Luciano Vargem apresenta suas propostas para o comando do Império Serrano

 

 

O Império Serrano escolhe seu novo presidente no domingo. O site CARNAVALESCO ouviu os três candidatos: Vera Lúcia, Luciano Vargem e Marquinho Passista. O primeiro entrevistado é Luciano Vargem. Ele é o candidato da situação. Vice de carnaval na gestão Átila Gomes, agora está à frente da chapa "Sou Império Serrano". O grupo ainda é formado por Carlos Ferreira (vice de carnaval), Jener Tonasso (vice administrativo e financeiro), Jorge Freiras, o Russo Compositor (vice social) e Fabrício Cruz (vice cultural). Confira abaixo a conversa com Luciano Vargem:

Por que você quer presidente do Império Serrano?

Luciano Vargem: Porque depois de muitos anos de dedicação à escola me vejo preparado e motivado para executar juntamente com minha equipe os projetos que vão levar o Império Serrano às conquistas. A responsabilidade é grande e sinto-me muito honrado de ser escolhido por um grupo de imperianos apaixonados que apostam na minha capacidade para representá-los, além de estarem dispostos e comprometidos para executar nossos projetos e com muita vontade realizar um grande trabalho para nossa escola, nossa comunidade que necessita com urgência de vitórias.

Como colocar o Império Serrano no Grupo Especial?

Luciano Vargem: Trabalhando com projetos, planejamento, trabalho, profissionais qualificados e a força de nossa comunidade. Os projetos servirão para atrair recursos e parceiros para escola,  o planejamento definirá o que o Império necessita para alcançar seus objetivos, o trabalho será a marca de nossa equipe para executarmos o que queremos. Os profissionais de qualidade emprestarão suas competências e talentos para fazermos um desfile sem erros, e a força da nossa comunidade é a diferença que fará do Império Serrano uma escola pronta para voltar ao Grupo Especial.

Qual sua análise do quadro político do Império Serrano? Uma escola que precisa de união tem 3 chapas concorrendo na eleição. Por que a disputa presidencial é tão grande na escola?

Luciano Vargem: O quadro político do Império Serrano é muito interessante, pois se trata de uma escola amplamente democrática e o imperiano geralmente não é apenas um torcedor apaixonado, ele também se sente um dos milhares donos da escola, e quer participar das decisões, quer escolher que caminhos a escola vai escolher, e quando se aproximam as eleições é dado o momento de democraticamente a maioria fazer valer suas vontades e suas preferências. Devido a esta vontade de participar, fazer valer suas opiniões e acreditar que cada um tem a solução para os problemas da escola as eleições mostram esse número elevado de chapas. Por isso proponho uma gestão participativa para atender a essa vontade de todos serem gestores da escola, e contribuírem para nosso Império Serrano. Minha vontade que todos participem e abracem os projetos, independente de chapa vencedora.

Qual sua análise sobre a administração do presidente Átila?

Luciano Vargem: Foi uma administração que enfrentou muitas dificuldades principalmente financeiras, herdou uma escola em situações precárias, com estrutura de barracão em estado deplorável, sem maquinário algum e teve que começar do zero, sofreu também com penhoras judiciais de ações antigas, um ano de quadra fechada e carnavais em que a verba recebida de subvenção não cobriu os custos dos desfiles. Mesmo assim o Presidente Átila durante os 3 anos de gestão atraiu parcerias, pagou dívidas, conquistou a obra de reforma na quadra, abriu portas para a escola ser recebida em órgãos governamentais  e não teve sorte no primeiro ano devido à injustiça no julgamento das notas do carnaval de 2012, tavez ali a história poderia ter tomado outro rumo. O que posso dizer é que não faltaram trabalho e dedicação.  Nossa proposta é consertar os erros e operar melhorias para o que deu certo.

Hoje qual é o tamanho da dívida do Império Serrano e como pagar?

Luciano Vargem: A dívida do Império Serrano gira em torno de R$ 1,5 milhão. Primeiramente precisamos buscar alternativas para gerar receitas e diminuir despesas, e isso será feito através dos projetos que temos para trazer recursos para escola. Paralelamente iremos conseguir dar garantias e condições para o departamento jurídico realizar negociações com os credores e reduzir esse valor pela metade. Todos departamentos da escola precisam ter metas financeiras para garantirmos receitas para fazermos um carnaval de qualidade e negociarmos estas dívidas com os credores.

Como tornar a quadra do Império Serrano rentável para escola e que ajude nas despesas do carnaval?

Luciano Vargem: Primeiramente precisamos mapear todas as despesas, e buscar as oportunidades de gerar receitas. A quadra do Império Serrano está em um dos locais de maior circulação de pessoas de nossa cidade e precisamos explorar isso. Temos que todos os dias da semana gerar receita com nossa boutique que pode ter o direito de exploração licitado, o que poderá trazer receitas fixas para a escola. Outra oportunidade é a criação de um espaço gastronômico, onde todo esse povo que circula por Madureira poderá ter mais uma alternativa de bar/restaurante. Já realizamos pesquisas, e esta ideia é viável. Se faz necessário um bom planejamento para eventos como Botequim do Império, Cozido das Passistas, shows, feijoadas, rodas de samba e os ensaios de carnaval. Para os eventos serem rentáveis precisamos atrair parceiros para arcar com parte dos custos além de ser importante realizarmos parcerias com os meios de comunicação para divulgação. A viabilização do terreno dos fundos da quadra para construção de um estacionamento também irá ajudar a trazer mais público para os eventos pois será mais uma facilidade.

Caso seja eleito, você vai manter o carnavalesco Eduardo Gonçalves e o que pensa para enredo?

Luciano Vargem: Estamos pré-acordados com o carnavalesco Eduardo Gonçalves, que se identificou muito com a escola, com nossa equipe, conquistou as notas máximas em fantasias depois de muito tempo, e criou um ótimo relacionamento com nossa velha-guarda da escola o que é muito importante. Para enredo queremos que seja desenvolvido um autoral do Eduardo, porém exigimos que tenha grande identificação com a escola, vamos apelar para a emoção do componente imperiano. Para não perdermos tempo ele já nos apresentou duas sinopses prontas. Qualquer uma das duas irá emocionar qualquer imperiano.

Caso eleito, você vai manter mestre Gilmar no comando da bateria? O que fará nas vagas de intérprete, diretor de carnaval e casal de mestre-sala e porta-bandeira? 

Luciano Vargem: Gilmar é um dos melhores mestres de bateria do carnaval carioca, e será mantido com certeza. Seu trabalho é irretocável, e temos o compromisso de darmos mais estrutura e apoio para nossa bateria. Para as vagas de intérprete queremos montar o time com a prata da casa, além de existir um projeto de concurso de puxadores para descobrirmos novos talentos. Para a direção de carnaval iremos consultar os mais experientes da escola e meu vice-presidente de carnaval para criarmos uma comissão. Queremos trabalhar em equipe e vamos dar valor a prata da casa, afinal o Império sempre produziu bons profissionais para o carnaval e essa história não pode acabar. Iremos manter a Bárbara Falcão como porta-bandeira, afinal ela é um exemplo de disciplina, dançou com perfeição e conquistou as notas máximas, já para  a vaga de mestre-sala estamos estudando junto com nossos especialistas no assunto um substituto a altura do Alex com intuito de mantermos a qualidade deste quesito.

Comente: