Lesga rompe com a TV Bandeirantes e desfile pode ter 60 minutos de duração

A Lesga (Liga das Escolas de Samba do Grupo de Acesso) realizou na noite desta segunda-feira, uma plenária reunindo todos os presidentes ou representantes do Grupo de Acesso A. No início da reunião, o presidente da Lesga e também da Inocentes de Belford Roxo, Reginaldo Gomes, contou quais eram os principais pontos da reunião: transmissão do carnaval, barracões, regulamento e o dossiê sobre o resultado do carnaval 2011.

As escolas do Grupo de Acesso A não estavam satisfeitas da maneira que a TV Bandeirantes estava transmitindo o seu carnaval e, por isso, resolveram fazer mudanças já para o próximo ano. Gomes falou ao site CARNAVALESCO o que está sendo decidido em relação ao televisionamento:

– A Bandeirantes não fará a transmissão do nosso desfile. Hoje nós já temos a garantia de transmissão em outro canal aberto. As escolas decidiram não fazer com a Bandeirantes porque os desfiles não eram valorizados. Na verdade, eles dividiam com outros carnavais pelo Brasil. Queremos uma transmissão onde falem das alas, alegorias, histórias da escola, mostre a bateria no setor 1, o grito de guerra, entre outros. Nossa ideia é que o público em casa tenha a mesma sensação de quem está assistindo na Avenida – frisou.

Outro ponto também muito questionado e ainda sem solução é sobre os barracões para algumas escolas do Acesso, que ainda estão na área apelidada de Carandiru:

– Sobre os barracões, nós estamos aguardando a prefeitura autorizar. Na verdade houve um compromisso deles com a gente e foi falado sobre um local no Caju. Estamos aguardando essa liberação, mas hoje já pedi para eles começarem a desenvolver o carnaval até porque não podemos ficar esperando uma solução. Também vemos que no Grupo Especial ainda não foi dada uma solução para Renascer e por isso mesmo não vejo nenhum problema para as outras escolas já começarem os seus trabalhos – concluiu.

no regulamento, foram ditas algumas modificações aos representantes das agremiações, porém nada foi definido para o próximo carnaval. As escolas vão conferir e depois na próxima plenária decidir o que pôr em prática. Gomes também falou sobre essas possíveis mudanças:

– Temos observado que o regulamento está muito voltado para perda de pontos. Dessa maneira, tem situações que não achamos justas. Queremos transformar o que não for obrigatoriedades em multa sem tirar ponto da escola – justificou.

Além disso, a Lesga ainda pode elevar o tempo máximo de desfile de 58 para 60 minutos. Uma das vontades de todos os presentes foi uma possibilidade que hoje pode estar distante, porém não está descartada, é sobre o acesso de duas escolas e o rebaixamento de duas do Grupo Especial. O presidente também contou sobre essa hipótese:

– Esse projeto existe. Houve uma reunião entre a RioTur a Liesa e a Lesga. A proposta era ter o Grupo de Acesso com oito escolas. Como houve um enxugamento no Especial também teria que ocorrer no Acesso. A condição para aceitarmos isso foi que, a partir do momento que estivéssemos com apenas oito escolas, poderíamos pleitear que volte a subir duas e cair duas. Isso se daria do Especial até as escolas da Associação. E eu acredito que esse é o grande negócio do carnaval. Assim movimentaríamos ainda mais essa disputa – finalizou.