Grupo B: Confira como será o desfile da Cabuçu

Nona escola a desfilar, no dia 2 de março, na Intendente Magalhães, a Unidos do Cabuçu apresentará o enredo "Tire sua mordaça do caminho… Que eu quero gritar a minha cor… ". Os carnavalescos Laerte Gulini e Clébson Prates conversaram com a equipe do site CARNAVALESCO.

Carnavalesco – O que conta o enredo da escola para 2014?

Laerte Gulini e Clebson Prates – Vamos apresentar a saga da escrava Anastácia, iniciando na África com sua família, na sua chegada ao Brasil, como ela se transformou em um ícone de resistência… Anastácia, por ser uma mulher negra muito bela, de rara beleza, se manteve virgem, era muito cobiçada pelos senhores feudais e outros homens de “poder”, mas sempre se negou a deitar-se na cama com qualquer um. Curandeira tinha mãos milagrosas, sempre a ajudar os doentes. Por não se deixar tocar, foi sentenciada a usar uma mascara de ferro por toda sua vida para esconder a beleza do seu rosto. Não podemos deixar de falar do grito de liberdade, da luta contra o racismo, da resistência, onde no nosso enredo Anastácia simboliza a resistência de uma mulher guerreira.

Carnavalesco – Quantas alas e alegorias a escola vai levar para o desfile?

Laerte Gulini e Clebson Prates – O regulamento para o carnaval de 2014, nos atrapalhou um pouco, pois, o planejamento era levarmos duas alegorias, e o regulamento só permite uma, mas não há problemas, já fizemos algumas correções e vamos com uma alegoria dois tripés e em trono de 900 componentes divididos em 16 alas.

Carnavalesco – Quanto em média à escola pretende investir no desfile e como conseguir esses recursos?

Laerte Gulini e Clebson Prates – O carnaval da intendente é muito difícil conseguir patrocínio, então, vamos usar o recurso da subvenção, em trono de R$ 84 mil.

Carnavalesco – Tirando a parte financeira e a divulgação, qual é a outra diferença em fazer desfile pra Sapucaí e pra Intendente?

Laerte Gulini e Clebson Prates – Na Sapucaí é fácil, todos querem aparecer na televisão, o componente quer mostrar que sabe cantar o samba, há possibilidades imensas de desenvolver um enredo diferente, um carnaval grandioso… Enfim, é o grande palco. Na Intendente se a escola não “trabalhar” a sua comunidade, vai ter caminhão cheio de fantasias sem ninguém pra desfilar, o diretor de harmonia pegando gente pela mão perguntando se quer desfilar, tem que se organizar, pois, é o carnaval do povão, para a grande massa, falta apoio para o carnaval da Intendente se profissionalizar ainda mais.

Carnavalesco – Qual sugestão você daria para melhorar o desfile da Intendente?

Laerte Gulini e Clebson Prates – Melhoraria a estrutura da passarela, com uma grande arquibancada, sem farpas e madeiras mal colocadas, uma iluminação adequada, o som na pista toda, até 2013 o som só chegava até a metade da passarela, já neste ano poderia ser de ponta a ponta. Tem que ter mais segurança, pois, há escolas de “comunidades” rivais, podendo ter um atrito, a segurança ajudaria e muito na chegada e na saída do folião e do grande público, incentivando mais pessoas a saírem de suas casas para nos prestigiar.

Mensagem para comunidade da Unidos do Cabuçu: "Toda a escola está muito triste, somos a primeira campeã da Sapucaí e não vamos participar da comemoração dos 30 anos de passarela, mas não tem problema, isso nos incentiva a mostrar um grande carnaval, como em 2013 está tudo pronto e garantido na beleza, o morro desceu na festa de protótipo e todo gostaram do viram, podem acreditar, vamos brigar pelo título e voltar para Sapucaí.