Lequinho, Jr. Fionda, Igor Leal e Paulinho Carvalho assinam o samba da Mangueira para 2013

Eles sacudiram mais uma vez a Estação Primeira de Mangueira. Os compositores Lequinho, Jr. Fionda, Igor Leal e Paulinho Carvalho são os autores do samba-enredo da Verde e Rosa para o Carnaval 2013, que vai homenagear Cuiabá. Durante toda a disputa, a obra ficou conhecida pelo seu número de inscrição 31F. Na grande decisão, que aconteceu na noite de sábado, outras duas parcerias estavam na disputa: 33E e 35G.


* Clique aqui e ouça o samba da Mangueira para 2013


Na hora de anunciar o resultado, o presidente Ivo Meirelles disse: – Hoje é um dia de recomeço, porque é hora de darmos as mãos, agora seguir na missão, sustentar a mesma direção – disse o dirigente, fazendo referência aos versos do samba campeão. Antes, o locutor fez uma homenagem para a apresentadora Hebe Camargo, que morreu no sábado, em São Paulo.


* Clique aqui e veja fotos da final de samba na Mangueira


Com o resultado, o compositor Lequinho conquistou sua sétima vitória na Mangueira. – Eu acredito que todo ano existe uma disputa muito grande devido a qualidade da ala dos compositores da Mangueira. Esse ano foi muito disputado, os outros dois sambas eram duas belas obras, como nos anos anteriores também. Lógico, a gente vive o momento, então foi uma final muito disputada. A nossa ala está de parabéns – disse Lequinho.


* Clique e veja galeria de fotos dos bastidores


Igor Leal, que é bicampeão, também conversou com o site CARNAVALESCO e explicou o processo de criação do samba.


* Vídeo: clique aqui e veja a apresentação da parceria 31F na final

– Somos muito amigos, nessa época eu vivo mais na casa do Junior do que na minha. Junho e julho nos reunimos quase todos os dias e acredito que, do dia em que começamos até o dia em que fechamos o samba se passou mais ou menos dois meses. Mudamos o samba até no dia do estúdio. Chegamos começar a gravação do samba, pedimos pra parar no meio, mudamos a cabeça e só depois disse ficamos satisfeitos.


* Veja aqui o vídeo do anúncio do samba da Mangueira para 2013
 

Junior Fionda, que é seis vezes campeão na Mangueira, enalteceu seus amigos. – Primeiro de tudo para ser campeão é não ter vaidade. Trabalhar com amigos. Não adianta nada você trabalhar com outras pessoas (compositores), que não são seus amigos. Então, eu tenho amizade com o Lequinho há mais de 10 anos, assim como o Igor, graças a Deus. O Paulinho é pouco menos de tempo, mas já é considerado como os outros.
 

O diretor de carnaval da Mangueira, Jeferson Carlos, foi perguntado sobre a novidade das duas baterias, que a Mangueira levará para Avenida em 2013. Ele ainda revelou que a Verde e Rosa vai doar 2800 fantasias para comunidade. – A ideia de ter duas baterias, apesar de ser arriscada, é surpreendente. Geramos uma expectativa muito grande com essa novidade, mas temos certeza de que será bem executada e as pessoas vão se surpreender positivamente – explicou Jeferson, que deu 50% de importância do samba para o sucesso do desfile. Perguntado também se o carnaval sendo no início de fevereiro mexe com o cronograma da escola. – Muda muita coisa. Temos tempo reduzido para nos prepararmos. São praticamente dois meses para fazermos o melhor trabalho possível para nos prepararmos.
 

O site CARNAVALESCO apurou que Mangueira vai receber o patrocínio de R$ 3 milhões e 600 mil para homenagear Cuiabá. Além disso, a escola fará um mini desfile em dezembro na cidade. Para final de samba, quatro ônibus com moradores locais vieram para o Rio de Janeiro.
 

O secretário de Cultura de Cuiabá, Luiz Poção, disse o que é importante divulgar da cidade no enredo. – A cerâmica, a natureza e a gastronomia são algumas das nossas riquezas. A Mangueira será a grande divulgadora disso para o mundo – contou. O secretário de Educação, Sílvio Fidélis, também comentou: – Cuiabá é uma das sedes da Copa 2014. É um momento de divulgar a cidade. Temos uma gastronomia e uma história muito bonita. É uma cidade que tem 293 anos de muita história. A Mangueira vai levar isso para Avenida.


Como foram as apresentações

Parceria 33E – Samba forte e muito bem defendido por Agnaldo Amaral. Uma torcida grandiosa, porém ,apenas a parte da frente cantava, o pessoal de trás, em sua maioria calado, ou apenas cantando no refrão. Quando a bateria silenciou, a torcida não aguentou levar as duas passadas do samba, principalmente a segunda, tirando os mesmo da frente que continuaram cantando. Voltando aos intérpretes, o palco levou muito bem o samba até o final.

Parceria 35G – Mesmo contando com uma torcida animada o samba não rendeu muito na quadra. Quando solicitada a torcida até tentou levar a primeira passada do samba, porém não aguentou a segunda. Mesmo com toda animação e representando a cidade que será homenageada, ao que pareceu a parceria sentiu um pouco a pressão do Palácio do Samba.

Parceria 31F – Com um início avassalador, o melhor da noite, Tinga trouxe o público presente para cantar junto com ele. Com um palco muito bem representado com Diego Nicolau e Thiago Britto o samba não caiu em nenhum momento. Porém, a torcida não ficou altura dos cantores, sorte da parceria que o restante da quadra "abraçou" a obra e quando o público foi solicitado não decepcionou, fazendo inclusive coreografias ao longo das duas passadas. A melhor apresentação da noite.
 

Casal intensifica os ensaios

Com o samba escolhido, o casal de mestre-sala e porta-bandeira, Raphael e Marcella Alves vai intesificar o ritmo de ensaio. – A frequência dos ensaios aumenta. Passamos a ensaiar quatro vezes por semana, de segunda a quinta-feira – explicou Raphael, que revelou não ter conversado com o carnavalesco Cid Carvalho sobre a fantasia de 2013.

Marcella Alves aproveitou para falar de 2012, quando o casal teve sua performance aliada a bateria. – As pessoas me dizem que fui prejudicada pela inovação da bateria, mas não foi isso. Foi uma inovação da Mangueira, que incluiu, os dois casais e a bateria. Não nos arrependemos. Temos que tentar criar e inovar. Desde que a gente não perca nossa arte. Tenho a consciência tranquila de que dancei a arte de mestre-sala e porta-bandeira. Eu priorizo a minha dança, mas fora isso, o que a escola me pedir para fazer, eu faço – explicou.
 

Cantores opinam

O site CARNAVALESCO ouviu também os cantores da Mangueira. Para Luizito, o samba-enredo representa 70% de uma escola. – Um bom samba, impulsiona e conduz tudo da escola – disse. Zé Paulo concordou: – É um condutor mesmo da escola.

Comente: o que você achou do resultado?