Implosão do prédio no Sambódromo é feita com sucesso

O prédio da Brahma no Sambódromo foi implodido na manhã deste domingo, às 8h05, com sucesso e durou 30 segundos para a execução total. Quatro prédios foram implodidos. Agora, o local passará por uma reforma completa para atender os Jogos Olímpicos de 2016 e o carnaval carioca. Com a obra, a Sapucaí terá novos setores de arquibancadas, camarotes e frisas. O local passará a contar com 77.688 lugares disponíveis. Antes, o Sambódromo recebia 60 mil pessoas por dia de desfile.

Veja o vídeo da implosão do Sambódromo:

Segundo o prefeito do Rio, Eduardo Paes, os prazos da obra estão mantidos e no dia 18 de dezembro, o Sambódromo estará disponível para realização dos ensaios técnicos das escolas de samba do Grupo Especial e Acesso.

O prefeito ainda revelou ao site CARNAVALESCO que existe um plano de revitalização para área, mas que a prefeitura está estudando com calma.

– É mais uma obra importante para as Olimpíadas que está sendo antecipada e será concluída antes do prazo internacional. Como o carnaval esse ano é mais cedo, acredito que no dia 18 de dezembro poderemos começar com ensaios técnicos das escolas de samba do Grupo Especial. Com essa obra temos a tendência de qualificar e valorizar a região (bairro da Cidade Nova, no centro do Rio). Ressaltando a devida importância que esse mesma região já tem para a vida da cidade – afirmou Paes.

Em entrevista ao CARNAVALESCO, o secretário de Turismo do Rio e presidente da Riotur, Antonio Pedro Figueira de Mello, contou que a limpeza da pista de desfile vai durar um mês e que será preciso dois meses para limpeza total do espaço e início da ampliação do Sambódromo.

Antonio Pedro comentou que a prefeitura já pensa na revitalização do local, mas que ainda é cedo para falar da infraestrutura e segurança do lado par da Marquês de Sapucaí, que terá que receber medidas para melhorar a circulação do público.

– Esse processo nos possibilita montar um plano de revitalização geral para o entorno do Sambódromo. Vamos analisar com bastante atenção o que pode ser melhorado nas imediações. Em relação ao aumento de público presente no espetáculo, vamos conversar com as autoridades competentes para montar um plano de ação. Porém, isso deve ser feito mais perto do evento, pois ainda está muito cedo para tratarmos disso – disse o secretário Antônio Pedro.

Segundo Márcio Motta, coordenador de operações da Defesa Civil, foram usados 500 quilos de explosivos na demolição, uma média de 120 quilos por prédio. Ele disse também que os prédios próximos da área não sofreram nenhuma rachadura ou problema. Para implosão, a prefeitura interditou 500 imóveis e em menos de uma hora todas pessoas já puderam voltar para casa. As ruas Benedito Hipólito, Salvador de Sá, Rua Carmo Neto e Avenida Marquês de Sapucaí foram totalmente interditadas para realização da implosão. O trânsito na região foi liberado minutos após a implosão. A estação Praça Onze do Metrô ficou fechada entre 7h30 e 8h10 e as estações Central e Estácio tiveram fluxo de trens interrompidos entre 7h50 e 8h10. Ambos os trechos foram normalizados logo após vistoria de técnicos. A linha 2 não sofreu alterações durante a operação do antigo prédio da Brahma.

Veja a entrevista do prefeito Eduardo Paes: