Lavagem da Marquês de Sapucaí promete abrir os caminhos para o Carnaval de 2018

Por Matheus Emanuel

lavagem_ensaiotecnico_2017_51A tradicional lavagem da Marquês de Sapucaí, que tem o intuito de abrir o carnaval da melhor forma possível, acontece neste domingo, às 18h30, e contará com a participação de diversas mães baianas. A proposta é pedir paz e proteção a todos os cidadãos do Rio de Janeiro neste carnaval. Além do ritual religioso, o evento contará com algumas presenças ilustres que irão brindar o público que estiver presente no Sambódromo. Alcione fará parte da festa cantando o sucesso “Não deixe o Samba morrer”, após esse ato, os intérpretes das escolas do Grupo Especial farão um verdadeiro desfile sob o comando de Dudu Nobre, que também cantará diversos sambas históricos.

Dudu conversou com o site CARNAVALESCO sobre a sua participação nessa festa tão importante para a resistência da nossa cultura popular, relatando que a expectativa é a melhor possível.

– Eu me sinto muito orgulhoso, para mim é uma responsabilidade muito grande poder conduzir esse evento. Já são cinco anos que a gente participa e é bem bacana, todo ano a gente procura fazer um lance diferente. O tempo é muito curto mas mesmo com esse empecilho, a gente procura fazer uma apresentação bacana, relembrando alguns sambas. Estarei representando todo o samba, fazendo essa união bonita. Fico muito feliz por isso – disse.

lavagem_ensaiotecnico_2017_02O Rio de Janeiro está vivendo um dos carnavais mais turbulentos de sua história, em termos políticos e econômicos. Dudu comentou sobre esse contexto atual e avaliou que o diálogo é a melhor saída para que o próximo carnaval seja feito com mais harmonia entre as partes envolvidas.

– O momento atual é muito turbulento economicamente falando, politicamente falando, a gente anda pelo Brasil inteiro e vê que os outros lugares já estão começando a ter um certo respiro, pessoal já começou a botar a cara, vencer esse momento de crise. Porém, aqui no Rio de Janeiro, a crise ainda está bem forte, realmente esse imbróglio da Prefeitura com as escola de sambas foi muito complicado, muito difícil e eu como como sambista e como artista espero que para o ano que vem as partes entrem num acordo e possam fortalecer cada vez mais a nossa festa que é o carnaval do Rio de Janeiro – comentou.

Dudu Nobre comentou sobre a sua identificação com as escolas de samba e revelou informações sobre o evento.

– O repertório desse evento no início foi a base do meu CD e DVD, “Os mais belos sambas enredo de todos os tempos” e todo ano a gente procura fazer algo diferente relembrando alguns sambas. A ideia do maestro Jorge Cardoso, do Elmo, da rapaziada da Liga é chamar os intérpretes das escolas e aí eu vou ser sendo meio que o mestre cerimônia. Eles vão cantar os sambas de 2018 e depois eu canto um clássico da agremiação com o intérprete. Vai ser bem bacana – finalizou.

Além de Dudu e Alcione, o evento trará a presença de representantes de diversas religiões, para evidenciar o combate com a intolerância religiosa. A entrada é gratuita e após a lavagem, Portela e Mocidade fazem o teste de luz e som para os desfiles de 2018.