem irreverente e ainda vamos levar uma surpresa pra Avenida – prometeu.

Como foram as apresentações:

granderio_final2018_024Parceria de Elias Bililico: O primeiro samba a se apresentar não ganhou muito apoio do público. A parceria cantava animada, assim como a torcida. O destaque foi para a interpretação de Quinho e a utilização de um saxofone.

granderio_final2018_113Parceria de Paulo Onça: Começou com o samba pra cima, porém poucas pessoas cantavam. Até mesmo a torcida apresentou canto aquém do esperado. Dudu Azevedo, diretor de carnaval, chegou a cantar de maneira tímida. Depois da segunda passada, alguns integrantes da torcida “desistiram de cantar”.

Parceria de G. Martins: começou com gritos de é campeão antes mesmo do samba ser cantado. Dominguinhos do Estácio e Bruno Ribas dividiram os microfones e conseguiram tirar o público do marasmo. Na verdade, este foi o único samba que teve mais interação com o público. Emerson Sias e Dudu apenas assistiram a apresentação no palco.

Parceria de Myngal: Celsinho Mody, intérprete da Tatuapé, era um dos compositores do samba. Ele cantou forte demais na tentativa de incentivar o público. Wander Pires foi o intérprete oficial da parceria. A turma não levou torcida, apenas um público pequeno cantava o samba.

Parceria de Edispuma: O último samba da noite. Torcida se destacou ao mostrar retratos de Roberto Carlos, Raul Seixas, Wando e José Augusto. Cantores que fizeram sucesso e que não podiam deixar de participar do Cassino do Chacrinha. Torcida também levou guarda-sol e chapéu de frevo. Parceria passou bem, samba empolgou algumas pessoas na parte do refrão. “Vamos incorporar Chacrinha”, disse Ito Melodia ao subir ao palco. Aliás, o cantor foi o grande destaque da apresentação.