Helinho garante padrão de qualidade no desfile da Grande Rio

Uma das escolas que mais têm despertado expectativa acerca do desfile que irá realizar em 2012 é a Acadêmicos do Grande Rio. A principal motivação para isso é observar como a Tricolor de Caxias irá se comportar na Avenida com um enredo que retrata bem o seu momento e, se o alto padrão de qualidade no aspecto visual será mantido, mesmo após o grande prejuízo sofrido pela escola com a perda de todo o maquinário no incêndio de fevereiro de 2011.

O presidente da Grande Rio, Helinho de Oliveira, não entra em detalhes no aspecto financeiro, mas garante que esse problema não atrapalhou a produção da agremiação da Baixada Fluminense
 
– Nós não deixamos isso atrapalhar o desenvolvimento do nosso carnaval. Temos 90% da nossa ferragem pronta, 90% da madeira pronta. Foi muito trabalhoso. Começar um carnaval do zero é muito complicado. Não tínhamos máquina de costura, de solda, mas no primeiro minuto após o último desfile já começamos a trabalhar para esse. Não adianta ter dinheiro e não se superar. Essa é a nossa proposta.

Para embalar o sonho do título inédito do Grupo Especial, Helinho mostra muita confiança no samba que a escola tem para mostra na Sapucaí em 2012. Mesmo sabendo que a obra não está entre as preferidas nas pesquisas de opinião, o dirigente elogiou a safra e diz acreditar num fator que só entra em campo no dia do desfile.
 
– Papai do Céu me atendeu e as pessoas que acompanham o ensaio sabem que a Grande Rio tem um grande samba. O mais importante para mim é ver como o samba vai render no desfile. É na Avenida que se vê a sua qualidade. Eu conversei com o Zacarias Oliveira(produtor do CD) e ele estava elogiando demais a safra desse ano. Isso é bom para o carnaval e para o Rio de Janeiro. O nosso samba tem pegada e a Grande Rio não tem receio nenhum de fechar o carnaval do Rio de Janeiro. É uma honra para nós isso. Vamos mostrar para o Mundo o que é uma superação.

Para 2013, o enredo sobre o diretor de TV José Bonifácio de Oliveira, o Boni, é uma realidade dentro da escola. Helinho contou o que há de verdade até aqui nesse assunto.
 
– Há uma vontade muito grande do Jayder para que isso aconteça. O Cahê também já tinha essa intenção, principalmente depois do lançamento do livro que essa fera lançou. As pessoas leem e o carnavalesco pensa logo num enredo. Agora, eu pergunto: é um enredo ou não é? O homem é uma fera. Não dá para falar de televisão sem falar de José Bonifácio e se for o Cahê Rodrigues e a Grande Rio melhor ainda. Vamos conversar com ele e a família dele para colocarmos em prática essa ideia – garantiu.