Liga mantém decisão de cancelar ensaios técnicos e só realizar caso tenha patrocínio total

sambodromo2017_11A Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) segue irredutível na decisão de não realizar os ensaios técnicos no Sambódromo para o Carnaval 2018. Em entrevista ao jornal Extra, o presidente Jorge Castanheira reafirmou o custo de quase R$ 4 milhões, revelados em julho de 2017, no auge da crise com a Prefeitura do Rio, e que para a temporada 2017-2018 não será possível que a Liesa, ou seja, as escolas de sambas do Grupo Especial assumam essas despesas.

A Liesa pode captar recursos para os ensaios técnicos, através da Lei Rouanet, mas até 2017, a Liga conseguiu apenas metade do valor de R$ 4 milhões. Internamente, a Liga espera que até dezembro de 2017 consiga captar o valor restante para realização dos ensaios técnicos que aproximam o carnaval do povo das comunidades e bairros do Rio de Janeiro, além de serem excelentes fontes de divulgação dos desfiles para os turistas nacionais e internacionais, influciando diretamente na venda de ingressos para os desfiles oficiais.

Algumas das possibilidades de arrecadação é encaixar os ensaios técnicos no calendário de Janeiro a Janeiro, criado pelo empresário Roberto Medina, e que receberá recursos do governo federal.

A Liesa não aceita a possibilidade de cobrança de ingressos para os ensaios técnicos, nem com um valor simbólico entre R$ 5 e R$ 10, por defender que a medida. A outra alternativa é que empresas privadas estejam dispostas a anunciarem suas marcas no Sambódromo durante o período dos ensaios técnicos.