Gravações do CD do Grupo de Acesso A começaram. Veja os vídeos

O CD oficial do Grupo de Acesso A 2012 começou a ser gravado neste domingo, na quadra do Salgueiro. Produzido por Leonardo Bessa, o álbum, além dos sambas das nove agremiações que compõem o grupo, contará também com os sambas-exaltação de cada escola, logo no início da faixa. As quatro primeiras a levarem as suas baterias e seus intérpretes, para que pudessem ser gravadas as bases e as vozes-guia, foram Rocinha, Império Serrano, Paraíso do Tuiuti e Cubango. No próximo domingo, as outras cinco: Inocentes de Belford Roxo, Viradouro, Estácio de Sá, Império da Tijuca e Santa Cruz também comparecerão a quadra do Salgueiro. Antes disso, as quatro agremiações que já gravaram suas bases, levarão suas comunidades para a gravação do coro, na quadra da Estácio, na próxima quinta-feira.

Desde que voltou a tona, o formato de gravação virou febre entre os amantes do samba e, Leonardo Bessa, um dos responsáveis por isso, explicou o passo a passo da produção do disco.

– É um trabalho que já estamos fazendo ao longo de um tempo e conseguimos chegar num formato considerado ideal. O trabalho começa quatro meses antes do dia de hoje. Lá começamos a fazer o planejamento e durante a última semana nós tiramos o tom de cada samba com as escolas. Hoje, chegamos cedo aqui para montar toda a estrutura necessária e começamos a gravar a base e a voz-guia, aqui é o início de tudo. Começamos a trabalhar os detalhes, complementos, até chegar o coro, depois a mixagem, e vocês poderão acompanhar um trabalho de qualidade mais uma vez – afirmou o intérprete do Salgueiro, que também informou que o CD do Grupo B será gravado somente em estúdio.

Uma das diferenças para a gravação do CD do Grupo Especial é a ausência dos chamados instrumentos leves da bateria: tamborim, chocalho, agogó, cuíca e etc. Bessa explicou que prefere que essas peças sejam incluídas na faixa durante a gravação dos complementos no estúdio, fase que ainda irá começar, já que elas requerem uma atenção maior. O fato de o álbum ser gravado sempre numa quadra de escola de samba foi lembrado por ele.

– Não inventei nada. Esse formato havia sido abandonado pelo Grupo Especial nos anos 90 e 2000 e nós retomamos esse processo. Em 1998, fizemos pela primeira vez na quadra do Império Serrano. Em quadra de escola de samba nós fomos os primeiros a fazer. O Grupo Especial monta uma estrutura na Cidade do Samba e antigamente o CD era gravado no Teatro de Lona, na Barra da Tijuca. Acredito que dentro da quadra o ritmista se sente mais a vontade. A nossa intenção é que ele se sinta num ensaio.

Confira abaixo os vídeos de alguns trechos das gravações, depoimentos de quem esteve na quadra do Salgueiro neste domingo, e o número de ritmistas que cada agremiação levou.

Acadêmicos da Rocinha

Anderson Paz – Intérprete
''Gravação é isso aí mesmo, foi feita para o consumidor ouvir e sentir o samba da escola. Na Avenida e na quadra o papo é diferente: o bicho pega e o couro come(risos). Ainda estamos parados com relação aos ensaios de comunidade, mas em breve vamos começar e estou muito focado em fazer o melhor com esse samba-enredo. O trabalho será voltado para que a escola chegue ao Grupo Especial em 2013.''

Mestre Maurão – Diretor de Bateria
''Ficou bom. É o que eu sempre falo, isso aqui é a gravação de um CD, temos que valorizar o samba. Não dá para colocarmos ritmo de Avenida e fazer várias bossas, mas gostei muito andamento. Prefiro uma bateria cadenciada e conseguimos fazer isso. As bossas feitas aqui hoje serão trabalhadas para fazermos no desfile. Além delas, estamos preparando mais três, que serão exaustivamente ensaiadas na quadra.''

Império Serrano

Tiãozinho Cruz – Intérprete
'' É a Sinfônica né, cara. Vim para fazer parte de um projeto que já existe e vem dando muito certo. Esse ano ainda tem o samba que é maravilhoso. Cheguei no Império Serrano para somar e fazer com que o samba renda ainda mais. A bateria do Império é muito diferente das outras, sai do normal, de tudo aquilo que eu já vi. A responsabilidade é grande, mas eu me sinto com experiência para desempenhar um bom papel. Tenho uma história grande na Sapucaí. É lógico que nenhuma escola que eu já passei tinha o tamanho do Império Serrano, mas nunca pensei nisso na hora de cantar. Sempre me dediquei ao máximo em todos os lugares que cantei e no Império Serrano não será diferente. Passo pelo melhor momento da minha vida.''

Mestre Gilmar – Diretor de Bateria
'' Estou satisfeito. Fizemos uma gravação bem característica do Império Serrano. Queria até fazer mais uma coisinha ali no início, mas o parceiro Leonardo Bessa acabou não deixando(risos). Tudo tranquilo, sei que existe uma norma pré-determinada para as gravações e não quero desrespeitar isso. A gravação é o primeiro passo. Não adianta querer mostrar muita coisa aqui e esquecer de fazer uma boa base para o samba. Vamos fazer cinco bossas durante o desfile e duas delas entraram no CD. Estamos ensaiando duas vezes por semana – segunda e quarta – e já estamos fechando um acordo para ensaiarmos embaixo do viaduto, já que a quadra está em obras. Não adianta querer levar o ensaio para longe. Existe a questão da logística para transportar os instrumentos e transtornos para os ritmistas se deslocarem.''

Paraíso do Tuiuti

Daniel Silva – Intérprete
'' Estou muito feliz, o mestre Celinho é uma sumidade e não tem mistério, é só começar a cantar e deixar as coisas fluírem. O entrosamento com a bateria foi ótimo e gravação ficou perfeita. Acho que é só esperar a hora da sirene tocar e pedir a Deus que dê tudo certo na Avenida. É um samba muito forte, apaixonado e guerreiro, será um dos mais bonitos do carnaval. Cantar no Tuiuti é muito gratificante porque a comunidade te abração de uma maneira que te faz sentir-se em casa.''

Mestre Celinho
'' Gostei muito do andamento do ritmo que nós colocamos na gravação. Na reunião que nós fizemos foi pedido para que o samba fosse valorizado e foi isso que eu procurei fazer. Não quis fazer paradinha. Vou deixar para fazer isso nos nossos ensaios de quadra e colocar em prática no desfile. Fiquei sem palavras nessa minha volta ao carnaval. Continuei trabalhando como taxista e as pessoas toda hora me perturbavam(risos), pedindo para eu voltar. De tanto falarem acabei voltando. Estou desde criança no samba e me sinto muito bem aqui.''

Acadêmicos do Cubango

Mestre Jonas
'' O CD é feito para mostrar a letra e a melodia do samba. Do ano passado para cá, melhoramos muito. Estou satisfeito com os meus ritmistas e com o formato de gravação ao vivo. Vamos colocar sete bossas no samba e no CD fizemos apenas uma. Estou no terceiro ano na escola e já me sinto em casa, sou da comunidade. Saí de Padre Miguel e estou morando em Niterói.''

Deixe seu comentário abaixo