Ilha testa bossa ousada em ensaio de rua e Wilsinho garante que sem erros escola briga por campeãs

Por Guilherme Ayupp. Fotos: Vinicius Vasconcelos

uniao_da_ilha_ensaio_de_rua-43Qual a receita para que a União da Ilha volte a desfilar no Sábado das Campeãs? Com o ensaio de rua realizado na noite de quarta-feira, na tradicional Estrada do Galeão, a escola deu um aperitivo do que pode ser sua apresentação na segunda-feira de carnaval no Sambódromo. A Baterilha foi, mais uma vez, um dos grandes destaques, junto do intérprete Ito Melodia, do canto da comunidade e do casal Phelipe Lemos e Dandara Ventapane.

Samba-Enredo

Executado em um andamento um pouco mais atrás do que o corriqueiro, a obra está na ponta da língua do componente. O trecho que faz a entrega para o refrão principal e que cita o nome da escola, “Ilha, prepare a mesa no bar faz a festa” foi o destaque da noite. E o intérprete Ito Melodia com uma condução firme e mais uma vez muito animada impulsionou ainda mais.

uniao_da_ilha_ensaio_de_rua-29– A expectativa é maravilhosa. Estamos botando o samba no clima para o componente cantar e se divertir. O Ciça é incrível. Vamos fazer uma bossa que eu e a rainha participamos. O samba pode até ser colocado um pouco para frente, para trás não tem como. Será um belíssimo desfile. O ensaio técnico deixou órfão o sambista que não pode assistir os desfiles. O povo do samba vibrando, cantando, com os sambas de todas as escolas. A gente tinha a oportunidade de ver o nosso povo lá – disse.

Harmonia

O canto apresentado pela comunidade insulana já é padrão de desfile. Não apenas os refrões, mas diversos trechos do samba entoados a plenos pulmões pela comunidade. Do início ao fim as alas cantaram o tempo todo do ensaio o hino oficial para o Carnaval 2018. O desafio a partir de agora é a manutenção do nível.

Evolução

uniao_da_ilha_ensaio_de_rua-27Quesito sempre muito complexo de se avaliar a evolução da Ilha esteve perfeita. Alas brincando e não se limitando a andar enquanto cantava o samba. Disposição organizada, sem embolar uma ala na outra. Sequenciamento de ensaio sem correria ou lentidão e muita dança por parte de componentes. Alas coreografadas passaram cantando o samba todo o tempo.

– Está sensacional à medida que o carnaval se aproxima com as notícias positivas e o pessoal vai vindo a cada dia com mais garra. Foi o primeiro ensaio desse ano. O canto na União da Ilha é sempre muito forte. A realização do ensaio técnico no Sambódromo é algo que se tornou totalmente inviável este ano. Ano que vem esse modelo será revisto e vamos atrás de parcerias, pois as escolas não tem mais como arcar – analisa o diretor de carnaval Wilsinho.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

uniao_da_ilha_ensaio_de_rua-22Phelipe Lemos e Dandara Ventapane estão na ponta dos cascos. O início do ensaio já ofereceu um enorme desafio para a promissora porta-bandeira. O vento desafiava seu controle da bandeira, mas ela venceu a batalha evitando que houvesse o enrolar usando a mão direita para controlar o pavilhão. Phelipe desfilou toda a técnica de sua dança com seus tradicionais passos ousados e de difícil execução. Uma aula de bailado e técnica.

– Muita vontade de atingir a nota máxima sempre. Ficamos com o gostinho do quase em 2017, chegamos perto dos 40, embora tenhamos conseguido os 30. Hoje sem os ensaios técnicos o único contato nosso com o público fora da quadra é aqui na rua. Tem o vento, que é um componente importante para testar. Faz parte da preparação do casal. Como sambista sinto muito a não realização dos ensaios técnicos. Como porta-bandeira era um termômetro que mais se aproximava da realidade do desfile. Tomara que ano que vem a gente consiga voltar – afirmou Dandara.

uniao_da_ilha_ensaio_de_rua-15

– Muita responsabilidade, mas agora um pouco mais leve por ter conseguido ter dado à escola a nota máxima no quesito ano passado. Vamos em busca desse um décimo que ficou faltando para alcançarmos os 40 pontos. O ensaio de rua vale para preparação física, equilibrar energia e testar coreografia – complementou Phelipe.

Bateria

uniao_da_ilha_ensaio_de_rua-17Mestre Ciça foi um dia chamado de incendiário da Sapucaí. E não foi à toa. Pela primeira vez, ele testou uma bossa que promete levantar a avenida, com a participação da rainha Gracyane Barbosa e do intérprete Ito Melodia. Em um determinado momento no refrão os repiques se dispõe à frente da bateria e executam uma bossa com a rainha e o intérprete. A Ilha vai executar três bossas distintas no desfile, segundo o próprio Ciça.

– Foi um ensaio muito bom e testamos uma bossa para o desfile pela primeira vez. Paramos no refrão, a escola toda, só o Ito. Repique mór, marcação de terceira e chocalho fazem a bossa. Temos 280 ritmistas. Serão três bossas no desfile e todas nós treinamos aqui em nosso ensaio. Eu queria ter a oportunidade de realizar mais testes próximo ao carnaval. Ensaiar no Sambódromo é fundamental e eu queria fazer esses testes lá no campo de jogo – finaliza.

uniao_da_ilha_ensaio_de_rua-42Outros Destaques

Gracyane Barbosa levantou o público que acompanhava o ensaio na Estrada do Galeão. Outro destaque foi o figurino exclusivo da ala das baianas, uma blusa com Carmen Miranda estampada. O diretor de carnaval Wilsinho avisou que a Ilha vem para brigar pelas campeãs.

– Com o barracão que temos, o talento de nosso carnavalesco, se não cometermos os erros cometidos com as alegorias que tivemos em 2017, vocês podem ter certeza que a Ilha virá para disputar uma vaga entre as escolas campeãs – avisou.