Jovem casal da Rocinha carrega no sangue a tradição de grandes sambistas

 

 

Para não perder a tradição de apostar nas revelações e investir na renovação de seus segmentos, a Acadêmicos da Rocinha aposta alto em seu novo casal de mestre-sala e porta-bandeira. Ambos têm grife no mundo do carnaval. Douglas Valle é sobrinho de Milton Perácio, fundador e um dos maiores expoentes da Grande Rio. Dandara Ferreira é neta de Martinho da Vila e tem a missão de manter a tradição de notas dez em uma das famílias mais nobres do carnaval. O casal, que será responsável por defender as cores da Rocinha no desfile sobre a Barra da Tijuca, conversou com o site CARNAVALESCO, e contou como anda a preparação para o grande dia. O guardião do pavilhão da Borboleta Encantada adiantou que a fantasia do casal será bem tradicional, mas que permitirá aos bailarinos dançar com alegria, porém manteve o segredo em relação a descrição do traje.

Qual é a importância de ensaiar no Sambódromo?

Dandara Ferreira: "É sempre difícil estrear. Além disso, é nosso primeiro ano de parceria. A importância de ensaiar no Sambódromo é muito grande. É onde poderemos fazer algo mais próximo do que será representado no desfile oficial".

Como está o ritmo de ensaios durante a semana?

Douglas Valle: "Estamos ensaiando de cinco a seis vezes por semana. Dividimos entre vários ambientes para podermos nos adaptar. São duas vezes aqui no Sambódromo, uma na quadra da escola e duas ou três no espaço preparado pelo nosso coreógrafo. Estamos em ritmo total de preparação. Daqui a vamos trazer a cama para deitar e ficar por aqui na Avenida mesmo".

Desfilar atrás da comissão de frente ou na frente da bateria?

Douglas Valle: "Nós preferimos desfilar na frente da escola. Fica mais fácil para todo mundo. Não tem confusão e facilita o trabalho da Harmonia, pois a escola apresenta comissão e casal de uma vez".

O que é mais importante no quesito: a dança, a bandeira no alto ou a forma de cortejar do mestre-sala?

Dandara Ferreira: "Dentro do quesito, todos esses aspectos são importantes. Tudo tem que casar para que a dança fique majestosa e bonita, com todos os seus incrementos".

Comente: