Lierj cancela comercialização do DVD da Série A.CD chega nas lojas na 2ª quinzena de novembro

Os presidentes e diretores das agremiações da Série A conheceram na noite desta terça-feira as faixas do CD e do DVD de 2016, produzidos por Ivo Meirelles. A audição ocorreu no Estúdio Visom, em São Conrado, onde também aconteceram as gravações. O espaço já conhecido pelas escolas se transformou em uma grande sala multimídia e permitiu que os presentes não só ouvissem o CD como também acompanhassem as cenas captadas para o DVD. A surpresa foi o anúncio de que o DVD, prometido para o Carnaval de 2016, não será comercializado, apenas distribuído para escolas e o mundo do samba. O presidente da Lierj, Déo Pessoa, contou ao site CARNAVALESCO que o CD deve chegar às lojas na segunda quinzena de novembro:

* VEJA AQUI FOTOS DO EVENTO

– Eu venho ouvindo o CD no som do meu carro há alguns dias e gostei muito do resultado. A forma como o CD foi produzido e os arranjos feitos para os sambas me agradaram bastante. Nós da Lierj ainda vamos nos reunir com a gravadora, a Som Livre, para definir a data em que a circulação do CD começa, mas acredito que isso deve acontecer até a segunda quinzena de novembro. O lançamento será nos mesmos moldes que já vínhamos fazendo, porém, o local ainda não está confirmado. O entrave de realizarmos no Terreirão do Samba é que o local não é coberto e o tempo está instável – comenta Déo.

Representando a Som Livre no evento, Marcelo Pepe contou ao CARNAVALESCO que a previsão inicial de cópias disponibilizadas deve atender ao número necessário para a conquista de um novo Disco de Ouro, conforme ocorreu com a edição de 2015. Marcelo também relata que a Som Livre concedeu à Lierj o direito de optar ou não pela venda do DVD para 2016, uma vez que se trata de um projeto experimental: – A Som Livre, como uma empresa popular, está super feliz por estar ao lado da Lierj pelo terceiro ano. Cada vez estamos evoluindo mais. No carnaval passado, chegamos ao Disco de Ouro e a tendência é que venhamos a bater um número acima dos 30 mil CDs vendidos, novamente. Acreditamos que apesar da queda na vendagens de CD em geral, com o aproveitamento das mídias digitais pelas gravadoras e outras estratégias, vamos conseguir manter o número conquistado em 2015. Com relação ao DVD, é um projeto experimental. A forma de veiculação desse DVD foi uma decisão da Liga e não da Som Livre – afirmou Marcelo.

CD mostra identidade das baterias e talento dos intérpretes

As faixas do CD da Série A para 2016 buscam destacar a bateria das escolas, bem como seus intérpretes e comunidade: a primeira passada de cada samba ocorre sem o áudio da bateria, apenas com a voz do cantor. Entre a primeira e a segunda passada, o intérprete solta o seu famoso grito de guerra. A segunda passada se dá, então, com o som da bateria, livre para executar as bossas que quisesse, conforme combinado com o produtor Ivo Meirelles durante a gravação. No fim da segunda passada do samba, a bateria ganhou um espaço para um grito de guerra com o seu nome e, além disso, é saudada pelo intérprete neste momento. O final das faixas ocorre de forma impactante, com casos específicos para cada escola. 

Para mestre Maurão, da Acadêmicos do Cubango, a gravação foi tecnicamente favorável às baterias. Ele destacou a boa relação com o produtor Ivo Meirelles em relação às decisões sobre a faixa: – Pra nós da bateria foi muito bom. O andamento foi bom e cada um tocou com sua identidade. O Ivo deixou a gente muito à vontade para trazermos as bossas e paradinhas que a gente quisesse. Uma coisa muito legal do CD foi que nós, mestres de bateria, conversamos antes sobre valorizar o produto. Quando for pras ruas, as pessoas vão gostar bastante, assim como eu – contou.

O mestre da Inocentes de Belford Roxo, Washington Paz, também elogiou a iniciativa de promover a identidade das baterias nos sambas de 2016: – O grito de guerra das baterias ficou muito legal, assim como a busca por ressaltar as características de cada uma. O andamento das baterias também está muito bacana. Vamos ver se as pessoas vão gostar – completou.

O compositor Cláudio Russo também elogiou a gravação. Ele assina três sambas no CD e destacou a valorização do samba com a primeira passada sem o som da bateria: – A gravação visa mais a parte harmônica, mostrando mais o samba, sem uma correria de trazer a bateria já na primeira passada do samba – afirmou.

Para o presidente da Viradouro, Gusttavo Clarão, a busca por uma aproximação com a realidade da Avenida foi positiva: – Gostei muito da faixa da Viradouro no CD. O Ivo está de parabéns junto com a Lierj, o presidente Déo e o Thor. Ficou uma gravação mais natural e mais próxima do que ouvimos originalmente na Avenida.

DVD permitirá que o sambista assista a si mesmo durante momentos importantes

A apresentação do DVD para os dirigentes também foi realizada durante o evento desta terça-feira. As faixas do DVD são mais curtas e contam apenas com uma passada de cada samba. As imagens captadas envolvem as finais de samba de cada escola, bem como momentos da gravação em estúdio, com foco no intérprete dando voz à obra, no coro da comunidade e também na apresentação de segmentos como passistas, baianas e o casal de mestre-sala e porta-bandeira.

A presidente do Império Serrano, Vera Lúcia, assistiu empolgada às imagens captadas durante a gravação do coro da escola, do qual participou: – Foi uma emoção maravilhosa. Eu nem esperava aparecer no DVD, mas já que apareci. Todos os sambas estão muito bons – elogiou a presidente.

O intérprete do Império Serrano, Pixulé, destacou positivamente a valorização das baterias e dos cantores, bem como dos sambistas das quadras: – Apareci no DVD várias vezes porque sou artista 'Hollywoodiano' – brincou.