Intérpretes do Grupo Especial buscam apoio de fonoaudióloga para aprimorar canto

O profissionalismo que atinge todos os setores das escolas de samba chega aos carros de som. Voz das agremiações na avenida, alguns intérpretes do Grupo Especial têm buscado apoio profissional em uma fonoaudióloga para aprimorar o canto e também realizar trabalhos preventivos de saúde vocal.

A responsável por este trabalho é a profissional Bianca Paz, que realiza exercícios e prevenção com os intérpretes Leonardo Bessa, do Salgueiro, Igor Sorriso, da Vila Isabel, Emerson Dias, da Grande Rio, Leozinho Nunes, da São Clemente e Marquinho Art'Samba, da Imperatriz.

Bianca falou à equipe do CARNAVALESCO como se dá o trabalho com os cantores. – O trabalho é diferente, pois é um estilo que exige muito, é bem específico. Além da preocupação com a voz, tem o preparo físico. Se não tiver bem preparado não adianta. Os intérpretes são cantores de alta performance. e isso exige muito mais que um cantor de outro gênero. Realizamos um trabalho intenso o ano todo – especificou.

A fonoaudióloga explica que a prevenção é de suma importância para a voz dos intérpretes. – Sou uma profissional da área da saúde. Alguns cantores apresentam lesão por ter se apresentado sem cuidados. Os que não tem fazemos prevenção. Quando um cantor se apresenta e a qualidade cai, nota-se a diferença. Às vezes não falta talento. O tempo de vida útil do bom rendimento está girando em torno de 5 anos, pois muitos não se cuidam – alertou Bianca.

A profissional lembra que em certos casos é um trabalho de reeducação vocal. – Trabalhamos articulação, respiração, e aumentamos a capacidade respiratória. O objetivo hoje é se cuidar. Sempre tem os mais rebeldes, claro. Pessoas que cantaram sem se cuidar e precisam mexer com a rotina. É uma reeducação vocal. Os cantores são seres humanos e eu vou buscando alternativas para reeducar e propiciar um bem estar a eles – finalizou a fonoaudióloga.