Grande Rio quer ser vista de uma maneira diferente

Foto: Ricardo Almeida/DivulgaçãoTalvez o ditado 'depois da tempestade vem a bonança' nunca tenha tido uma situação tão perfeita para ser aplicado quanto no atual cenário da Grande Rio. Apontada anteriormente como uma escola mais preocupada com os artistas que com a sua comunidade, a diretoria da Tricolor de Caxias vem dando mostras que quer ser vista de uma maneira diferente. O curioso é que o acontecimento mais trágico dos 23 anos de história da Tricolor de Caxias pode ser o ponto de partida da mudança.
 
Nas palavras do presidente Helinho de Oliveira as lembranças do fatídico 7 de fevereiro de 2011 ainda estão bem vivas, mas a esperança dos novos tempos surge com força.
 
– Quando eu vi o meu barracão queimando as lágrimas corriam, não só pelo fogo, mas por saber que estava perdendo uma grande chance de ser campeão. Hoje, vejo uma escola mais forte, mais unida. Temos somente cinco alas comerciais e no próximo carnaval eu penso em não ter nenhuma. A Grande Rio dá 3.200 roupas para a sua comunidade e acho que chegou a nossa hora. Vamos para cima deles buscar o título de 2012. Ainda não posso dizer em quanto está orçado o carnaval da Grande Rio, mas garanto que será um dos mais luxuosos da história.
 
Uma das medidas que provam a mentalidade da diretoria pós-incêndio é a provável transferência do pomposo ensaio que a Grande Rio fazia no Monte Líbano para a quadra da escola. De acordo com Helinho, a mudança ainda não pode ser considerada definitiva, já que a Grande Rio continuará realizando eventos na Zona Sul, mas já é certo que os ensaios de sábado continuarão na quadra da escola. Até mesmo um novo camarote foi construído no local para acomodar os ilustres convidados.
 
A demonstração de amor dada pela comunidade fica clara nas palavras do diretor de carnaval Tavinho Novelo.
 
– Não há dúvidas que a escola está mais unida. Falo isso com toda a diretoria. Em todas as escolas existem artistas, a Grande Rio é mais uma que tem e acho que a comunidade deu a resposta para esse rótulo criado de forma errada por todos que nos criticam. Chegamos aqui na terça-feira, depois do incêndio, e a quadra cantou o samba durante uma hora sem cavaco, sem cantor e só com o acompanhamento da bateria do mestre Ciça. Só de lembrar me arrepio todo, nunca havia visto aquilo na minha vida!
 
Grande mentor do que a Grande Rio vai mostrar na Avenida em 2012 com o enredo sobre superação, o carnavalesco Cahê Rodrigues revela como está o andamento do trabalho para o próximo desfile.
 
– Já começamos as estruturas de cinco carros e terminamos os protótipos. A reprodução das fantasias já começou a ser feita e nós decidimos que não haverá festa de protótipos este ano na Grande Rio. É uma saída para que a gente possa preservar o carnaval da escola. O cronograma está caminhando bem e, se Deus quiser, iniciaremos janeiro com a coisa muito bem encaminhada. As história felizes que começam a partir de uma superação serão contadas pela Grande Rio no Sambódromo. As pessoas que tenham passado por alguma adversidade vão se identificar com o nosso carnaval.
 
Em busca do primeiro título de sua história, a Grande Rio será a última escola a desfilar na segunda-feira de carnaval. O nome do enredo da escola é 'Eu acredito em você. E você?'

Comente: