Grupo B: Confira como será o desfile do Império Rubro-Negro

 

 

Estreante no carnaval carioca, o GRES Império Rubro-Negro, que herdou o nome da antiga Império da Praça Seca, vai apresentar no Grupo B em 2014 o enredo "As vozes da nação", que vai exaltar seis grandes nomes da música brasileira e que torcem pelo Flamengo: Bebeto, Sandra de Sá, Arlindo Cruz, Dudu Nobre, Diogo Nogueira e Xande de Pilares. O carnavalesco da novata agremiação, que é presidida pelo mestre-sala da Mangueira, Raphael, conversou com nossa equipe sobre as expectativas para o desfile. Confira o bate-papo:

CARNAVALESCO – O que conta o enredo da escola para 2014? 
Rodrigo Almeida: O enredo: “As vozes da nação” foi escolhido pela antiga diretoria da agremiação, o novo presidente Raphael Rodrigues (mestre-sala da Mangueira) em conjunto com a diretoria atual, decidiram manter o enredo, que será uma homenagem as seis grandes vozes que torcem e amam o Flamengo. O clube rubro-negro é o elemento que une esses seis grandes artistas: Bebeto, Sandra de Sá, Arlindo Cruz, Dudu Nobre, Diogo Nogueira e Xande de Pilares. Através de sua arte, cada cantor rubro-negro será homenageado, vamos apresentar a característica de cada um, que os levou a torcer pelo clube da Gávea. No setor que terá a homenagem ao Arlindo Cruz, terá uma parte da histórica do bairro de Madureira, do Império Serrano, da sua vida no samba, vamos usar a irreverência da Sandra de Sá.

CARNAVALESCO – Quantas alas e alegorias a escola vai levar para o desfile?
Rodrigo Almeida: Vamos seguir o regulamento, uma alegoria e dois tripés, serão em torno de 800 fantasias que serão distribuídas nas comunidades da Praça Seca, Covanca, Chacrinha e adjacências.

CARNAVALESCO – Quanto em média a escola pretende investir no desfile e como conseguir esses recursos?
Rodrigo Almeida: Vamos usar o valor da subvenção que será em torno de R$ 70 mil com os descontos, todos sabem das dificuldades que as escolas que desfilam na estrada Intendente Magalhães passam, no Império Rubro-Negro não é diferente, prefiro que minha diretoria e direção de harmonia usem camisas grafitadas a ter alas luxuosas e o carro bem acabado, do que usar camisas lindas e ver a escola cheia de problemas.

CARNAVALESCO – Tirando a parte financeira e a divulgação, qual é a outra diferença em fazer desfile pra Sapucaí e pra Intendente? 
Rodrigo Almeida: O contato com o público, a troca de energia que é muito mais intensa, lá tem diversas classes sociais, compartilhando da mesma emoção, que é assistir um desfile com várias escolas de samba. O povo grita e explode de alegria, ainda mais quando avista um destaque, quando passa a ala de passistas, a bateria. Na Intendente, somos mais carnavalescos, o trabalho é intenso, mas vale muito à pena. Na Sapucaí, é aquele mega carnaval, devido ao profissionalismo.

CARNAVALESCO – Qual sugestão você daria para melhorar o desfile da Intendente? 
Rodrigo Almeida: A logística é o grande problema, o grande vilão, ainda temos escolas em barracões na Av. Brasil próximo ao INTO, próximo a Via Binário. Temos que ter uma iluminação melhor, arquibancadas mais confortáveis, pintar o chão da pista, ou seja, dar mais dignidade a quem assiste e a quem desfila.

CARNAVALESCO – Mensagem para a comunidade:
Rodrigo Almeida: Dificuldades sempre existiram, estamos preparando um grande carnaval, a escola não vai decepcionar, podem acreditar, vamos confiantes somos o Império Rubro-Negro! Acima de tudo Rubro-Negro!

Comente: