Ilha se solta pouco em ensaio técnico com bom canto no Sambódromo

 

 

''É hoje o dia da alegria'' talvez seja o verso mais famoso de um samba enredo da União da Ilha. Não por acaso, a característica mais marcante da agremiação é justamente essa. Portanto é plausível que os desfiles e ensaios técnicos da escola ao menos despertem essa expectativa. Pois em seu ensaio técnico realizado na noite deste domingo, na Marquês de Sapucaí, faltou ser mais União da Ilha, se soltar, se desprender das amarras da perfeição técnica que o carnaval de hoje pede.

 

* VEJA AQUI VÍDEO DO ENSAIO

 

* VEJA AQUI FOTOS DO ENSAIO

 

* VEJA AQUI: ESQUENTA DO SAMBA E BATERIA DA ILHA

 

Não que a escola não tenha feito um bom ensaio. O componente da Tricolor Insulana, mesmo sem tanta intensidade, cantou seu bom samba-enredo, mas faltou projetá-lo a um nível mais competitivo para uma agremiação que quer alcançar ao menos o desfile das campeãs. Na evolução, o cenário é parecido. Nada de grandes falhas, mas a espontaneidade e a alegria da União foram manifestadas de maneira mais contida. Vale ressaltar o fato de muitos componentes da agremiação estarem fantasiados, o que demonstra respeito e preocupação com o público que prestigia os ensaios técnicos.

 

 

Marcio André, diretor de carnaval da Ilha, fez sua análise do ensaio. – A gente teve um andamento no qual a evolução e o canto tiveram maior importância. No desfile tem alegorias, uma comissão de frente que vai surpreender. Aqui no ensaio a história é outra. É mais pra desenvolver o canto da escola e a evolução, juntamente com o andamento da bateria e o carro de som.

 

* VEJA AQUI ANÁLISE DA BATERIA NO ENSAIO

 

O mestre Thiago Diogo analisou a atuação da bateria. – Foi dentro do que eu esperava. Senti um pouco de falta de ouvir a voz do cantor, mas minha bateria ensaia cantando e não fez diferença. Estivemos no andamento que eu desejava.

 

Comissão de Frente

 

Em seu ano de estreia na União da Ilha, o coreógrafo Jayme Arôxa levou sua comissão de frente vestida com uma blusa azul da escola e parte de baixo branca. Grande parte da coreografia foi feita em casal e remetia a brincadeiras de criança, aparentemente serviu mais para marcarem o tempo de apresentação em cada cabine de julgadores. – Hoje viemos para testar a escola como um todo. Como cairá o samba, a harmonia, a comunidade, o conjunto e a evolução. Não mostramos a coreografia do dia do desfile oficial, mas teve algo a ver porque o tema é um só. Seremos "O Universo Mágico dos Brinquedos de Zero a Cem anos". É a minha estreia na União da Ilha onde fui muito bem tratado e bem atendido em meus pedidos que não foram poucos. Acredito que o samba quando é bom e bem cantado traz um calor para o desfile e já é meio ganho do carnaval – disse o coreógrafo Jaime Arôxa.

 

Mestre-sala e porta-bandeira

 

Outro casal que dança junto pela primeira vez. Cristiane já era porta-bandeira da escola no ano passado, mas Marcinho era o segundo mestre-sala. Muito bem vestidos com roupas que remetiam a infância, a dupla divertiu o público com uma encenação baseada na letra do samba, mas que pela complexidade dos movimentos fica bem difícil de se imaginá-la no desfile oficial, até pelo volume da fantasia. Eles mostraram entrosamento e delicadeza nos movimentos.

 

Cristiane Caldas foi apontada pela equipe do site CARNAVALESCO como destaque do ensaio. Ela ganhou um kit da D´Samba. – Um prazer ser premiada. Meu primeiro ano com o Marcinho, que está me trazendo sorte. Estou muito feliz – disse Cristiane. – Estou extremamente surpreso e feliz com esse prêmio. Nem tenho palavras para agradecer. Acho que passamos bem. Muito obrigado a todos – afirmou Marcinho, que ganhou o calendário do ano de 2014 feito pela Brazil Carnival Ooah!

 

Harmonia

 

Cantar o samba a Ilha cantou, mas faltou mais projeção para que esse canto se sobressaísse e até fizesse o ensaio render mais. Na segunda metade do ensaio, a passagem da escola foi levemente sonolenta em alguns setores. A ala que vinha logo atrás da Velha Guarda pode melhorar no canto, assim como a ala Sambatuque, a ala que vinha atrás das passistas, ala Raízes e ala imediatamente atrás de um grupo de ''pernas de pau''. Já as alas que se destacaram foram a Tropa de Elite, Batuque de Batom e Sou Mais Minha Ilha. Um ponto que a direção de harmonia da escola pode melhorar é o canto do verso ''Na vitrine vejo o meu olhar no seu olhar''. Muitos componentes trocam a ordem das palavras ''meu'' e ''seu'' e a uniformidade do canto é afetada.

 

* VEJA AQUI: LUIS CARLOS MAGALHÃES ANALISA O ENSAIO

 

Evolução

 

A escola não abriu grandes buracos, apenas um espaço na frente da bateria próximo ao terceiro módulo, mas nada que chamasse tanto a atenção. Apesar de correta com relação a distribuição dos componentes dentro das alas, faltou mais alegria, evoluir com mais vibração na maioria das alas. O samba é leve e pede mais espontaneidade por parte do componente. A escola ensaiou em 74 minutos.

 

A União da Ilha do Governador será a segunda escola a entrar na Marquês de Sapucaí na segunda-feira de folia com o enredo ''É brinquedo, é brincadeira: A Ilha vai levantar poeira'', que será desenvolvido pelo carnavalesco Alex de Souza.

Comente: