Jornalistas lançam livro sobre blocos de rua em livraria no Leblon

O jornalista do jornal O Globo Aydano André Motta lançou na noite desta quinta-feira em uma livraria no Leblon a segunda edição do livro sobre os blocos de rua do carnaval carioca. A obra tem fotografias de Ana Carlina Fernandes e André Arruda e retrata a folia nas ruas do Rio de Janeiro.

Se na primeira edição Aydano contou histórias e curiosidades dos mais tradicionais blocos da cidade, agora foi a vez das agremiações recém-criadas depois do boom da folia de rua há alguns anos. – Eu acho que tem espaço para todos. O carnaval é democrático. Se eu não gosto de determinado estilo que algum bloco toca eu simplesmente não vou, posso curtir um que tenha mais à ver com meu gosto, afirmou o jornalista ao CARNAVALESCO.

Aydano acredita que a democracia do carnaval de rua é o mais interessante deste tipo de folia. – Para curtir um bloco não é preciso gastar nem um centavo. No caso dos homens basta uma bermuda e está pronto para curtir. Qualquer folião pode criar um bloco, uma reunião de amigos. A democracia do carnaval se dá nas ruas, acredita.

Ainda segundo o autor do livro a estruturação da folia de rua é uma alternativa a quem não pode estar na Sapucaí. – O espetáculo das escolas de samba é caro e precisa mesmo ser caro. É uma festa grandiosa. Os blocos de rua resgataram o turismo carnavalesco no Rio de Janeiro. E o carioca também está ficando na cidade para curtir, o que não acontecia há alguns anos atrás.

O livro retrata a história de 30 blocos do Rio de Janeiro, como o recente “Fogo e Paixão” e os irônicos “Chupa mas não baba” e “Escangalha”. A publicação custa R$ 90,00.