Jurados de harmonia, evolução e samba-enredo falam sobre o julgamento deste ano

Durante o segundo dia do curso de julgadores oferecido pela Liga Independente das Escolas de Samba aos 40 nomes responsáveis pelo resultado do Carnaval 2012, o site CARNAVALESCO conversou com cinco dos 12 julgadores de harmonia, evolução e samba-enredo presentes na sede da entidade na noite desta quarta-feira. Confira a opinião deles sobre alguns assuntos referentes a seus respectivos quesitos.

Samba-enredo

Qualidade da safra

Maria Amélia Martins – 2º ano julgando
– Essa qualidade dificultará ainda mais o julgamento. Graças a Deus as escolas estão tendo cuidado com essa questão. É interessante perceber que os autores dos sambas estão levando em consideração muitas coisa que usamos nas nossas justificativas. O fato de não darmos uma nota 10 significa uma fundamentação bem coerente nas justificativas. Isso engrandece o carnaval e eles estão corrigindo os pontos negativos dos últimos anos.

Maestro Bruno Rodrigues  – 1º ano julgando
– Julgar o quesito samba-enredo é realmente muito complicado, principalmente este ano, em que temos uma safra de sambas de muita qualidade. São obras bem elaboradas e será complicado.

Junção de sambas

Maria Amélia Martins – 2º ano julgando
– É possível perceber sim. A gente analisa e percebe a diferença sim, fazemos o estudo e avaliamos cada caso.

Pré-julgamento

Maestro Bruno Rodrigues  – 1º ano julgando
– Já ouvi várias vezes o CD, mas o que vale é a hora da Avenida. Lá é que o bicho pega. Temos que prestar muita atenção na melodia e ver se a letra corresponde a sinopse e ao que está sendo exibido pela escola. Frases que não correspondem ao enredo farão com que você, obviamente, tire ponto.

Marta Macedo
– Eu acho que deve escutar sim. Poxa você gosta de samba e não vai escutar o que você gosta? Pode sim, só que sabemos que quando chega na hora devemos ter a responsabilidade e o conhecimento de se julgar no dia. Respeitamos os milhares de profissionais envolvidos no carnaval. Nossa responsabilidade é enorme. Nós temos que julgar no dia do desfile, até porque  pode estar muito bonito no CD e no dia ele não acontece, assim como pode acontecer ao contrário também. Tudo acontece na hora, nós não temos saída precisamos estar atentos  se o samba funciona ou não na hora.

Maiores erros no quesito

Marta Macedo
– O samba precisa ter uma métrica boa, ele precisa ter uma variação de linha melódica, tem que ter um intérprete bom, por que ele ajuda a escola cantar, os componentes precisam cantar o samba. Não adianta, a gente percebe e, para finalizar, a letra tem que ter a ver com o enredo. Não adianta você falar de futebol e vir com uma letra sobre a criação de animais. O CD não considera 4.000 pessoas desfilando e o tempo de desfile.

Harmonia

O que é preciso para tirar 10

Maestro Nilton Rodrigues – 17º ano julgando
– Tenho que me preocupar com o canto, o ritmo, a escola não pode atravessar e tenho que premiar com 10 o desempenho mais esmerado: a melhor afinação e a escola que canta em todos os níveis. A massa sonora da escola é muito importante. Quando uma escola canta mesmo ela enche a Avenida de alegria e isso é o mais importante. A música precisa estar presente. Se o canto da escola está presente, existe harmonia.

Bossas prejudicam a harmonia

Maestro Nilton Rodrigues – 17º ano julgando
– Não vejo por esse prisma. Se as viradas da bateria forem feitas com precisão, não trará prejuízos para os outros segmentos da escola. Tanto o canto, quanto a dança. É um ritmo e não existe problema algum se for bem feito.

Evolução

Erros mais comuns das escolas

Luis Eduardo Rezende – 25º ano julgando
– Basicamente buracos e correria, são os erros mais comuns. Às vezes a escola é muita animada no início e depois dá uma relaxada, ou então, algumas alas começam animadas e depois as outras não e no final vêm alas novamente animadas, e assim o desfile na verdade em evolução precisa ser contínuo e progressivo. Não podemos ter um pedaço da escola bom e outro ruim, esse é o erro, mas comum.

O que tira mais ponto

Luis Eduardo Rezende – 25º ano julgando
– Olha, erro tira ponto. Eu acho que a coisa mais grave é o buracão ou uma correria desenfreada no final, quando está quase estourando o tempo. Quando a escola está se apresentando temos o tempo determinado, então tem o bom senso. Agora o que não pode é a escola ficar parada cinco minutos na sua frente.