Louzada quer que Mocidade emocione falando de Portinari

0 Flares 0 Flares ×

Fernando Azevedo/Divulga??oDepois de finalmente confirmar Candido Portinari como enredo para o Carnaval 2012, a Mocidade Independente de Padre Miguel organizou na tarde desta quarta-feira, em seu barracão, uma entrevista coletiva com o carnavalesco Alexandre Louzada. Além de servir para que o artista explicasse como desenvolverá o tema, o encontro também contou com a presença de João Candido, filho de Portinari, e Maria Duarte, diretora executiva do Projeto Guerra e Paz, nome de uma das mais famosas obras de artista plástico.
 
Em seu ano de estreia na Verde e Branco de Padre Miguel, Louzada comemorou a oportunidade de fazer um enredo autoral em tempos de temas patrocinados e revelou toda a sua emoção por desenvolver um desfile sobre o pintor brasileiro.
 
– É uma satisfação muito grande falar sobre algo que venho sonhando desde o carnaval passado, quando tomei conhecimento mais profundo sobre a obra do Portinari. A ocasião vem bem a calhar. 2012 marca o cinquentenário do desaparecimento de Portinari. É um desafio para mim. Confesso que é um enredo complexo. É um artista que tem mais de cinco mil obras. Sintetizar tudo isso num desfile de carnaval é difícil, mas as coisas não acontecem por um acaso – disse o carnavalesco.
 
A inspiração para falar sobre o artista veio de um simples detalhe, de acordo com Louzada. Ele contou que em sua infância, Portinari colocou-se a disposição de um dos muitos artistas plásticos italianos que restauravam as capelas e igrejas no interior do Brasil.  Por ser inexperiente no assunto, recebeu a incumbência de pintar algumas estrelas no céu da capela, estrela que coincidentemente é o simbolo da Mocidade.

Ciente da responsabilidade que tem em mãos, o carnavalesco não pretende fazer uma biografia de Candido Portinari na Marquês de Sapucaí. Ele explicou como pretende desenvolver o enredo.
 
– O objetivo não é fazer uma biografia do artista na Avenida. Sua vida deve ser contada pela sua obra. A nossa proposta é que os tambores da alegria, ou seja a bateria da Mocidade, que talvez seja a mais famosa do carnaval, façam essa viagem até a morada desse mestre, que o desperte desse sono eterno, desse quadro vazio. Nós seremos a tinta que envolvem o seu pincel, a moldura viva de seu quadro atual – o grande firmamento, onde moram as estrelas – e pedir a ele que pinte a nossa estrela, a estrela de Padre Miguel. Ele pintou muito a mocidade, retratou muitas brincadeiras de criança. Nós seremos os meninos sem rostos, os personagens que ele tanto pintou, os anônimos na multidão. Queremos os seus espantalhos, os trabalhadores rurais, sua Brodowski querida. Voaremos no céu de azulejo. Seremos seus guerreiros, como Dom Quixote de la Mancha. Portinari pintou o carnaval, o morro, o samba, a favela – disse Louzada, adiantando também que, muito possivelmente, a Avenida verá pela primeira vez uma alegoria totalmente pintada a lápis de cor.
 
Fernando Azevedo/Divulga??oO painel Guerra e Paz, considerado por muitos a maior obra de Portinari, ganhará destaque especial. Alexandre Louzada disse querer despertar o lado emotivo das pessoas que assistirem ao desfile da Mocidade. Ele considera isso importante para a Mocidade voltar a disputar o título.
 
– Estou emocionado. Li a sinopse para o João Cândido e consegui tocá-lo. Estou torcendo por esse enredo desde que cheguei na Mocidade, era esse o meu objetivo. Retratar Cândido Portinari pelo seu sentimento. Passar da tela para a realidade o que ele estava sentindo no momento em que pintava as suas telas.
Sem esconder sua felicidade, João Candido revelou ter ido às lágrimas quando viu a sinopse escrita por Alexandre Louzada. Ele manifestou também a vontade de estender à Estrelinha da Mocidade, escola mirim da agremiação de Padre Miguel, a parceria.
 
– Estou contente também pelo contato que teremos com a Estrelinha da Mocidade. No Projeto Portinari nós desenvolvemos um trabalho há 14 anos voltado para crianças do Brasil inteiro. Criamos diversas exposições para que a nova geração conheça o trabalho do meu pai. A paz, o respeito à vida, o bom relacionamento entre as pessoas transborda de cada trabalho dele e isso importantíssimo para as crianças.
 
Apesar de nunca ter sido homenageado por nenhuma escola do Grupo Especial, Candido Portinari já foi tema do enredo do Paraíso do Tuiuti em 2003. Louzada elogiou o trabalho feito por Paulo Barros na ocasião e disse qual será a diferença na Mocidade.
 
– Eu estava na Sapucaí e gostei muito do trabalho do Paulo naquele ano. Acho que o nosso principal diferencial será a sensibilidade, a emoção. É isso que eu pretendo.
 
Fernando Azevedo/Divulga??oQuem também esteve presente foi o presidente da escola Paulo Viana, que confirmou a ausência de patrocínio, mas revelou uma conversa animadora que teve com um grande ídolo dos independentes.
 
– Este ano o patrocínio é o grande nome de Portinari. Com o desenvolvimento do Alexandre Louzada, este enredo é um grande presente para o carnaval. Ainda hoje eu falava com Renato Lage e ele me falava sobre o carnaval que fizemos sobre Villa-Lobos. Ali era a valorização do profissional. Tenho certeza que acontecerá o mesmo com o Louzada.
 
 O que também já está definido na Mocidade Independente é a data da final de samba. Ela acontecerá no dia 16 de outubro. A apresentação dos sambas concorrentes acontece no dia 27 de agosto e a novidade fica por conta do horário de início dos sambões de sábado em Padre Miguel. Ao invés de meia-noite, como é de praxe nas agremiações aos sábados, a noitada de samba terá início às 20h. Na próxima segunda-feira, dia 4 de julho, haverá um encontro entre os compositores da escola e o carnavalesco Alexandre Louzada na quadra da Mocidade para leitura da sinopse e esclarecimento de possíveis dúvidas.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×