Jack Vasconcelos revela que foco do enredo sobre Clara Nunes será a obra musical e o legado cultural

Mantendo a linha de enredos autorais e culturais, o Paraíso do Tuiuti levará para a Marquês de Sapucaí em 2012 o legado deixado por uma das maiores intérpretes da música popular brasileira, a mineira e portelense Clara Nunes. Com nome já definido 'A tal mineira', o carnavalesco Jack Vasconcelos contou ao CARNAVALESCO como pretende desenvolver o tema.

Apesar de admitir que homenagens fogem um pouco à seu estilo de fazer carnaval, Jack Vasconcelos admitiu que a ideia de falar sobre Clara Nunes partiu dele, e foi prontamente aceita pelo presidente da escola, Renato Thor.

Quando fechei com o Tuiuti, o Thor me pediu para seguir a linha que a escola adotou nos últimos anos: um enredo cultural e, se possível, uma homenagem. Conversamos sobre a importância de escolher um bom tema. Um bom enredo gera sempre um bom samba. Estava lendo o livro da Clara, que comprei mas ainda não havia tido tempo para ler, e acabei me interessando mais ainda. Resolvi então, levar até o Thor esta ideia e ele aceitou na hora, ficou muito feliz, foi até o carro e pegou um cd dela. É uma artista que ouço desde pequeno e é muito importante para a cultura brasileira – disse Jack.

Com entrega de sinopse marcada para o dia 1º de julho, a partir das 19h, no clube São Cristóvão Imperial, Jack Vasconcelos revelou a intenção de apenas mostrar a obra de Clara Nunes e o legado cultural deixado pela mineira.

A ideia é falar sobre a obra e não vida pessoal dela. Não entendo quando falam sobre a vida pessoal das pessoas em homenagens. Não interessa o signo, quantas vezes casou, se ela gosta de comer macarrão. O  importante é o legado deixado. Vou focar na obra musical. Pouca gente sabe, mas ela era uma grande pesquisadora musical.

Nos últimos cinco carnavais, a agremiação de São Cristóvão teve homenagens nos seus enredos em três deles. Caetano Veloso em 2011, Eneida de Moraes em 2009 e Cartola em 2008 foram os temas da Azul e Amarelo. Já em 2000, quando venceu o Grupo de Acesso A e garantiu  direito de desfilar no Grupo Especial no ano seguinte, o homenageado do enredo foi D. Pedro II.