Império da Tijuca grava bases de sua faixa no CD da Série A para o Carnaval 2018

imperiodatijuca_gravacao_1109201710-copy

O Império da Tijuca gravou na noite desta segunda no estúdio Visom em São Conrado, Zona Sul do Rio de Janeiro, a voz guia do intérprete Daniel Silva e as bases da bateria Sinfonia Imperial para sua faixa no CD da Lierj para o Carnaval 2018.

A escola teve maciça presença de seus ritmistas, da cúpula do carnaval da agremiação, incluindo o presodente Antônio Marcos Telles, o Tê e um dos compositores da obra campeã do concurso, Márcio André. O intérprete Daniel Silva colocou a voz que serviu de referência para a gravação dos naipes de ritmo e comemorou o resultado do trabalho.

– A escola tem um dos melhores sambas do carnaval, na minha opinião. Aqui nesta fase ainda é o momento de dar apenas uma referência para os ritmistas tocarem. A parte mais interpretativa e digamos autoral do canto vem na colocação da voz definitiva, quando fazemos o grito de guerra também. Mas já deu para sentir o grande samba que possuímos – elogiou o intérprete.

O Império da Tijuca manteve na equipe para o Carnaval 2018 o comando da bateria. A Sinfonia Imperial segue agora sob o comando de Jordan, Júlio e Paulinho. Os três comandaram a gravação da faixa, que foi executada a um andamento de 140 BPM (batidas por minuto). Jordan explica a opção à reportagem do CARNAVALESCO.

– Optamos por um andamento bem cadenciado pois o samba pede e também é uma ideia nossa para a bateria do Império da Tijuca dando continuidade ao trabalho. Estou bastante contente com nossa gravação – afirma Jordan.

Júlio explica a única bossa implementada dentro da faixa e ressalta que o importante no álbum é a valorização do samba.

– O andamento mais para trás é também no sentido de fazer com que as pessoas entendam melhor o samba. Fizemos uma convenção básica. Os nossos segredos estão guardados para a avenida – finalizou.