Intérprete da Imperatriz é regente de coral e faz preparação com fono especializada em samba-enredo

Está chegando a hora de todos conhecermos o que as escolas de samba estão preparando para o Carnaval 2017. E a Imperatriz Leopoldinense vem cheia de novidades, e uma delas será vista e ouvida do início ao fim do desfile: o intérprete Arthur Franco. Estreante como cantor no Grupo Especial, ele tem uma trajetória na música que o torna bastante capacitado para assumir os vocais da escola.

arthur_franco_imperatriz1– Eu, em 2014, fui defender um samba na escola, e o nosso presidente e o Wagner, diretor, gostaram do timbre da minha voz e me chamaram para conversar. O Luizinho me deu oportunidade de vir no carro de som no ano do Mandela; 2016 vim como apoio do Marquinho Art Samba, e agora veio essa oportunidade. E acredito que fui escolhido porque sou um cantor que tem a identidade da escola. Isso foi um ponto muito forte. Eu trabalho com música desde novo. Hoje, com 48 anos, continuo trabalhando com ela. Eu sou músico, tecladista, trabalhei com banda, fazendo shows em casas noturnas. A noite forma o músico, porque tocar na noite obriga você a ter improviso, a saber se virar bem, a ter que agradar o público. Eu também tive a experiência de participar de um grupo de ópera. Fui solista do espetáculo “Carmen”. Trago experiência de toda uma vida como músico. Eu procurei trazer as técnicas e estilos de tudo que aprendi aqui para o samba-enredo – contou Arthur.

O intérprete da Imperatriz pode ser visto cantando samba-enredo, mas não é o único gênero musical que ele domina. Com formação em regência, o cantor também se dedica a um gênero completamente diferente.

– Eu sou formado em música. Dou aula de canto hoje, sou formado em regência. Trabalho com dois corais da aeronáutica, um coral da Ilha e um coral no Alto da Boa Vista. Tinha mais um, mas tive que deixar para me dedicar a escola de samba. E acho que essa formação musical que eu tenho me permitiu ter essa oportunidade na Imperatriz.

Carro de som da Imperatriz se prepara com fono especializada em samba-enredo

A Imperatriz está muito empenhada em fazer um bonito carnaval, e estar com um carro de som afiado na avenida é crucial. Para isso, a escola contratou uma fonoaudióloga especializada em canto de samba-enredo, e que vem trabalhando em conjunto com o intérprete.

arthur_franco_imperatriz2– Eu consegui, junto com a escola, termos uma fono, doutora Isabel, que está fazendo um grande trabalho conosco. Eu poderia me preparar com técnicas que eu conheço, sendo professor de música, mas não da forma como ela nos prepara, porque o grande diferencial dela é ser especializada em canto de samba-enredo. Ela já trabalhou com outros intérpretes, inclusive, e ela foca na resistência, na ressonância, para conseguirmos cantar por tanto tempo sem cansar a voz, sem perder o fôlego. Nós dois dividimos bem as tarefas. Ela fica com os cuidados com a voz, com as cordas vocais, para termos resistência maior, ampliar a ressonância, não ter variação na emissão vocal durante o desfile. E eu fiquei com a parte de melodia, afinação, onde trabalho com o pessoal do carro de som os vocalizes, faço alguns exercícios – explicou Arthur.

A médica cuida da voz não só do intérprete da escola, mas de todo carro de som, e isso, segundo Arthur Franco, é crucial para que todos tenham um bom desempenho no dia do desfile.

– O trabalho é feito com todo o carro de som, tanto o que eu faço, quanto o que ela faz, até porque eu não vou desfilar sozinho. Eu fui apoio, e sei da nossa importância. O meu grupo tem que estar tão preparado quanto eu. Está sendo maravilhoso esse trabalho – disse.

Para fazer um bom trabalho cantando, sem prejudicar a voz, alguns cuidados são cruciais. Arthur explica o que faz para cuidar da sua.

– Eu me alimento muito bem, evito derivados de leite, gorduras, porque até um pequeno problema de estômago que você tem atrapalha na respiração, na emissão do som. Faço vocalizes, o aquecimento, que é fundamental. Dormir bem, descansar, que é um dos principais cuidados com a voz. Tanto é que, nessa reta final para o carnaval, eu me dei férias dos corais. Conversei com todos eles, e avisei que só volto depois do carnaval – explicou o intérprete.

‘Ópera com samba dá música’

Regente de corais e intérprete de escola de samba, Arthur Franco revelou que já misturou os dois gêneros e, segundo ele, “deu música”.

– Quando eu estava na Em Cima da Hora, eu regravei “Os Sertões”, como intérprete. E eu peguei essa obra e montei um arranjo para quatro vozes, para coral, e levei o compositor do samba para assistir, e ele chorou, se emocionou. Ninguém imagina. Samba e ópera combinam. Dá música. Eu levei essa mesma obra dos Sertões para um encontro de corais e foi um sucesso – contou.

arthur_franco_imperatriz3Agora, é esperar a tão aguardada estreia na Imperatriz. E, para Arthur, a responsabilidade é maior, agora que a escola se viu em meio a polêmicas relacionadas ao enredo de 2017, conforme noticiou o CARNAVALESCO. Ele falou sobre o episódio.

– Com toda a discussão em cima desse enredo, e as polêmicas de que a escola criticaria o agronegócio, a nossa responsabilidade só aumenta. Eu fui anunciado no dia da leitura da sinopse, e quando a ouvi, pensei: ‘Deus sabe a hora de cada coisa’. Eu sempre soube esperar. Todo apoio sonha em ser intérprete oficial, principalmente no Especial. E eu soube esperar, e começo logo com esse grande enredo, com um samba que casou bem com ele. E, esse ano, eu vou ser a voz da Imperatriz e do povo xinguano. A responsabilidade é dobrada. E eu venho em uma casa de grandes intérpretes, e tenho que honrar isso.

A Imperatriz Leopoldinense será a terceira escola a pisar na passarela do samba no domingo de carnaval, dia 26 de fevereiro.